Amorphis e Children of Bodom: dupla invasão Finlandesa

Resenha - Amorphis e Children of Bodom (Via Funchal, São Paulo, 12/09/2009)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Thiago Fuganti
Enviar correções  |  Ver Acessos

O texto representa opinião do autor, não do Whiplash.Net ou dos editores.
















Após uma "pausa" no inverno, em que os shows internacionais reduziram no Brasil (causado talvez pelos festivais de verão no hemisfério norte), eis que uma nova sequência de bandas está programada para tocar no país neste segundo semestre, a exemplo do que ocorreu na primeira metade do ano.

Fotos: Roberta Forster

No sábado, 12/09, coube aos Finlandeses das bandas Amorphis e Children of Bodom iniciar esta nova "temporada" de shows.

Quem chegou ao Via Funchal antes das 22h00 deve ter estranhado a aparente ausência do público - parecia que o show seria vazio -, e ao adentrar a casa, pelo menos em parte a impressão continuou, pois a pista estava lotada apenas da metade para frente, deixando um bom espaço para andar no meio do público na parte de trás.

Amorphis

As 22h, a som de uma rápida intro, os músicos do Amorphis entram em cena tocando "Leaves Scar", do ábum "Eclipse", de 2006, primeiro álbum com o excelente vocalista Tomi Joutsen. As próximas foram "Towards and Against" e "On Rich And Poor". A banda estava muito a vontade, e o destaque foi para Tomi Joutsen, que dominou o palco todo, agitando muito e tendo uma ótima interação com o público, que pelo contrário, não estava correspondendo a altura, mostrando-se muito parado durante boa parte do show,. A impressão foi de que a maioria estava ali por causa do Children of Bodom, e que não conheciam muito o som do Amorphis.

"Sampoo" foi a primeira do último CD, o ótimo "Skyforger", seguida por "The Smoke". Tomi então anuncia uma antiga e tocam "The Castaway", do clássico album de 1994, "Tales From the Thousand Lakes"

O som do grupo é um tanto quanto difícil de classificar, pois passeia entre o Death e o Progressivo, norteados por um forte clima Folk, e as músicas ao vivo ficam ainda melhores e mais pesadas. "Against Widows", "Alone" e "Silver Bride" deram continuidade ao ótimo porém curto show. A mágica "My kantele", "House of Sleep" e o clássico absoluto "Black Winter Day " encerraram esta primeira passagem da banda pelo Brasil.

O set list foi equilibrado, porém deixaram de fora músicas dos álbuns 'Tuonela" e "The Karellian Isthmus" e o único revez foi uma banda com o porte e história do Amorphis vir como banda de abertura, pois com certeza mereceria um show próprio, para o público próprio.

Children of Bodom

A bandeira com os dizeres "COBHC" no fundo do palco e os gritos de "OLÊ OLÊ OLÊ OLÊ, BODOM, BODOM" denunciava o início do show do Children of Bodom. A entrada foi triunfal e o público respondeu à altura. "Sixpounder", faixa do álbum "Hate Crew Deathroll", foi a encarregada de abrir o show.

A banda toda agita muito e o som - um misto de death com metal melódico e vocais berrados - é muito pesado ao vivo."Living Dead Beat", "Hellhounds On My Trail" e a primeiras das antigas, "Silent Night, Bodom Night" foram as próximas, tocadas com perfeição. O público estava ganho, e Alexi agradeceu, falando sobre a satisfação de voltar a São Paulo. O frontman foi um show a parte, agitando muito e falando mais ainda nos intervalos das músicas.

A pesadíssima "Hate Me!", do álbum "Follow The Reaper" fez o público agitar ainda mais, e "Needled 24/7", "Lake Bodom" e "Bodom After Midnight" continuaram o massacre. Alexi entao anuncia a faixa título do último álbum, "Blooddrunk", de 2009.

"Follow The Reaper" e a singular "Angels Don't Kill" cointinuaram o show e a sequência de músicas tocadas a seguir foi de arrepiar: "In Your Face", "Children Of Decadence" e "Bodom Beach Terror". A encarregada de fechar a noite antes do Bis foi "Downfall".

Alguns minutos depois, as "Crianças de Bodom" voltam ao palco e dão o tiro de misericordia com "Bed Of Razors" e "Hate Crew Deathroll". Esta última com maciça participação do público no refrão.

O Children of Bodom fez um ótimo show e mesmo sendo uma banda relativamente nova (seu primeiro álbum é de 1997) já agregou um público fanático, e com certeza crescerá ainda mais na cena.

Amorphis
01 - Skyforger Intro
02 - Leaves Scar
03 - Towards and Against
04 - On Rich And Poor
05 - Sampoo
06 - The Smoke
07 - The Castaway
08 - Against Widows
09 - Alone
10 - Silver Bride
11 - My Kantele
12 - House Of Sleep
13 - Black Winter Day

Children of Bodom
01 - Sixpounder
02 - Living Dead Beat
03 - Hellhounds On My Trail
04 - Silent Night, Bodom Night
05 - Hate Me!
06 - Needled 24/7
07 - Lake Bodom
08 - Bodom After Midnight
09 - Blooddrunk
10 - Follow The Reaper
11 - Angels Don't Kill
12 - In Your Face
13 - Children Of Decadence
14 - Bodom Beach Terror
15 - Downfall

Bis:
16 - Bed Of Razors
17 - Hate Crew Deathroll



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Amorphis"Todas as matérias sobre "Children Of Bodom"


Kryour: prestando tributo ao Children of Bodom em vídeo ao vivo

Tarja Turunen: vocalista reprova cover do Children Of Bodom no The VoiceTarja Turunen
Vocalista reprova cover do Children Of Bodom no The Voice

Os Headbangers não praticantesOs Headbangers não praticantes
Os Headbangers não praticantes

Children Of Bodom: o Slipknot detona!, diz Alexi LaihoChildren Of Bodom
"o Slipknot detona!", diz Alexi Laiho


Joey Ramone: em 1989 falando de Metallica, AC/DC e GN'RJoey Ramone
Em 1989 falando de Metallica, AC/DC e GN'R

Metal Sucks: Top 25 vocalistas do metal modernoMetal Sucks
Top 25 vocalistas do metal moderno

Fotos de Infância: Robert Plant, do Led ZeppelinFotos de Infância
Robert Plant, do Led Zeppelin

Demonstrações de afeto: fotos de rockstars que já se beijaram, parte 1Sarcófago: Wagner fala da banda, radicalismo, Ghost e muito maisGuns N' Roses: Axl Rose erra o carro, fica irritado e confusoCinema: Filmes com referências a rock

Sobre Thiago Fuganti

Catarinense, mas vive atualmente em São Paulo 'Chaos City'. Começou no metal com Iron Maiden, que até hoje acha a melhor banda do mundo, porém descobriu o lado extremo (black, death, doom) e não parou mais. Hoje em dia ouve muitos estilos, desde música clássica a death metal - passando pelas clássicas bandas de metal -, mas a ênfase mesmo fica com o Black Metal.

Mais matérias de Thiago Fuganti no Whiplash.Net.