Resenha - Native Tongue - Poison

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Ricardo
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.


Este é um disco que mostra um Poison um pouco diferente do que estamos acostumados. Não é aquele do Open Up And Say... Ahh!, ou do Look What The Cat Dragged In, ou mesmo do mais novo disco do quarteto, o Hollyweird. Com a saída de C.C., devido a tensões entre ele e Bret Michaelis, o Poison recrutaria o guitarrista iniciante Richie Kotzen, que já tinha ótimos trabalhos solo gravados, como Fever Dream. O novo som da banda se mostraria mais encorpado e com uma dose extra de virtuosismo, com as influências mais marcantes de blues de Kotzen. Um disco diferente, mas mesmo assim, um excelente disco.
330 acessosRichie Kotzen por Márcio Guerra Canto: viagem leve e engraçada5000 acessosLed Zeppelin: Perguntas e Respostas sobre a banda

O disco começa com uma vinheta, "Native Tongue", com uma batida bem tribal, dando o tom do tema do disco. A seguir, sem parada, somos presenteados com a ótima "The Scream", um ótimo hard rock bem naquele estilão melódico com blues, e com excelentes riffs de Kotzen. Bret Michaelis também está excelente aqui, sua voz nunca esteve melhor em qualquer outro disco da banda. Em seguida, uma diminuída no andamento para uma ótima balada da banda, "Stand", com direito a coro soul e tudo, ótima música, ótimos backings! A seguir a ótima "Stay Alive", com um ótimo groove, seguida por outra boa balada, "Until You Suffer Some (Fire and Ice)", com um excelente backing de Kotzen.

A seguir um excelente riff dá a intro da ótima "Body Talk", essa música é a que tem os melhores riffs do disco na minha humilde opinião, porém a próxima, "Bring It Home" não fica muito atrás, e Kotzen dá um show com sua voz de backing e solos matadores!! "7 Days Over You" também mostra uma batida pulsante, alegre, outra ótima música. Segue outra vinheta, "Richie's Acoustic Thing", um solo muito legal de Kotzen ao violão, a coisa acústica de Richie, como diz o título, já caindo em outro ótimo som, "Ain't That The Truth", bem bluesy, com um excelente groove e linhas matadoras de guitarra. A seguir, temos mais uma belíssima balada, "Theater Of My Soul", linda música.

A seguir, um ótimo riff, seguido por vocais dá início à excelente "Strike Up The Band". "Ride Child Ride" e "Blind Faith" mantém o ritmo e a pulsação, não acrescentam nada, mas também não atrapalham, e mantém o nível do disco. Para fechar com muito estilo o disco, nada melhor do que um bluezinho, "Bastard Son Of A Thousand Blues", onde a banda manda muito bem nos solos de gaita e guitarra, excelente música para fechar um excelente disco.

Após esse ótimo disco da banda, algumas divergências fariam com que Richie Kotzen abandonasse o Poison e seguisse sua carreira solo. Realmente uma pena, pois a união Kotzen-Poison resultou em um mais do que excelente trabalho, que poderia dar frutos a muitos mais, não querendo desmerecer o trabalho de C.C., que também manda muito bem a seu modo.

Um daqueles discos que qualquer fã inveterado de um bom rock deve ter em sua prateleira, pois é uma pérola rara do Poison.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

330 acessosRichie Kotzen por Márcio Guerra Canto: viagem leve e engraçada0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Poison"

VozVoz
10 músicos que cantam tão bem quanto os vocalistas (Parte I)

Por poucoPor pouco
15 rockstars que quase partiram dessa para uma melhor

Tempo implacávelTempo implacável
Os rockstars também envelhecem parte 1

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDs0 acessosTodas as matérias sobre "Poison"

Led ZeppelinLed Zeppelin
Perguntas e respostas e curiosidades

Edu FalaschiEdu Falaschi
Os dez vocalistas brasileiros preferidos dele

RaimundosRaimundos
O verdadeiro motivo para a saída de Rodolfo

5000 acessosMulheres no Rock: as mais importantes segundo rádio inglesa5000 acessosMalmsteen: Slash, Vai, Satriani e Wylde falam do guitarrista5000 acessosGóticas: 10 grandes bandas do gênero na Inglaterra dos anos 805000 acessosMachine Head: "esperarei pelo próximo disco do Metallica"5000 acessosBateristas: canhotos que tocam de forma diferente5000 acessosPower Metal: 10 álbuns essenciais do estilo

Sobre Ricardo

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online