Black N Blue

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Allan Jones
Enviar correções  |  Comentários  | 

O Black n’Blue é mais uma banda de hard rock dos anos 80. O que a difere das outras é o fato de não ter sido tão bem sucedida.

5000 acessosMemoráveis como a música: os 25 melhores logos de bandas5000 acessosTop 10 Guitarristas: matéria empolgada no Jornal da Globo

A idéia da banda surgiu em 1981, inicialmente batizada de Boogie Star, não demorou muito para eles perceberem que este nome não era o ideal.

Eram de Portland, cidade americana que fica localizada no estado do Oregon. Apesar da cidade não ter uma grande tradição de revelar bandas de rock, eles reistiram bravamente e entre muitas mudanças de line-up, a banda se estabilizou em 82 com Jaime St. James (vocals), Tommy Thayer (guitar), Jeff Warner (guitar), Patrick Young (bass) e Peter Holmes (drums).

Os rapazes coseguiram fazer bons contatos que lhes sugeriram que fossem para Los Angeles, a cidade que futuramente seria eleita a capital do hard glam. Lá eles conseguiram um contrato com a Geffen Records, que lançaria dois anos depois o primeiro disco da banda.

Neste álbum eles fazem um rockn’roll estilo Europeu, o que não agradou muito a mídia Americana. Com a desaprovação do público, eles resolvem mudar o estilo e caem de vez no hard Californiano que estava dominando as rádios.

“Without Love” é lançado em 85 e dá novos rumos à carreira da banda. Logo eles seriam apadrinhados por Gene Simmons que produziria os albuns seguintes da banda.

“Nasty, Nasty” foi lançado em 86 e teve uma grande divulgação. Com certeza é o álbum mais promovido da banda até hoje. Neste disco, a banda se mostrou muito influenciada pelo seu produtor, e os críticos chegaram a dizer que a banda estava se tornando um ridícula paródia do Kiss.

Não se importando com as críticas, eles seguiram em frente, lançando outro álbum na mesma linha. “In Heat” apareceu nas lojas em meados de 88 e não obteve êxito. A crítica estava acabando com a moral da banda, chamando-os de plagiadores e sem personalidade.

O público cedeu à pressão da crítica e começou a ignorar a banda, que não resistiu e se dissolveu em 1989. Cada um tentou montar sua própria banda em seguida, mas também não obtiveram bons resultados.

O guitarrista Tommy Thayer passaria a trabalhar na produção de discos. Quase duas décadas depois, ele começaria a trabalhar com o Kiss, que o convidaria para entrar na banda, substituindo Ace Frehley.

Em 2003, o Black n’Blue anunciou uma reunião, que não contaria com o guitarrista Tommy Thayer.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Black N Blue"

0 acessosTodas as matérias da seção Matérias0 acessosTodas as matérias sobre "Black N Blue"

Bandas de rockBandas de rock
O logo pode ser tão memorável quanto o maior hit

Top 10 GuitarristasTop 10 Guitarristas
Matéria empolgada no Jornal da Globo

GuitarpediaGuitarpedia
Os 10 riffs de guitarra mais complicados da história

5000 acessosBandas Novas: 10 coisas que vocês jamais devem dizer no palco5000 acessosIron Maiden: Bruce Dickinson e sua preferência pelo Brasil5000 acessosLemmy: sob investigação, em 2008, por exibir insígnia nazista5000 acessosMetallica: Segundo Mustaine, James, Cliff e Kirk iam demitir Lars5000 acessosNirvana: O equipamento de Kurt Cobain2930 acessosRosie: a saga do nome, quase sempre ligado à putaria no Rock

Sobre Allan Jones

É carioca, tem 23 anos e ouve rock desde pequeno. Suas principais influências são dos anos 70 e 80. Fez vários trabalhos relacionados ao rock, desde programas de rádio até promoção de eventos. Além disso, é músico e também faz trabalhos relacionados ao teatro. Oficialmente trabalha para a secretaria de fazenda de uma prefeitura de um município do Rio. Atistas prediletos: Kiss, Alice Cooper, Van Halen, Todd Rundgren, Asia, Kansas, Journey e as bandas do cenário do hard oitentista.

Mais matérias de Allan Jones no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online