Resenha - A Predator's Portrait - Soilwork

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Anderson Guimarães de Carvalho
Enviar Correções  

9


Este é o terceiro cd desta maravilhosa banda sueca, que pratica muito bem o que chamamos de death metal melódico. Com tantas pessoas elogiando esse conjunto, entre elas Rob Halford, não pude deixar de ficar curioso em ouvir este CD.

Soilwork: banda está trabalhando em novo material

Vocalistas: belíssimos timbres de alguns cantores de rock

E que surpresa agradável! Isso é o que eu chamo de metal moderno, anos 90 (no bom sentido, claro). A agressividade contida nas 10 faixas do álbum é absurda! O vocal é rasgado, mas em alguns momentos fica grave lembrando a voz de Burton C.Bell (Fear Factory). Os guitarristas têm muito peso e criam ótimos solos, que algumas vezes lembram o grande Jason Becker, especialmente na faixa título, na qual o teclado também é o destaque.

A maior influência da banda, sem dúvida é o Carcass, como se pode notar na música Bastard Chain. Os órfãos do Carcass irão ficar fãs do Soilwork. Os destaques são Needlefast, Grand Failure Anthem e A Predator’s Portrait. Esse é um CD recomendado para TODOS os fãs de metal. Não importa se é Black, Death, Heavy, Epic ou se lá qual for a subdivisão que você se enquadra. É daqueles discos que você não consegue parar de ouvir, ouve em casa, no walkman, no carro e onde mais puder. A Predator’s Portrait é um disco obrigatório para qualquer fã de música pesada.


adWhipDin adWhipDin