Resenha - Best Of 90 99 - Yngwie Malmsteen

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Maurício Gomes Angelo
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Nota: 8


Deixemos de lado toda a relação conflituosa de nosso Mr. Ego com a imprensa e os músicos com os quais trabalhou, é preciso ter em mente que independente de qualquer coisa, Yngwie Johann Malmsteen é um deus da guitarra, revolucionou o instrumento e transformou a música a partir de então. Se o sueco tornou-se um ególatra em decorrência disso, ele tem motivos para esta postura, mesmo que seja nefasta para sua própria carreira e vida pessoal. Pense nas dezenas de músicos presunçosos que você conhece e que não possuem argumentos para tal, ridículo por ridículo este último exemplo é pior. E é ainda mais patético a crítica deixar-se influenciar pela personalidade de Malmsteen, vindo a espinafrar seus álbuns em virtude disso. Qualquer um com o mínimo de sobriedade é capaz de reconhecer que YJM lançou ótimos álbuns na década de 90, "The Seventh Sign" e "Facing The Animal" entre eles. Sendo esta a época que a presente coletânea trata.

Mikael Akerfeldt: Yngwie Malmsteen é um grande guitarrista, mas só tem feito merdaAerosmith: Steven Tyler e três mulheres nuas no chuveiro

Fazer uma compilação deste período, portanto, não é uma má idéia, ou melhor, não seria. Seria muito bom se a seleção das músicas fosse fiel ao título (90-99), já que não temos nenhuma música dos álbuns "Eclipse" (1990) e "Fire & Ice" (1992) e se também não tivesse sido lançada uma outra coletânea nos mesmos moldes anteriormente, a sugestiva "Anthology 1994-1999".

Pior, das 14 músicas deste "The Best Of", 9 estão neste "Anthology". De inédito mesmo em coletâneas temos "Voodoo" do Magnum Opus, "Facing The Animal" do álbum de mesmo nome, "Gates Of Babylon", cover do Rainbow retirado do ao vivo no Brasil e duas instrumentais, "Blue" do "Alchemy" e "Cavalino Rampante" do "Concerto Suite For Eletric Guitar And Orchestra In e Flat Minor Op. 1 - Millennium", ufa! Esta última traz o tradicional estilo neo-clássico ultra-veloz e refinado de Malmsteen, possuindo muito feeling sim senhor! Sendo um ótimo exemplo do que ele mais gosta de fazer: concertos solistas de movimento allegro.

Apesar dos pesares, o sueco sempre recrutou excelentes vocalistas para acompanhá-lo e nesta coletânea podemos ter o prazer de ouvir algumas das melhores vozes do hard/heavy mundial: Michael Vescera, Mats Léven e Mark Boals. Os destaques são as pauladas "Never Die", "Vengeance" e "Facing the Animal", a clássica lacrimejante "Rising Force" e as duas instrumentais citadas, além de "Gates Of Babylon" - executada dignamente - e o curioso cover do Abba (nem tanto se considerarmos que eles foram uma das bandas suecas mais conhecidas da história e já tiveram músicas vertidas para o rock anteriormente) "Gimme, Gimme, Gimme", transformada num hard rock up-tempo altamente festeiro.

Sempre me surpreendente a incompetência em montar uma coletânea, pois escolher as melhores músicas (não necessariamente as mais famosas), dar um encarte decente e aproveitar ao máximo o espaço de 80 minutos de um cd não exigem grande esforço e me parecem regras básicas para este tipo de coisa. Engraçado como a maioria negligencia tudo isso. Se não me engano esta é a terceira coletânea de Yngwie, sendo duas da década de 90 e uma ("The Collection" de 1991) cobrindo os anos oitenta. Em vez dessa algazarra toda deveria ter sido lançada uma coletânea dupla de acabamento luxuoso englobando toda a carreira deste guitar hero. Isso ao invés de álbuns esporádicos com alguma mísera musica inédita visando sugar o dinheiro dos fãs. Não se enganem, a nota ganha é meramente pela qualidade indiscutível das composições, não pela iniciativa de lançar este álbum. Compre somente se for um daqueles fãs hardcore-doentios ou se não tiver nada dele e quiser conhecê-lo. E que venha o novo de estúdio!

Site Oficial: http://www.yngwie.org




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Yngwie Malmsteen"


Mikael Akerfeldt: Yngwie Malmsteen é um grande guitarrista, mas só tem feito merdaMikael Akerfeldt
Yngwie Malmsteen é um grande guitarrista, mas só tem feito merda

Yngwie Malmsteen: pegada neoclássica dele veio do Genesis, não do PurpleYngwie Malmsteen
Pegada neoclássica dele veio do Genesis, não do Purple

Malmsteen: Satriani e Jeff Beck desafinam nos bends?Malmsteen
Satriani e Jeff Beck desafinam nos bends?

Yngwie Malmsteen: primeira namorada fala sobre o guitarristaYngwie Malmsteen
Primeira namorada fala sobre o guitarrista


Aerosmith: Steven Tyler e três mulheres nuas no chuveiroAerosmith
Steven Tyler e três mulheres nuas no chuveiro

Batom, laquê...: Como formar uma banda de Hard Rock em 69 liçõesBatom, laquê...
Como formar uma banda de Hard Rock em 69 lições

Metalcore: os dez trabalhos essenciais do estiloMetalcore
Os dez trabalhos essenciais do estilo

Cristina Scabbia: Símbolo sexual? Fico surpresa com isto!Cristina Scabbia
"Símbolo sexual? Fico surpresa com isto!"

Atores e música: As bandas de Russell Crowe, Keanu Reeves e Bruce WillisAtores e música
As bandas de Russell Crowe, Keanu Reeves e Bruce Willis

Musical Box: A história do órgão Hammond e das caixas LeslieMusical Box
A história do órgão Hammond e das caixas Leslie

Smashing Pumpkins: Corgan revela o que fazer com tempo que lhe restaSmashing Pumpkins
Corgan revela o que fazer com tempo que lhe resta


Sobre Maurício Gomes Angelo

Jornalista. Escreve sobre cultura pop (e não pop), política, economia, literatura e artigos em várias áreas desde 2003. Fundador da Revista Movin' Up (www.revistamovinup.com) e da revrbr (www.revrbr.com), agência de comunicação digital. Começou a escrever para o Whiplash! em 2004 e passou também pela revista Roadie Crew.

Mais matérias de Maurício Gomes Angelo no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336