Bon Jovi: uma banda a ser respeitada e odiada por muitos

Resenha - Circle - Bon Jovi

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Por Alex Heilborn
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Mais uma vez o quarteto de New Jersey surpreende seus fãs e a chamada "crítica especializada" (talvez não tão positivamente) com mais um álbum de estúdio onde um ciclo se encerra e mais uma nova era se inicia, devidamente intitulado "The Circle". Além do CD versão simples, há a opção deluxe com o DVD do documentário que comemora seus 25 anos de carreira para acompanhar o livro autobiográfico "When we were beautiful".
5000 acessosAllianz: Aerosmith e Bon Jovi estarão em festival com GNR e Who?5000 acessosPlanno D: 10 coisas que metaleiro faz mas quase ninguém sabe

Em seu 11° album de estúdio, a banda retoma seus álbums anteriores como inspiração, incluindo a grande época de "Slippery When Wet" e "New Jersey" nas faixas "We Weren't Born To Follow", "When We Were Beautiful" e "Work For The Working Man". A primeira lembra uma releitura de "Born To Be My Babe" e a terceira remete à clássica "Livin' On a Prayer".

Ok, isso quer dizer que eles voltaram as raízes?

Bem, podemos dizer que sim, porém não exatamente as dos anos 80 e sim as raízes que fizeram a banda ser conhecida e vender mais de 120 milhões de álbums, tocando para mais de 34 países e fechado 2008 como a maior turnê de rock do ano!

Faixas como "Superman Tonight" e "Thorn In My Side" trazem o pop rock que estamos acostumados desde "It's My Life", já "Bullet" e "Happy Now" retornam aos álbums definitivos do "hard contemporâneo" mais comercial apresentado em "Keep The Faith" (1992) e "Bounce" (2002), que também foi seguido por grandes como Paul Stanley, Def Leppard, Scorpions, etc.

Mas é a épica "When We Were Beautiful" que mostra ao mesmo tempo nostalgia e amadurecimento, alcançados nesses anos de carreira.

Jon não é mais o grande vocalista que costumava ser e isso acaba sendo decepcionante, mas Richie Sambora e Tico Torres retornam em grande estilo em suas funções e fazem de "The Circle" uma surpresa para quem gosta de bons riffs e batidas precisas.

"The Circle" chega em uma época onde nao só americanos mas o mundo quer acreditar que a mudança de um presidente seja positiva e suas letras passam a mensagem que devemos continuar lutando pra que isso aconteça!

Isso faz de Bon Jovi uma banda a ser respeitada e odiada por muitos, mas também a maior sobrevivente dos anos 80, não seguindo modas ou fases como muitas outras e sim tocando seu pop hard desde seu início, sendo mais pesado ou romântico e comercial, porém sendo honesto com seus fãs e amadurecendo a cada lançamento.

5000 acessosQuer ficar atualizado? Siga no Facebook, Twitter, G+, Newsletter, etc

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+Compartilhar no WhatsApp

Outras resenhas de Circle - Bon Jovi

5000 acessosBon Jovi: não é pior do que os anteriores... nem melhor...

Allianz ParqueAllianz Parque
Aerosmith e Bon Jovi em festival com GNR e The Who?

287 acessosSina: "Livin' on Prayer" do Bon Jovi na bateria998 acessosRock in Rio: dia do Bon Jovi também está esgotado0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Bon Jovi"

FacebookFacebook
As bandas de rock mais "curtidas"

PreçosPreços
Quanto custa para contratar a sua banda favorita

Collectors RoomCollectors Room
Centenas de ítens do Bon Jovi na coleção de um paulistano

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Bon Jovi"

Planno DPlanno D
10 coisas que metaleiro faz mas quase ninguém sabe

Sharon OsbourneSharon Osbourne
"Pensei em pagar por sexo"

ExcessosExcessos
Como os rockstars gastam os seus milhões

5000 acessosSeparadas no nascimento: Pitty e Amy Winehouse5000 acessosMonsters Of Rock 2015: conheça a loira que "deu um show" com o Steel Panther5000 acessosVocalistas: as vozes mais agudas do Metal segundo o Noisecreep5000 acessosMetallica: levará um tempo para as pessoas compreenderem "Lulu", diz Bowie5000 acessosRolling Stone: as melhores músicas com mais de sete minutos3478 acessosMetallica: o Top 10 de 2016 do James Hetfield

Sobre Alex Heilborn

Meu nome é Alex Heilborn, tenho 33 anos e tenho feito parte do mundo Rock, Hard e Heavy, como produtor de eventos, intérprete e repórter por 19 anos. Fiz algumas coberturas de eventos como Skol Rock 97 e entrevistei Jason Bonham, Dio, Bruce e Klaus Meine, outros como Matt Sorum, Ian Astbury e Billy Duff do Cult em Sp e em Campinas, o Michael Vescera e o Quiet Riot, Blaze Bailey, Paul Dianno,Tracii Guns, e outros.

Mais matérias de Alex Heilborn no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online