Richie Kotzen: show na base do improviso e do acústico

Resenha - Richie Kotzen (Blackmore Rock Bar, São Paulo, 11/03/2011)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Ana Clara Salles Xavier
Enviar correções  |  Comentários  | 

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.

Sabe o pessoal que mora nos Estados Unidos ou na Europa, que quando está afim de ouvir boa música é só atravessar a rua, entrar num bar e dar de cara com um rockstar sentado num banco, tocando violão e cantando? Pois foi mais ou menos isso que o pessoal que compareceu no show do RICHIE KOTZEN presenciou na última sexta-feira 11/03 no Blackmore

2711 acessosSlash: ele não tem afinidade com Poison e cena glam metal anos 805000 acessosSeparados no nascimento: Phil Lynott e Tiririca

O primeiro show do KOTZEN em São Paulo foi na base do improviso e do acústico. Sem set list, sem instrumentos ligados na tomada e com a casa cheia, lá pelas 23:30, ele desceu para o palco (lógico que sob o som de muitos gritos), sentou no seu banquinho e começou a tocar, sem dizer boa noite nem nada. E na real, nem precisava. O show que se seguiu foi o suficiente pra deixar todo mundo de boca aberta. E mesmo num esquema simples, KOTZEN mostrou que tem muita, muita presença de palco.

Algumas músicas que rolaram não necessariamente na ordem: “I would”, “Rust”, “Don’t ask, “Remember”, “Angry boy”, “Best of times” e um cover do POISON “Until You Suffer Some (Fire and ice)”.

Enquanto tocava, KOTZEN continuava sem dirigir uma palavra ao público. Já esse, cantava absolutamente todas as músicas. Acho que não precisa dizer que a voz dele ao vivo é igual a que se ouve no CD e de como ele toca bem. Some-se tudo isso ao fato dele ser lindo e pronto: foi um show prato cheio para todas as meninas que estavam no Blackmore.

Em determinado momento da apresentação, desceram também ao palco o baixista DANIEL PEARSON e o baterista/percursionista MIKE BENNET. Juntos, os três tocaram “Change” e “High”. Essa última também foi um frisson no set list improvisado. Todo mundo cantou animadamente.

Por não ter um set pré-definido, foi possível que KOTZEN nos desse dois presentes. Uma, foi a “You can’t save me”, talvez a música mais clichê da sua carreira que também foi cantada em uníssono. E a segunda foi o cover do MR BIG, “Shine”. Os fãs agradeceram como sabem: cantando, batendo palma, ovacionando.

Outro cover também foi incluído no show. A linda “Fooled and fell in love”, do guitarrista de blues ELVIN BISHOP. Com a quantidade de agudos e falsetes de KOTZEN, deu pra notar mais uma vez que a voz dele é mesmo incrível. O cara canta sem aparentemente fazer o mínimo de esforço.

“Go faster” também animou o público num set que teve bastante baladinhas inclusas. “Larger than life”, "Love divine", “Doin’ what the devil says to do”, “Where did our love go” também foram tocadas durante a noite. RICHIE KOTZEN é um dos poucos caras que pode cantar tantas músicas de amor e coração partido sem parecer afeminado.

KOTZEN não poderia ter escolhido música melhor para fechar a noite. “Remember” com direito a emendar o finalzinho de “Let’s say goodbye” foi no mínimo épico. E também foi o momento de acender todos os isqueiros, levantar as mãos, enxugar as lágrimas e as meninas gritarem ‘lindo’.

Depois, ele agradeceu somente com um gesto e saiu do palco, simplesmente. Acho que também nem precisava de mais nada. Com um presente desses, KOTZEN deixou todo mundo babando e esperando ansiosamente pelo próximo show (dessa vez com toda a banda presente) que acontece no próximo sábado dia 19/03.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.


SlashSlash
Ele não tem afinidade com Poison e cena glam metal anos 80

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Poison"

Bret MichaelsBret Michaels
Appetite For Destruction é um de seus discos favoritos"

O tempo é implacávelO tempo é implacável
A turma do rock/metal não sabe envelhecer?

Bret MichaelsBret Michaels
Reveja os maiores constrangimentos do vocalista

0 acessosTodas as matérias da seção Resenhas de Shows0 acessosTodas as matérias sobre "Richie Kotzen"0 acessosTodas as matérias sobre "Mr Big"0 acessosTodas as matérias sobre "Poison"


Separados no nascimentoSeparados no nascimento
A bizarra semelhança de Phil Lynott e Tiririca

Música BrasileiraMúsica Brasileira
Quais os discos mais vendidos da história?

MilhõesMilhões
Os eventos com maior público da história da música

5000 acessosJohnny Z: Uma invejável coleção de heavy metal5000 acessosHeadbanger: mostre que você é true em qualquer oportunidade5000 acessosEm 16/01/1993: o Nirvana fazia um show catastrófico no Brasil5000 acessosJethro Tull: "Não somos uma banda de Rock"5000 acessosPink Floyd: "Another Brick In The Wall" como você nunca viu3372 acessosRaimundos: veja HQ baseada na letra de "Puteiro em João Pessoa"

Sobre Ana Clara Salles Xavier

Ana Clara Salles, 24 anos, paulistana. Fã do Guns n' Roses, Black Label Society, Judas Priest, Led Zeppelin e Beatles, no seu acervo musical tem espaço também para bandas dos anos 80 como Sisters of Mercy e Depeche Mode. Afinal, como já disse uma vez Friedrich Nietzsche: "sem música, a vida seria um erro".

Mais matérias de Ana Clara Salles Xavier no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em junho: 1.119.872 visitantes, 2.427.684 visitas, 5.635.845 pageviews.

Usuários online