Matérias Mais Lidas

imagemO reencontro entre Steve Harris e Paul Di'Anno na Croácia

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

imagemEddie aparece em versão samurai no primeiro show do Iron Maiden em 2022; veja foto

imagemSystem of a Down: por que Serj Tankian não joga mais nenhum vídeo game?

imagemRoger Daltrey revela a música "amaldiçoada" que o The Who não toca mais ao vivo

imagemDee Snider cutuca bandas com falsas aposentadorias e ingressos caros

imagemConfira as músicas que o Iron Maiden tocou no primeiro show de 2022

imagemO clássico do Helloween que fez Angra mudar nome original de "Running Alone"

imagemAngra: Quantos shows seguidos a voz aguenta sem restrições? Fabio Lione responde

imagemEvanescence anuncia a saída da guitarrista Jen Majura

imagemIron Maiden apresenta Eddie em versão samurai ao vivo; veja vídeo oficial

imagemJen Majura disse que sair do Evanescence não foi decisão dela e recebe apoio dos fãs

imagemComo CDs e MP3s decepcionaram Jimmy Page

imagemSentado em cadeira de rodas, Paul Di'Anno faz primeiro show em sete anos

imagemRobert Trujillo conta como uma abelha e "migué" quase causaram treta com James Hetfield


Stamp

Månegarm: bom Pagan Metal vindo da suécia

Resenha - Vargstenen - Månegarm

Por Ben Ami Scopinho
Em 12/08/07

Nota: 9

São tão poucos os discos do chamado Pagan (ou Viking? Ou Folk?? Ou ...???) Metal lançados no mercado brasileiro, que é sempre uma boa surpresa encontrar algo do gênero em nossas lojas. Esta banda vem da Suécia e chamava-se inicialmente Antikrist, porém no finalzinho de 1995 alterou seu nome para Månegarm, alusão a um lobo da mitologia nórdica que, entre outros atributos, se alimenta de sangue humano. Este conjunto construiu boa reputação no underground europeu e está chegando a seu quinto álbum, "Vargstenen", disponibilizado por aqui via Mutilation Records.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Se comparado aos trabalhos anteriores, "Vargstenen" soa menos agressivo, em especial pelo fato de Erik Grawsiö, mesmo ainda rosnando muito, agora optar por fazer um maior uso de linhas vocais limpas do que o costume. Totalmente cantado em sueco e com a presença de alguma eventual voz feminina, sua música transita, muitas vezes repentinamente, entre a agressão do Black e Power Metal até as bonitas melodias folclóricas, tendo o violino um papel fundamental na estrutura das composições.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

O disco é muito versátil, com as músicas se dividindo entre momentos puramente acústicos, ou composições com violinos e guitarras e, por fim, outras onde as guitarras recebem o enfoque principal. Neste esquema, acaba se tornando uma tarefa ingrata encontrar algum destaque, mas dá para citar "Ur Sjalslig Dod", que mostra todo o contraste massacrante desta banda ao colocar guitarras saturadas ao lado de violinos. Vale citar ainda os momentos extremos de "Genom Varldar Nio" e "I Underjorden" e, fugindo do caos sonoro, o álbum fecha com as duas canções agradavelmente folclóricas, "Vedergällningens Tid" e "Eld".

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Como um todo, o resultado final traz referências a Amon Amarth e Finntroll, mas já adianto que o Månegarm está longe de ser uma mera fábrica de reciclagens, pelo contrário, estes músicos dominam sua proposta como poucos e suas canções soam bem naturais, tanto que "Vargstenen" é um dos discos mais interessantes em seu gênero lançado neste ano, bastante indicado a constar na prateleira de qualquer um que se considere headbanger.

Formação:
Erik Grawsiö - Voz e Bateria
Jonas Almquist - Guitarra
Markus Andé - Guitarra
Pierre V. Wilhelmsson - Baixo
Janne Liljekvist - Violino

Månegarm - Vargstenen
(2007 - Black Lodge / Mutilation Records - nacional)

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

01. Uppvaknande
02. Ur Sjalslig Dod
03. En Fallen Fader
04. Den Gamle Talar
05. Genon Varldar Nio
06. Visioner Palsen
07. Vargbrodern Talar
08. I Underjorden
09. Nio Dagar, Nio Natter
10. Vargstenen
11. Vedergallningens Tid
12. Eld

Homepage: www.manegarm.com

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Sobre Ben Ami Scopinho

Ben Ami é paulistano, porém reside em Florianópolis (SC) desde o início dos anos 1990, onde passou a trabalhar como técnico gráfico e ilustrador. Desde a década anterior, adolescente ainda, já vinha acompanhando o desenvolvimento do Heavy Metal e Hard Rock, e sua paixão pelos discos permitiu que passasse a colaborar com o Whiplash! a partir de 2004 com resenhas, entrevistas e na coluna "Hard Rock - Aqueles que ficaram para trás".

Mais informações sobre

Mais matérias de Ben Ami Scopinho.