Matérias Mais Lidas

imagemPaul McCartney lista os cinco músicos que formariam sua banda dos sonhos

imagemMarcello Pompeu, em busca de emprego, pede ajuda a seguidores

imagemGene Simmons faz passagem de som antes de show do Kiss com roupa inusitada

imagemRegis Tadeu explica porque o vinil e o Spotify vão despencar e o CD vai bombar

imagemBill Hudson comenta sobre falta de público de Angra e outras bandas nos EUA

imagemMax Cavalera e o conselho dado por Ozzy Osbourne: "ambos nos sentimos traídos"

imagemJames Hetfield se emociona profundamente no show de BH e é amparado pelos amigos e fãs

imagemDez grandes músicas do Iron Maiden escritas pelo vocalista Bruce Dickinson

imagemConheça a "melhor banda com as melhores músicas" para Robert Smith, do The Cure

imagemQueen e a artimanha infantil de Roger Taylor pra ganhar mais dinheiro que os outros

imagemMax Cavalera é criticado por ucranianos pelo apoio a Rússia em 2014

imagemAbba e a imensa importância do Deep Purple na sonoridade de suas músicas clássicas

imagemDave Mustaine mostra a forma curiosa como se aquece antes de um show do Megadeth

imagemBlind Guardian divulga capa, nomes e duração das faixas de seu novo álbum

Marcello Pompeu: ele conta por que não se posiciona politicamente, apesar de cobranças


Resenha - Bring'em Bach Alive! - Sebastian Bach

Por Rafael Carnovale
Em 09/06/05

Nota: 4

Tá certo que o Skid Row não era a maior banda de hard do mundo, mas nada justificaria essa pirada que Sebastian Bach deu logo que foi expulso da banda (por sinal o último show dele com o Skid foi aqui em SP no Monsters de 1998). Para mostar que ainda estava vivo, Bach juntou alguns amigos (entre eles Riche Scarlett e Anton Fig) e gravou este CD meio estúdio meio ao vivo. Com uma produção oscilante, ouso dizer que o que salva este produto é a engraçada história em quadrinhos que forma o encarte.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Nas músicas de estúdio pouco pode ser elogiado. "Rock and Roll" é uma pérola, graças a participação de Wolf Hoffman (Accept) na composição e guitarra, enquanto que "Done Bleeding" é horrorosa, "Superchunk, Superstar, Supertears" é uma balada sem "eira nem beira", "Blasphemer" tenta recriar os experimentos hardcore que o Skid Row fez em "Subhuman Race" (sem sucesso). "Counterpunch" tenta soar pesada e "grunge", sem o menor conhecimento de causa. A banda que conta com nomes de peso (como os citados acima) não consegue se impor e Bach está cantando de maneira deplorável, não lembrando em nada o excelente vocalista que ganhou duas vezes a premiação da extinta revista RAW como melhor vocalista.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Se você acha que a a parte ao vivo é o filé... engana-se. A produção se encarrega de estragar tudo, e a banda acelera além da conta. "Slave to the Grind" soa perdida, "Frozen" sem nexo, e só as baladas "18 & Life" e "I Remember You" nos remetem ao Bach em sua melhor forma. Nem a poderosa "Riot Act" (um dos destaques de "Slave to the Grind") consegue salvar a pátria. Além da velocidade excessiva, que descaracteriza e destrói as músicas, Bach está dando prioridade a soar como um vocalista de hardcore, gritando e exagerando na agressividade. Soa como um urubu fora do ninho.

A única coisa que salva este disco é saber que logo depois Sebastian Bach lançaria algo que poderia ser pior, o nojento "The Last Hard Men". Se você for fã.... pode checar... ou não... a escolha é sua.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Site Oficial: http://www.sebastianbach.com

Material Cedido Por:
ST2 Music
http://www.St2.com.br
São Paulo (SP)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp


Skid Row: Análise vocal de Sebastian Bach

Sebastian Bach: O pior e o melhor shows da vida foram em São Paulo



Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale.