Amorphis: mais energia e criatividade em alta

Resenha - Amorphis - Eclipse

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Rodrigo Simas
Enviar correções  |  Comentários  | 

Nota: 8

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


“Eclipse” surge depois de um período conturbado na história do Amorphis. É bem verdade que Tuonela (1999) foi o último lançamento que chamou a atenção dos fãs e críticos (mesmo não tendo o mesmo impacto do clássico “Elegy”, de 1996), sendo seus dois sucessores “Am Universum” (2000) e “Far From The Sun” (2003), discos que dividiram opiniões, mas mantiveram a característica da banda de nunca se repetir e sempre tentar (mesmo não acertando) se reciclar.
5000 acessosDave Mustaine: a história por trás de "The Four Horsemen"5000 acessosMetromix: a lista dos vocalistas mais irritantes do rock

Com o novo vocalista (Tomi Joutsen, que segura a onda com cabeça erguida e mostra competência, alternando vocais guturais e limpos com maestria) substituindo Pasi Koskinen, a banda retornou com mais energia e com a criatividade em alta.

Alguns dizem que “Eclipse” é uma mistura dos melhores momentos de todos seus CDs, mas prefiro não compará-lo com nenhum outro da discografia do Amorphis e ouví-lo apenas como mais um disco. Diferente. Único.

É pesado (“Two Moons”), atmosférico (ouçam o solo de de teclado “House of Sleep” ou a introdução de “Same Flesh”), melódico (“Leaves Scar”, uma das melhores) e técnico (“Perkele”, também muito pesada). Ainda traz resquícios da sua fase inicial, quando podiam ser enquadrados dentro do Death Metal, mas atualmente é suficientemente eclético para não ser rotulado como nenhum gênero específico.

O mais interessante é que todas faixas são completamente diferentes entre si, mas funcionam perfeitamente em conjunto. Elas vão do heavy metal tradicional, passando pelo doom, gótico e progressivo, com elementos do folk e experimentações psicodélicas. Formam uma obra sólida, que aponta para várias direções, sem nunca perder o rumo.

Se você é fã e aguardava um retorno às origens, não se decepcionará. Se não conhece, é um bom começo, já que provavelmente “Eclipse” figura como um dos melhores CDs dos Finlandeses e deve se manter assim por bastante tempo.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Amorphis"

Arte GráficaArte Gráfica
Designer brasileiro cria versões para clássicos

HailMetal.comHailMetal.com
Os cinqüenta melhores álbuns de Death Metal

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Amorphis"

Dave MustaineDave Mustaine
A história por trás de "The Four Horsemen"

MetromixMetromix
A lista dos vocalistas mais irritantes do rock

Dimebag DarrellDimebag Darrell
Namorada fala sobre a vida ao lado do músico

5000 acessosFotos de Infância: Robert Plant, do Led Zeppelin5000 acessosBatismo: Os nomes verdadeiros dos artistas do Rock e Metal5000 acessosGaleria - Tatuagens em homenagem ao Guns N' Roses5000 acessosComes e bebes: exposição fotográfica mostra exigências de músicos5000 acessosMarilyn Manson: é do cantor o vídeo mais assustador5000 acessosKing Diamond: 7 coisas que você não sabia sobre "Abigail"

Sobre Rodrigo Simas

Designer, carioca e tricolor. Começou a ouvir música aos 11 anos, com Iron Maiden, Metallica e Rush. Tem como hobby quase profissional, a música. Além de produzir shows e eventos, trabalhou por 5 anos em loja especializada em Heavy Metal, e já escreveu para alguns sites e revistas de música. Hoje escuta de tudo um pouco, e cada vez mais descobre que existem apenas dois tipos de música: a boa e a ruim, independente do estilo. Bandas e artistas favoritos: Dave Matthews Band, Peter Gabriel, Rush, Iron Maiden, Led Zeppelin, Ben Harper, Radiohead, System of a Down... e a lista continua…

Mais informações sobre Rodrigo Simas

Mais matérias de Rodrigo Simas no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online