Resenha - Guilty as Sin - Brazen Abbot

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rafael Carnovale
Enviar correções  |  Ver Acessos

Nota: 8


Nikolo Kotzev já mostrara toda sua habilidade como compositor na ópera-rock "Nostradamus", que reuniu vários nomes do hard/metal em um cd duplo de arrepiar. Mas Nikolo é uma figura que não para de compor, e resolveu retirar seu projeto Brazen Abbot do armário, lançando mais um cd. Mas ele entrou em 2003 com um sério problema: apesar de ter músicas compostas, não conseguia escrever letras que se encaixassem no material que já estava preparado. Resolveu então contatar vocalistas renomados e que já trabalharam com ele anteriormente e deixar esta tarefa a cargo dos mesmos. E não é que deu certo? A presença de Jorn Land (Masterplan), Joe Lynn Turner (esse dispensa apresentações e o vocalista mais próximo a Nikolo) e Goran Edman (ex-Malmsteen) deu uma nova tônica ao disco, que ganhou forma, conteúdo e foi lançado.

Motley Crue: Atriz pornô comenta sua relação com Tommy LeeHetfield: egos, Mustaine, Load e homossexualidade no Metallica

"One Life to Live" mostra uma banda investindo no power com toques hard e Joe detonando nos vocais, embora sua performance seja ofuscada pela competentíssima "Eyes on the Horizon", aonde Jorn Lande dá as cartas, com seu vocal poderoso, e sua grande influência de David Coverdale. Já Goran Edman aparece mais contido, numa bela balada, "Like Jonah", com um falsete muito bem colocado.

Nikolo consegue admnistrar com competência as músicas gravadas por três vocalistas, criando uma ligação que não transforma o cd em numa trilogia cantada por três vocalistas. Fica o destaque para o hard de "I'll Be Free" (cantada por Jorn Lande), com belas guitarras, a quase Deep Purple "Slip Away" (com um Joe Lynn Turner muito agressivo e teclados Hammond inconfundíveis) e a semi-balada "Bring the Colors Home" (com um show coletivo e os bons vocais de Goran).

O CD também traz faixas mais chegadas ao hard rock oitentista, como a moderna "Supernatural" (com belos teclados e a voz de Joe) e "A Whole Lotta Woman" (com Nikolo tocando guitarra inspiradíssimo e Jorn com seus vocais em destaque, numa levada que lembram muito "All Night Long" do Rainbow, principalmente no refrão).

Um belo CD. Um trabalho que transita todo tempo entre o hard rock e o heavy metal, com três bons cantores (deixo a escolha do melhor para a galera no fórum) e uma banda que esbanja talento. Tomara que alguém se toque disso e lance esse cd no Brasil rapidamente.

Site oficial: http://www.home.aland.net/brazen.abbot

Line Up:
Joe Lynn Turner, Goran Edman, Jorn Lande - Vocais
Nikolo Kotzev - Guitarras, Teclados
Ian Hangland - Bateria
Mic Michaeli - Teclados
John Leven - Baixo

Lançado em 2003 pela SPV/Stealhammer Records.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de CDs e DVDsTodas as matérias sobre "Brazen Abbot"


Motley Crue: Atriz pornô comenta sua relação com Tommy LeeMotley Crue
Atriz pornô comenta sua relação com Tommy Lee

Hetfield: egos, Mustaine, Load e homossexualidade no MetallicaHetfield
Egos, Mustaine, Load e homossexualidade no Metallica


Sobre Rafael Carnovale

Nascido em 1974, atualmente funcionário público do estado do Rio de Janeiro, fã de punk rock, heavy metal, hard-core e da boa música. Curte tantas bandas e estilos que ainda não consegue fazer um TOP10 que dure mais de 10 minutos. Na Whiplash desde 2001, segue escrevendo alguns desatinos que alguns lêem, outros não... mas fazer o que?

Mais matérias de Rafael Carnovale no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336