Resenha - Remedy Lane - Pain Of Salvation

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rodrigo Simas
Enviar Correções  

9


A cada novo CD Daniel Gildenlow parece se superar. "Remedy Lane" é lindo. Climático, bem mais denso que "The Perfect Element", progressivo, com uma personalidade absurda e muita originalidade. "Remedy Lane" traz mais uma vez o PAIN OF SALVATION em seus melhores momentos.

publicidade

As melodias e os arranjos criados pela banda dão um clima tão único à sua sonoridade que é difícil definir um estilo, sendo mais fácil dizer que é apenas PAIN OF SALVATION. As letras mantém o nível dos trabalhos anteriores, sendo este conceitual (dividido em três partes), narrando acontecimentos vividos por Daniel.

Destaque também para o baterista, Johan Langell, que tem um desempenho excelente nas 13 faixas que compõem o disco. Após o término das duas primeiras músicas podemos sentir toda a sua genialidade, numa sequência de faixas de dar calafrios: do primeiro capítulo destacam-se "Fandango" (melodias complexas), "A Trace Of Blood" e "This Heart Of Mine" (com uma interpretação vocal primorosa), passando para "Undertow" (que inicia a segunda fase), a pesada "Rope Ends" e a maravilhosa "Chain Sling" (talvez a melhor do CD). Ufa. O terceiro capítulo consegue ainda manter o ouvinte atento até a última música: "Beyond The Pale".

publicidade

Excelente. Um dos melhores CDs de heavy metal do ano. Facilmente.


Outras resenhas de Remedy Lane - Pain Of Salvation

Resenha - Remedy Lane - Pain Of Salvation




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Pain Of Salvation: Aquém, porém, ainda bom

Pain of Salvation: confira vídeo oficial de "Restless Boy", nova música da banda


Prog Metal: os 10 discos essenciais segundo o TeamRockProg Metal
Os 10 discos essenciais segundo o TeamRock

Metal Progressivo: os dez melhores álbuns do estiloMetal Progressivo
Os dez melhores álbuns do estilo


G.G. Allin: o extremo dos extremosG.G. Allin
O extremo dos extremos

Rob Halford: Ninguém escolhe ser GayRob Halford
"Ninguém escolhe ser Gay"


Sobre Rodrigo Simas

Designer, carioca e tricolor. Começou a ouvir música aos 11 anos, com Iron Maiden, Metallica e Rush. Tem como hobby quase profissional, a música. Além de produzir shows e eventos, trabalhou por 5 anos em loja especializada em Heavy Metal, e já escreveu para alguns sites e revistas de música. Hoje escuta de tudo um pouco, e cada vez mais descobre que existem apenas dois tipos de música: a boa e a ruim, independente do estilo. Bandas e artistas favoritos: Dave Matthews Band, Peter Gabriel, Rush, Iron Maiden, Led Zeppelin, Ben Harper, Radiohead, System of a Down... e a lista continua...

Mais informações sobre Rodrigo Simas

Mais matérias de Rodrigo Simas no Whiplash.Net.

WhiFin WhiFin