Black Stone Cherry: Mais leve e com elementos comerciais

Resenha - Between The Devil & the Deep Blue Sea - Black Stone Cherry

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Junior Frascá
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 7

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Apesar de não terem o sucesso merecido no Brasil, os americanos do BLACK STONE CHERRY têm obtido grande repercussão internacional, vendendo muitos álbuns e realizando grandes turnês. E isso se deve à grande qualidade de seus dois primeiros registros, os excelentes "Black Stone Cherry" (2006) e "Folklore And Superstition" (2008), que mesclam um hard rock sujo e pesado, com pitadas de Stoner Rock, na linha de bandas como MOTORHEAD, SPIRITUAL BEGGARS e BLACK LABEL SOCIETY, com elementos mais comerciais, fazendo com que seu som caísse nas graças do grande público.

Pink Floyd: a história por trás de "Animals"Dossiê Guns N' Roses: A versão de Slash para os fatos

E eis que agora em 2011 a banda chega a seu terceiro álbum, este "Between the Devil & the Deep Blue Sea", gravado no Bay 7 Studios, nos EUA, e possuindo um excelente produção, a cargo de Howard Benson, sendo Mixado por Chris Lord-Age e Masterizado por Ted Jensen, e que tem tido grande divulgação na mídia americana, inclusive alcançando posições expressivas nas paradas internacionais de vendas de álbuns.

Apesar de o álbum trazer alguns dos riffs mais pesados da carreira do grupo, como nas maravilhosas "Killing Floor", "Such a Shame" e "Change", no geral, em comparação com seus antecessores, o CD esta mais leve, investindo mais em elementos comerciais.

Não que o fato de trazer mais estes elementos comerciais seja um demérito, muito pelo contrário: a banda conseguiu atingir um nível de maturidade em suas composições de tirar o chapéu, criando passagens memoráveis, que grudam na cabeça do ouvinte (por exemplo, tente ouvir os hits "White Trash Millionaire" e "Like I Roll" e não sair cantarolando o refrão pelo resto do dia, ou mesmo da semana). Contudo, em algumas canções esses elementos tornam-se exagerados, e a falta de peso incomoda um pouco, criando algumas canções cansativas, que pouco acrescentam na carreira do conjunto, como a mediana "Blame It On the Boom Boom".

Além disso, as baladas, que sempre estiveram presentes na carreira do conjunto, encontram-se ainda mais presentes neste álbum, merecendo destaque a belíssima "Won't Let Go", que remete o ouvinte à maravilhosa "Things My Father Said" do álbum "Folklore And Superstition".

No geral, portanto, o álbum é legal e merece ser conferido, trazendo muitas canções divertidas, com melodias diretas e fáceis, que cativam o ouvinte logo na primeira audição. Mas se você, como eu, esperava um álbum mais pesado do BSC, na linha de seus anteriores, com certeza irá se decepcionar um pouco. Aguardemos seus próximos lançamentos, torcendo para que banda não caia de vez nos obscuros meandros da música pop.

Between the Devil & the Deep Blue Sea - Black Stone Cherry
(2011 - Roadrunner - Importado)

Track List:

1. White Trash Millionaire
2. Killing Floor
3. In My Blood
4. Such a Shame
5. Won t Let Go
6. Blame It On the Boom Boom
7. Like I Roll
8. Can t You See
9. Let Me See You Shake
10. Stay
11 Change
12 All I m Dreamin of




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Black Stone Cherry"


Post-grunge: 10 bandas do gênero que você precisa ouvir (1)Post-grunge
10 bandas do gênero que você precisa ouvir (1)


Pink Floyd: a história por trás de AnimalsPink Floyd
A história por trás de "Animals"

Dossiê Guns N' Roses: A versão de Slash para os fatosDossiê Guns N' Roses
A versão de Slash para os fatos

Frances Bean Cobain: assustada com tatuagem de fãFrances Bean Cobain
Assustada com tatuagem de fã

Exemplos: 10 músicos com deficiências ou problemas de saúdeMetallica: os segredos de "Enter Sandman"Lágrimas nos olhos: 25 músicas para chorarGuns N' Roses: Justin Hawkins, do Darkness, conta como a banda está mais feliz

Sobre Junior Frascá

Junior Frascá, casado, é advogado, e apaixonado por heavy metal em todas as suas vertentes (em especial thrash, stoner, doom e power metal) desde seus 15 anos. Também é fã de filmes de terror e séries americanas, faz parte da equipe da revista digital Hell Divine e do site My Guitar, e é guitarrista da banda de metal tradicional MUD LAKE.

Mais matérias de Junior Frascá no Whiplash.Net.