Vader: retorno ao ciclo veloz e violento

Resenha - Impressions In Blood - Vader

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ben Ami Scopinho
Enviar Correções  

9


O polonês Vader vem mantendo a tradição em liberar registros de grande qualidade – alguém aí já ouviu falar do lendário "Morbid Reich" (90), considerado a melhor demo da história do Heavy Metal ao vender nada menos do que dez mil cópias? – em sua trajetória de duas décadas de fidelidade ao Death regado a Thrash Metal. E este apego ao underground, aliado a uma competência ímpar em sua proposta, os tornaram um dos nomes do metal extremo mais respeitados do mundo, mesmo considerando que seus dois últimos trabalhos, "Revelations" (02) e "The Beast" (04), dividiram algumas opiniões por serem algo mais lentos e disporem de algumas melodias que não apareciam até então.

Analisando o que o Vader fez no início de sua carreira, é óbvio que há um desenvolvimento considerável no estilo, mas sem sacrificar sua marca registrada. "Impressions In Blood", lançado no exterior em 2006, é seu oitavo álbum de estúdio e, mesmo mantendo esta evolução, também parece marcar um retorno considerável ao ciclo veloz e violento do passado, o que será encarado como uma "melhoria" pelos antigos e mais radicais fãs.

publicidade

Mas o Vader não mostra apenas brutalidade e amargura com sua música. É extremamente técnico e, principalmente, inteligente. Além da profunda voz do onipresente Peter, suas guitarras estão bastante limpas e derramam riffs intrincados, perfeitos e grudentos. Como se fosse pouco, novamente Daray não se limita a um desempenho repetitivo ou aos tradicionais 'blastbeats'. Este polonês é um monstro, preenchendo com desenvoltura muitos espaços onde outros bateristas provavelmente não acrescentariam nada. Por fim, é interessante notar que o Vader também continua experimentando sonoridades de orquestras extraídas de sintetizadores.

publicidade

"Shadows Fear" (com ótimo solo!) e "As Heavens Collide..." mostram o Vader clássico, veloz e com alguma cadência esparsa aqui e ali. As ocasiões mais extremas com certeza ficam por conta de "Predator", seguida de perto por "Warlords" e "They Live!!!". Outra que se destaca, e talvez gere alguma controvérsia, é "Helleluyah!!! (God Is Dead)". Ela não traz a atmosfera padrão do Death Metal, pois os sintetizadores a carregam com certo caráter de triunfo que a torna até mesmo otimista. É uma excelente faixa, realmente.

publicidade

Todo este domínio e carisma tornam "Impressions In Blood" praticamente indispensável aos adeptos do gênero, e com certeza manterão o Vader tão popular quanto sempre foi. E, se o leitor não tiver lá suas afinidades com o Death Metal e conseguiu ler este texto até o fim, fica a sugestão: procure conhecer este álbum. Quem saber ele não apresente algo que te faça compreender um pouco mais sobre o estilo?

publicidade

Formação:
Piotr "Peter" Wiwczarek - voz e guitarra
Maurycy "Mauser" Stefanowicz - guitarra
Marcin "Novy" Nowak - baixo
Darek "Daray" Brzozowski - bateria

Vader - Impressions In Blood
(2006 / Regain Records - importado)

01. Between Day And Night
02. Shadows Fear
03. As Heavens Collide...
04. Helleluyah!!! (God Is Dead)
05. Field Of Heads
06. Predator
07. Warlords
08. Red Code
09. Amongst The Ruins
10. They Live!!!
11. The Book

publicidade

Homepage: www.vader.pl


Outras resenhas de Impressions In Blood - Vader

Vader: levando Death Metal para lugares inóspitos




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


HailMetal.com: Os cinqüenta melhores álbuns de Death MetalHailMetal.com
Os cinqüenta melhores álbuns de Death Metal

Metal Hammer: As melhores músicas da história do Death MetalMetal Hammer
As melhores músicas da história do Death Metal


Guns e Sabbath: semelhança entre Zero the Hero e Paradise CityGuns e Sabbath
Semelhança entre "Zero the Hero" e "Paradise City"

Batom, laquê...: Como formar uma banda de Hard Rock em 69 liçõesBatom, laquê...
Como formar uma banda de Hard Rock em 69 lições


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre Ben Ami Scopinho

Mais matérias de Ben Ami Scopinho no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin WhiFin