Pixies

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Enviar correções  |  Ver Acessos

Biografia originalmente publicada no site Dying Days

Dinho Ouro Preto: "É assustador ver todo o rock ficar de direita"Megadeth: Perguntas e respostas e curiosidades diversas

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Por Alexandre Luzardo

O Pixies é, sem dúvida alguma, uma das bandas mais originais e influentes que apareceram nos anos 80. Junto com Hüsker Du e Sonic Youth, o grupo capitaneou o renascimento do circuito de Rock alternativo norte-americano. Com um som que mesclava elementos básicos do punk Rock, surf music, noisy guitar, passando mesmo pela suavidade da música pop., o Pixies fez história e ficará para sempre na memória daqueles que se achavam meio deslocados entre os hard Rock farofas que reinavam nos anos 80.

A banda foi formada em Boston, Massachusetts, no começo de 1986, por Charles Thompson - que depois mudaria seu nome para Black Francis - nos vocais e guitarra base, e seu companheiro de quarto na universidade Joey Santiago na guitarra base.

Através de um anúncio nos classificados encontraram Kim Deal, uma baixista de Ohio, que tocara antes em sua cidade natal numa banda chamada Breeders com sua irmã, Kelly. Pouco depois recrutaram o baterista David Lovering (amigo de Deal), e assim formaram os Pixies. Reza a lenda que o nome da banda foi tirado aleatoriamente do dicionário por Joey (o nome significa "fadas", "duendes"). Foi também nessa época que Charles resolveu, inspirado por Iggy Pop, mudar seu nome para Black Francis.

Em 1986, os Pixies estavam tocando em Boston, num show com a banda co-irmã Throwing Muses da guitarrista Tanya Donnevy - que mais tarde participaria das Breeders. O empresário dos Muses, Gary Smith, que estava na platéia e gostou muito do som do Pixies, ofereceu-lhes a gravação de um disco. Em março de 1987, a banda grava 17 músicas (em 3 dias!). Essa demo ficaria conhecida como "The Purple Tape". A demo acaba caindo nas mãos de Ivo Watts, um dos donos do selo inglês 4AD Records, que na época também era gravadora das Throwing Muses. Impressionado com o material, Watts contrata os Pixies e lança um EP chamado "Come On Pilgrim", que possui 8 das 17 faixas da demo original de "The Purple Tape".

No ano seguinte, a banda entra em estúdio para a gravação do seu primeiro LP, ao lado do produtor Steve Albini. O álbum "Surfer Rosa" é lançado na primavera de 1988 e recebe ótimas críticas. A banda passa a ficar mais conhecida e acaba trocando de selo, indo para a Elektra Records. Curiosidade nos dois primeiros álbuns dos Pixies: a baixista Kim Deal assinava seu nome como Mrs. John Murphy. Inclusive, a única música composta por ela em todo repertório do álbum "Sufer Rosa", "Gigantic", é assinada por Murphy. Kim Deal só usaria seu próprio nome a partir de "Doolittle", já pela Elektra.

No final de 1988, a banda volta ao estúdio. Dessa vez, o produtor escolhido foi o Inglês Gil Norton. O disco "Doolitle" é lançado na primavera de 1989, e é, certamente, o melhor da banda, além de ser um dos melhores discos de Rock alternativo de todos os tempos. Puxado pelo forte apelo comercial de "Monkey Gone to Heaven" e "Here Comes Your Man", o disco faz bastante sucesso e acaba indo parar no Top 10 inglês. Importante frisar que, apesar de algumas músicas mais comerciais, o som da banda continuava o mesmo: músicas simples e curtas, excelentes melodias e sonoridades inusitadas, como a nítida influência latina em várias canções. A turnê "Sex and Death" é muito bem sucedida, principalmente na Europa. As apresentações ao vivo da banda eram marcadas pela performance de Black Francis, que quase nunca se dirigia a platéia. Deixando que a baixista Kim Deal apresentasse as canções e divertisse o público. A banda também ficou conhecida por algumas extravagâncias como, por exemplo, tocar o set list dos seus shows em ordem alfabética. E claro, pela extravagância maior: o próprio Black Francis.

Em 1989, a banda resolve dar um tempo e alguns dos integrantes resolvem levar adiante alguns projetos paralelos. Kim Deal, ao lado de Tanya Donnevy (Throwing Muses) e Josephine Wiggs (Perfect Disaster), ressuscita o The Breeders e lança o álbum "Pod" em 1990. Esse disco tem a produção de Steve Albini e foi lançado pelo ex-selo do Pixies, o 4AD Records. Black Francis parte para uma pequena turnê solo.

