Circus Maximus: nem só de black metal vive a Noruega

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Ricardo Cunha, Fonte: Esteril Tipo
Enviar correções  |  Ver Acessos

publicidade

Circus Maximus é uma banda de metal progressivo originária de Oslo, Noruega. Seu som assemelha-se ao de bandas como A.C.T, Evergrey, Queensryche, Symphony X e Dream Theater, entre outras. Começaram como uma banda cover, mas depois de duas demos muito bem produzidas assinaram com um o selo americano especializado em heavy metal, Sensory Records, que deu suporte para o lançamentos de um disco completo.

Rob Halford: 11 coisas que você não sabia sobre eleVícios: As 10 melhores músicas sobre drogas

O seu álbum de estreia, chamado The 1st Chapter, foi lançado em maio de 2005, mixado em diversos estúdios na Noruega e na Dinamarca pelo produtor Tommy Hansen (Helloween, Pretty Maids, Wuthering Heights). Em novembro de 2005, o membro-fundador Espen Storø decidiu deixar a banda por razões pessoais e foi substituído no início de 2006 por Lasse Finbråten (ex-membro da banda norueguesa Tritonus). Disco bastante maduro para um "primeiro álbum", com excelentes composições e uma boa dose de aproach!

Isolate, o segundo disco, e o favorito deste que vos escreve, mostra uma banda completamente amadurecida mostrando não apenas técnica apurada, mas trazendo composições complexas e cheias de nuances. Destaque para o vocalista Michael Eriksen, que além de haver encontrado um belo timbre vocal, interpreta as canções belissimamente. De um modo geral, todos na banda são exímios instrumentistas e juntos fizeram um disco que poderá se tornar clássico, um dia.

"Muito aconteceu em nossas vidas pessoais nos últimos anos", explica o baterista Truls Haugen. "Três de nós tivemos filhos, além disso, também tivemos vários solavancos na estrada com a produção. Portanto, não foi exatamente somente alegria, mas é ótimo finalmente haver feito um grande álbum, e depois de todo esse tempo, estar pronto para libertar nosso novo monstro! Para este novo disco, a banda apresenta o melhor de dois mundos - oferecendo os momentos mais melódicos e ao mesmo tempo mais pesados ​​de seu repertório, com a classe e a maturidade que é realmente de outro mundo. "A maioria do material no novo registro foi escrito por Mats Haugen e ele levou a música a uma abordagem mais simples e acessível, mas manteve os elementos progressivos e o "núcleo" disto que é o Circus Maximus", diz Truls Haugen. "Na verdade, somos mais melódicos e pesados ​​neste novo disco do que nunca".

O quarto álbum de estúdio mostra que o tempo tem o poder de redefinir todos os nossos referenciais, sejam eles quais forem, em função de nossos objetivos, que também estão sujeitos à mudanças. Havoc mostra a banda literalmente mais acessível e menos robusta quanto as suas marcas principais: a complexidade das composições (componente que melhor emprestava à banda características do progressivo) e o vocal (que a despeito de toda a sua capacidade de alcance, se mostra mais brando). Não que seja um disco ruim, é que parece mesmo se orientar para a abertura de público.]

"Em 6 de fevereiro de 2016, o Circus Maximus comemorou o lançamento de seu quarto álbum de estúdio, Havoc, com um show esgotado no Rockefeller em Oslo, com uma impressionante produção ao vivo que envolveu pirotecnia e uma enorme plataforma de iluminação. A banda queria fazer deste show uma das performances mais memoráveis da história do Circus Maximus e depois compartilhar essa noite com o mundo. Então, foi decidido capturar a noite inteira com várias câmeras de alta definição para um lançamento em Blu-Ray e DVD, além do tradicional CD. O resultado chama-se Havoc In Oslo."

Como o disco Ao Vivo foi inspirado na performance ocorrida no Japão pouco antes, e como não foi disponibilizado o vídeo Havoc In Oslo no YouTube, deixo-os com o belo vídeo de Live In Japan, que poder ser conferida abaixo.

Referências:

Facebook Official, YouTube Official, Wikipedia, Brave Words.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção MatériasTodas as matérias sobre "Circus Maximus"


Rob Halford: 11 coisas que você não sabia sobre eleRob Halford
11 coisas que você não sabia sobre ele

Vícios: As 10 melhores músicas sobre drogasVícios
As 10 melhores músicas sobre drogas

Classic Rock: as 10 melhores baladas dos anos 80Classic Rock
As 10 melhores baladas dos anos 80

Andre Matos: os primódios na música e no Heavy MetalAndre Matos
Os primódios na música e no Heavy Metal

Poeira: a fúria de Ian Anderson pra cima do Led ZeppelinPoeira
A fúria de Ian Anderson pra cima do Led Zeppelin

Polêmica: Cinco artistas inesperadamente Rock n' RollPolêmica
Cinco artistas inesperadamente Rock n' Roll

Megadeth: as estranhas histórias de turnê de Drover e BroderickMegadeth
As estranhas histórias de turnê de Drover e Broderick


Sobre Ricardo Cunha

Editor no site Esteriltipo - Marketing de Conteúdo.

Mais matérias de Ricardo Cunha no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336