Andre Matos: livre de compromissos e conflitos criativos

Resenha - Time To Be Free - Andre Matos

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Ricardo Seelig
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Finalmente, após mais de vinte anos de carreira, período do qual fez parte de dois dos mais importantes e influentes grupos da história do Heavy Metal brasileiro (Viper e Angra), o vocalista, compositor e tecladista Andre Matos faz a sua estréia solo.
1747 acessosAngra: Os primórdios de Angel's Cry antes da Demo Reaching Horizons5000 acessosLars Ulrich: O motivo pelo qual o Big Four tocou "Am I Evil"

Como de costume nos trabalhos em que Andre participa, “Time To Be Free” é um álbum muito bem acabado e com boas composições. Dono de um talento ímpar, o vocalista deixa isso claro no disco. Sozinho, livre dos compromissos e conflitos criativos de uma banda, Andre Matos apresenta um trabalho mais solto, indo fundo em características que sempre marcaram a sua música, como os arranjos complexos e repletos de mudanças surpreendentes, o uso de soluções harmônicas criativas e muita, muita melodia. Enfim, “Time To Be Free” é um álbum de Heavy Metal moderno, mas com as suas raízes na sonoridade dos anos oitenta, que Andre tanto desenvolveu e evoluiu durante toda a sua carreira.

Canções como “Letting Go” (composta com o velho parceiro Pit Passarel), “Rio”, “Remember Why”, “How Long” (com participação de Roy Z, que também produz o disco) e principalmente a faixa-título, conquistam o ouvinte de imediato e mostram o quanto Andre Matos ainda é relevante para o cenário metálico.

O álbum possui ainda duas regravações. A primeira é um presente para os fãs. Andre e banda atualizaram a clássica “Moonlight” do Viper, lançada originalmente no álbum “Theatre Of Fate” de 1989, e que aqui ganhou o título “New Moonlight” e novos arranjos que a tornaram mais pesada e complexa que a versão original. Já a segunda, “Separate Ways (Worlds Apart)”, um dos maiores sucessos do Journey, recebeu uma releitura competente da banda (Luiz Mariutti no baixo, Hugo Mariutti e Andre Hernandez nas guitarras e Rafael Rosa na bateria) e uma interpretação entusiasmada de Andre Matos, revestindo-a com seu estilo característico.

“Time To Be Free” é um álbum coeso, muito bem composto e produzido, e que mostra, mais uma vez, todo o talento deste músico fantástico chamado Andre Matos. Recomendado para que curte Heavy Metal e música feita com bom gosto.

Faixas:

1. Menuett
2. Letting Go
3. Rio
4. Remember Why
5. How Long (Unleashed Away)
6. Looking Back
7. Face The End
8. Time To Be Free
9. Rescue
10. A New Moonlight
11. Endeavour
12. Separate Ways (Worlds Apart)

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Outras resenhas de Time To Be Free - Andre Matos

5000 acessosAndre Matos: Time To Be Free é um discão

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

AngraAngra
Banda reage à tragédia com Adrenaline Mob

1747 acessosAngra: Os primórdios de Angel's Cry antes da Demo Reaching Horizons909 acessosAngra: mais um vídeo das gravações do novo álbum1874 acessosBlind Guardian e Rhapsody: Como seria Hansi e Lione cantando juntos?2628 acessosAngra: Uma rara versão acústica de "Carry On" com Andre Matos0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Angra"

Carnaval 2016Carnaval 2016
Angra, Sepultura e Carlinhos Brown tocando Kiss

Mario LinharesMario Linhares
"Obrigado Carlinhos Brown, você se tornou um gigante"

MegadethMegadeth
David Ellefson ora com a banda antes do show

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Andre Matos"0 acessosTodas as matérias sobre "Angra"

Lars UlrichLars Ulrich
O motivo pelo qual o Big Four tocou "Am I Evil"

GhostGhost
O lado escuro do rock: você acredita em magia negra?

BizarricesBizarrices
Ozzy Osbourne, Rolling Stones, The Who e outros

5000 acessosBlack Sabbath: About.com elege os 5 melhores álbuns da banda5000 acessosMetromix: a lista dos vocalistas mais irritantes do rock5000 acessosMegadeth: uma voz escondida em música de 2004 previa a entrada de Kiko na banda?3606 acessosGames: metaleiro transforma clássicos de games em puro Metal5000 acessosCoisa de boy: Mais de 50% dos roqueiros é da classe A, diz IBOPE5000 acessosLobão: a defesa do roqueiro solitário

Sobre Ricardo Seelig

Ricardo Seelig é editor da Collectors Room - www.collectorsroom.com.br - e colabora com o Whiplash.Net desde 2004.

Mais matérias de Ricardo Seelig no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online