Ainda neste ano, a banda volta a se reunir para a gravação de mais um disco. Sob a produção de Gil Norton, "Bossanova" é lançado no final de 1990 e segue a mesma linha dos discos antecessores. Talvez a única diferença seja que esse álbum tenha uma influência maior de surf Rock, gerando hits como "Allison", "Dig For Fire" e a instrumental de abertura "Cecilia Ann". Nas músicas "Velouria" e "Is She Weird" ouvimos um Theremin (instrumento que ficou conhecido nas mãos de Jimmy Page, do Led Zeppelin, introduzido no Rock por Brian Wilson dos Beach Boys no álbum "Pet Sounds"), tocado por Robert Brunner. Ainda neste ano, o grupo é um dos headliners do Reading Festival, na Inglaterra.

Nessa época não dava mais para esconder que Black Francis e Kim Deal não se davam mais muito bem. No disco "Bossanova" a participação nos vocais de Kim Deal foi bastante reduzida. A baixista chegou a dizer publicamente que a banda estava no fim.

Apesar dos boatos de sua desintegração, a banda se junta uma vez mais para a gravação de um novo disco, novamente com a produção de Gil Norton. O disco "Trompe Le Monde" é lançado em 1991, fazendo bastante sucesso. Dessa vez, as músicas possuem um acento mais hard-rock, sem deixar de lado a sonoridade que já era a marca registrada da banda. Muitos chegaram a dizer na época do lançamento que essa influência hard Rock vinha da presença de Ozzy Osbourne em um estúdio próximo. Novamente Deal é deixada de lado nas composições e nos vocais. O álbum trás também uma cover da banda inglesa Jesus and the Mary Chain, "Head On".

Depois de abrir os shows do U2 na turnê ZooTV, a banda resolve dar uma nova parada. Deal aproveita para gravar um EP com o The Breeders (chamado "Saffari" e lançado na primavera de 1991). Nesse período Black Francis aproveita para gravar um disco solo.

Um pouco antes do lançamento desse disco solo (o disco iria se chamar "Frank Black"), em 1992, Francis dá uma entrevista a BBC dizendo que o Pixies tinha terminado. Os outros membros da banda ainda não sabiam disso, mas tampouco desmentiram o fato, provando que a relação entre Deal e Francis realmente não era mais suportável.

Black Francis muda seu nome para Frank Black e começa então a sua carreira solo. Já lançou cinco discos, destacando-se "Teenager of the Year" (de 1994) e "Cult of Ray" (de 1996). Kim Deal gravou mais um álbum com o The Breeders chamado "Last Splash", lançado em 1993. O disco acabou se tornando muito bem sucedido comercialmente, e puxado pela música Cannonball chegou a ganhar disco de Platina nos EUA. O sucesso da banda de Kim Deal meio que ofuscou a carreira solo de Frank Black. Mas os problemas com drogas da irmã de Deal, Kelly, acabaram interrompendo a carreira da banda abruptamente, após o festival Lollapalooza de 1994. Pouco tempo depois Kim Deal montou a banda The Amps com o baterista Jim Macpherson das Breeders. The Amps também teve vida curta e lançou apenas um disco, "Pacer", em 1995. Já o guitarrista Joey Santiago, depois de participar dos primeiros álbuns solos do Frank Black, formou em 1997 com o baterista David Lovering o conjunto The Martinis, cujo único registro pode ser ouvido na trilha sonora do filme "Empire Records".

Sobre o Pixies, foram lançado recentemente dois álbuns: "Death to the Pixies" (1997) é uma coletânea dupla, sendo um CD de maiores sucessos, e o segundo um disco ao vivo. "Pixies at the BBC" (1998) é ao vivo e traz material tirado das apresentações da banda nos famosos estúdios da BBC, em Londres.


Em 2004 o Pixies se juntou novamente para uma única turnê mudial. Após várias apresentações nos Estados Unidos, culminaram com um show na Califórnia, tocando antes de ninguém menos que Radiohead.

Vieram então à Curitiba, sendo esta a única apresentação na América do Sul, no Curitiba Pop Festival. Especula-se que a vinda da banda à Curitiba deva-se à Kim Deal, que no ano anterior tocou no mesmo festival, com o Breeders, ficando feliz com o entusiasmo dos fans.

Uma curiosidade: foram colocados somente oito mil ingressos para o show do Pixies em Curitiba, que se esgotaram em menos de uma hora, isto mais de um mês antes do show. Por este motivo, foi modificado o lugar do show e colocados mais doze mil ingressos a venda. Vale destacar ainda que apesar da aparente indiferença de Black e Santiago, contrabalanceados pelo entusiasmo de Lovering e, claro, Kim, o show foi antológico.

(Colaborou: Rafael Martins Bordinhão)




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Todas as matérias da seção MatériasTodas as matérias sobre "Pixies"


Rate Your Music: os melhores discos de todos os temposRate Your Music
Os melhores discos de todos os tempos

Rolling Stone: lista das melhores músicas sobre sangueRolling Stone
Lista das melhores músicas sobre sangue


Dinho Ouro Preto: É assustador ver todo o rock ficar de direitaDinho Ouro Preto
"É assustador ver todo o rock ficar de direita"

Megadeth: Perguntas e respostas e curiosidades diversasMegadeth
Perguntas e respostas e curiosidades diversas


adClio336|adClio336