Sodom: resenha e fotos do show no Carioca Club

Resenha - Sodom (Carioca Club, São Paulo, 07/04/2012)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Fuganti
Enviar Correções  











Após 3 anos longe do Brasil, e em plena tour do CD "In War and Pieces", os alemães do SODOM, que ao lado de KREATOR, e DESTRUCTION formam a famigerada "Santíssima Trindade do Thrash Metal Alemão" aportaram mais uma vez em terras tupiniquins, com shows em Curitiba e São Paulo. E nada melhor que sair de casa em pleno sábado de aleluia pra prestigiar essa blasfêmica entidade germânica de 30 anos!

Fotos: Pierre Cortes

Por volta de 17h30 o MACHINAGE subiu ao palco para mostrar seu potente e empolgante Thrash Metal aos bangers paulistas, mas infelizmente, em função do horário, a casa estava praticamente vazia ainda. Tocaram músicas de seu Debut, de 2011, chamado "It Makes Us Hate" e impressionaram pelo profissionalismo da apresentação, com ótima presença de palco e solos muito bem encaixados. Vale lembrar que a banda está de malas prontas pra uma tour nos EUA entre junho e julho deste ano.

Os próximos a subir ao palco do Carioca foram os "muleques buceteiros" do RED FRONT. A casa estava já com um bom público, que inclusive manteve uma constante roda de bate cabeça durante a apresentação. Eu nunca havia visto um show deles, e fiquei impressionado com a energia que a banda libera no palco em forma de Thrash Metal! Outra coisa a chamar a atenção também é a interação da banda com o público. E pra quem acha que metal é apenas fazer cara de mau e ser sério, recomendo ir a um show deles... entre uma música e outra, o vocal Leo solta uma pérola melhor (ou pior) que a outra. Tocaram músicas da sua demo, de 2009 e do debut "Memories of War" de 2010, além de um excelente cover de "Territory", do SEPULTURA. O momento mais cômico se deu antes da música "Killer", em que a banda apresentou seu convidado, um boneco EMO com a cara do Pelanza, do Restart, que foi devidamente jogado na pista e destruído pela galera. Em outro momento, o próprio guitarrista desceu do palco pra organizar o "wall of death" durante a última música, "Circle of Hate", e ficou tocando lá de baixo!

Ao fim do show do RED FRONT a casa já estava lotada, com a galera berrando a plenos pulmões o nome da apresentação principal e intercalando com o tradicional "olê olê ", o que dava uma pequena amostra do que ainda estava por vir!

Às 19h40, Tom Angelripper, (baixo/vocal), Bernemann (guitarra) e Makka (bateria) adentram o Carioca Club, para deleite dos bangers presentes ao som de "In War and Pieces", música que está no último CD da banda. Já de inicio o público participou ativamente, cantando a plenos pulmões o refrão da música, fato que se repetiu durante todo o show. "Sodomy and Lust", do EP "Expurse of Sodomy" de 1987 foi a próxima, seguido pela cadenciada e pesada "M-16". A banda ao vivo é fenomenal, Angelripper, do alto dos seus mais de 2m de altura é um excelente frontman, e o guitarrista Bernemann demonstra muita simpatia, além de agitar bastante.

Diretamente do clássico EP de estréia da banda, "In the Sign of Evil" foi tocada "Outbreak of Evil". Hora da homenagem ao RAMONES, "Surfin' Bird" em forma de Thrash Metal!

A interação entre banda e publico foi de arrepiar e a roda de mosh aberta no começo do show persistiu até o final.

"The Saw is the Law" foi outra com maciça participação do público no refrão, seguida por mais uma homenagem, desta vez ao MOTORHEAD, com "Iron Fist", seguida por "Proselytism Real", do primeiro álbum da carreira dos Alemães, "Obsessed by Cruelty", de 1986. O show prosseguiu com mais uma nova, "The Art of Killing Poetry", seguida por "City of God", do disco de mesmo nome, de 2006. O banda fez um ótimo set-list, cobrindo todas as fases, mas as décadas de 80/90 tiveram mais ênfase. "Blasphemer" (mais uma do primeiro EP), "Eat Me" e a ótima "Napalm in the Morning" precederam a clássica "Agent Orange".

Hora da banda se retirar do palco pra uma rápida e merecida pausa para eles e para o público. Poucos minutos depois voltam tocando "Remember the Fallen" e terminam o show com a clássica "Bombenhagel".

O saldo final foi extremamente positivo, boas bandas de abertura e uma banda consagrada - uma verdadeira instituição do metal mundial - tocando por mais de 1h30 pra um público headbanger fanático por metal! Que venham mais celebrações como essa!

Red Front

1- Institutions Down
2-Just a Game
3- Devil's Son
4- Territory (sepultura)
5- Killer
6-Circle of Hate (wall of death)

Sodom

In War and Pieces
Sodomy and Lust
M-16
Outbreak of Evil
Surfin' Bird
The Saw is the Law
Iron Fist
Proselytism Real
The Art of Killing Poetry
City of God
Blasphemer
Eat Me
Napalm in the Morning
Agent Orange

Encore:
Remember the Fallen
Bombenhagel