Matérias Mais Lidas

imagemBeatles: A música que Paul McCartney compôs para calar a boca de Pete Townshend

imagemO hit dos Engenheiros sobre Humberto não querer ser guru dos jovens igual Renato Russo

imagemRoger Waters sobre tocar Pink Floyd sem David Gilmour: "Não tenho problema algum"

imagemTony Iommi diz que Geezer Butler sofreu acidente de barco e quebrou costela

imagemAs 10 músicas mais estranhas do Guns N' Roses, em lista do Ultimate Classic Rock

imagemBlaze achava que Bruce jamais voltaria para o Iron Maiden

imagemBatera do Polyphia perde click e técnico salva marcando o tempo em sua perna

imagemAs obscuras músicas favoritas do Red Hot Chili Peppers de John Frusciante

imagemO hit do Engenheiros do Hawaii frequentemente confundido com confissão de aborto

imagemDream Theater: confira possível setlist dos shows da banda no Brasil

imagemMaranhão Open Air anuncia line-up com 24 bandas em dois dias

imagemA opinião de Dave Mustaine sobre a clássica "The Unforgiven", do Metallica

imagemAudioslave: Tom Morello recorda seu sinistro primeiro encontro com Chris Cornell

imagemDez clássicos do thrash metal que não foram gravados pelo "Big Four" - Parte I

imagemCinco músicas lançadas após o ano 2000 que se tornaram clássicos do rock - Parte III


Dream Theater 2022

Resenha - Guilty as Sin - Brazen Abbot

Por Rafael Carnovale
Em 21/09/03

Nota: 8

Nikolo Kotzev já mostrara toda sua habilidade como compositor na ópera-rock "Nostradamus", que reuniu vários nomes do hard/metal em um cd duplo de arrepiar. Mas Nikolo é uma figura que não para de compor, e resolveu retirar seu projeto Brazen Abbot do armário, lançando mais um cd. Mas ele entrou em 2003 com um sério problema: apesar de ter músicas compostas, não conseguia escrever letras que se encaixassem no material que já estava preparado. Resolveu então contatar vocalistas renomados e que já trabalharam com ele anteriormente e deixar esta tarefa a cargo dos mesmos. E não é que deu certo? A presença de Jorn Land (Masterplan), Joe Lynn Turner (esse dispensa apresentações e o vocalista mais próximo a Nikolo) e Goran Edman (ex-Malmsteen) deu uma nova tônica ao disco, que ganhou forma, conteúdo e foi lançado.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"One Life to Live" mostra uma banda investindo no power com toques hard e Joe detonando nos vocais, embora sua performance seja ofuscada pela competentíssima "Eyes on the Horizon", aonde Jorn Lande dá as cartas, com seu vocal poderoso, e sua grande influência de David Coverdale. Já Goran Edman aparece mais contido, numa bela balada, "Like Jonah", com um falsete muito bem colocado.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Nikolo consegue admnistrar com competência as músicas gravadas por três vocalistas, criando uma ligação que não transforma o cd em numa trilogia cantada por três vocalistas. Fica o destaque para o hard de "I’ll Be Free" (cantada por Jorn Lande), com belas guitarras, a quase Deep Purple "Slip Away" (com um Joe Lynn Turner muito agressivo e teclados Hammond inconfundíveis) e a semi-balada "Bring the Colors Home" (com um show coletivo e os bons vocais de Goran).

O CD também traz faixas mais chegadas ao hard rock oitentista, como a moderna "Supernatural" (com belos teclados e a voz de Joe) e "A Whole Lotta Woman" (com Nikolo tocando guitarra inspiradíssimo e Jorn com seus vocais em destaque, numa levada que lembram muito "All Night Long" do Rainbow, principalmente no refrão).

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Um belo CD. Um trabalho que transita todo tempo entre o hard rock e o heavy metal, com três bons cantores (deixo a escolha do melhor para a galera no fórum) e uma banda que esbanja talento. Tomara que alguém se toque disso e lance esse cd no Brasil rapidamente.

Site oficial: http://www.home.aland.net/brazen.abbot

Line Up:
Joe Lynn Turner, Goran Edman, Jorn Lande – Vocais
Nikolo Kotzev – Guitarras, Teclados
Ian Hangland – Bateria
Mic Michaeli – Teclados
John Leven – Baixo

Lançado em 2003 pela SPV/Stealhammer Records.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Mick Jagger: em cerimônia na escola do filho em São Paulo

Oh, não!: clássicos do Rock Heavy Metal e que foram "estragados" pelo tempo


Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale.