Matérias Mais Lidas

Snowy Shaw: ex-King Diamond se oferece para substituir Marko Hietala no NightwishSnowy Shaw
Ex-King Diamond se oferece para substituir Marko Hietala no Nightwish

Metallica: TikToker que calou haters na guitarra agora tem patrocínio da Sully GuitarsMetallica
TikToker que calou haters na guitarra agora tem patrocínio da Sully Guitars

Rodolfo Abrantes: O sonho da minha mãe era eu voltar aos RaimundosRodolfo Abrantes
"O sonho da minha mãe era eu voltar aos Raimundos"

Soul Station: projeto de Paul Stanley com guitarrista brasileiro lança músicaSoul Station
Projeto de Paul Stanley com guitarrista brasileiro lança música

Carlinhos Brown: ele diz que provocou garrafadas no Rock in Rio 2001 e explica razãoCarlinhos Brown
Ele diz que provocou garrafadas no Rock in Rio 2001 e explica razão

Nirvana: Kurt Cobain cuspiu no piano de Elton John pensando ser de Axl Rose.Nirvana
Kurt Cobain cuspiu no piano de Elton John pensando ser de Axl Rose.

Kurt Cobain: ele não curtia Led Zeppelin e Aerosmith devido às letras machistasKurt Cobain
Ele não curtia Led Zeppelin e Aerosmith devido às letras machistas

Yngwie Malmsteen: aos 10 anos ele fazia solos de Blackmore e enganava os amigosYngwie Malmsteen
Aos 10 anos ele fazia solos de Blackmore e enganava os amigos

Jon Schaffer: Todd La Torre se diz chocado, mas não surpreso com atos do guitarristaJon Schaffer
Todd La Torre se diz chocado, mas não surpreso com atos do guitarrista

Saxon: banda divulga cover para a clássica Speed King, do Deep PurpleSaxon
Banda divulga cover para a clássica "Speed King", do Deep Purple

Guns N' Roses: Bumblefoot revela quais músicas mais gostava de tocar ao vivoGuns N' Roses
Bumblefoot revela quais músicas mais gostava de tocar ao vivo

Sebastian Bach: ele volta a criticar Chris Jericho e diz que wrestling é uma m*rdaSebastian Bach
Ele volta a criticar Chris Jericho e diz que wrestling é uma m*rda

Van Halen: Hagar garante que mais cedo ou mais tarde, show tributo a Eddie vai rolarVan Halen
Hagar garante que mais cedo ou mais tarde, show tributo a Eddie vai rolar

Accept: confira vídeo oficial de Zombie Apocalypse, mais uma música do novo álbumAccept
Confira vídeo oficial de "Zombie Apocalypse", mais uma música do novo álbum

AC/DC: Axl Rose sempre sugeria músicas esquecidas para shows (mas em cima da hora)AC/DC
Axl Rose sempre sugeria músicas esquecidas para shows (mas em cima da hora)


Matérias Recomendadas

Kerrang!: os 100 melhores álbuns de Rock em lista da revistaKerrang!
Os 100 melhores álbuns de Rock em lista da revista

Guitar World: os 100 piores solos de guitarra da históriaGuitar World
Os 100 piores solos de guitarra da história

Você sabe que o rock está moderninho quando...
Você sabe que o rock está moderninho quando...

O Whiplash.Net é um site lucrativo?
O Whiplash.Net é um site lucrativo?

Malmsteen: Slash, Vai, Satriani e Wylde falam do guitarristaMalmsteen
Slash, Vai, Satriani e Wylde falam do guitarrista

Stamp
Tunecore

Evergrey e Pain Of Salvation: Show como há muito não se via

Resenha - Evergrey e Pain Of Salvation (Via Funchal, 24/09/2005)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Lidiane dos Santos
Enviar Correções  











Acredito que todos aqueles que estiveram presentes na Via Funchal no dia 24 de setembro mal sabiam que sairiam de lá surpreendidos por show como há muito não se via em São Paulo. A banda brasileira Akashic e os suecos do Evergrey e do Pain of Salvation foram escaladas para o show que comemoraria os 15 anos da gravadora Hellion Records.

Fotos: Alexandre Cardoso (www.allfotos.fot.br)

O público reduzido não teve nenhum aspecto negativo. Claro que é ótimo ir a um show lotado, mas quem estava lá não era qualquer perdido. Não era aquela galera que vai a show sabendo cantar o refrão de apenas uma ou duas músicas; era um público que sabia muito bem o que queria e, aparentemente, não desperdiçaria suados 80 reais de seu ingresso.

Pouco depois das 21hs a banda do talentoso guitarrista Marcos de Ros, que ainda conta com Rafael Gubert no vocal, Fábio Alves no baixo, Éder Bergozza nos teclados, e Maurício Meinert na bateria, tomou o palco e mostrou a que veio. Apesar de alguns problemas no som, o Akashic não deixou a peteca cair, se mostrou muito à vontade e confiante. Abriram a noite com a música "For Freedom", e desde o começo deu para perceber que o público estava realmente curtindo, algo que, convenhamos, é muito difícil acontecer no show de uma banda de abertura, principalmente nacional. "Voices And Signs" e a excelente "Dove" do seu álbum de estréia "Timeless Realm" tiveram ótima recepção do público, além de serem executadas com maestria pela banda. Rafael é um grande vocal, fazendo linhas bem variadas para as músicas, utilizando bastante de graves e médios. Marcos De Ros dispensa comentários: consegue ser um cara muito técnico, sem ser fritador (algo característico do estilo) e toca com muita pegada. Éder comanda os teclados com competência e a cozinha formada por Fábio e Maurício mostrou-se bem entrosada. Do novo álbum ainda tivemos "Revealed Secrets" e "Be The Hero". A música "Heaven's Call", do álbum de estréia, encerrou a apresentação do Akashic, deixando uma ótima impressão para aqueles ali presentes e mostrando que pode sim ser uma banda de destaque na cena nacional.

Os próximos a subirem ao palco seriam os suecos do Evergrey, e que logo mais provariam ser outra agradável surpresa da noite. Boa parte do público conhecia os sons e cantou junto demonstrando o quanto a banda já é reconhecida aqui no Brasil. Muitos fãs foram embora quando acabou o seu show. O vocalista / guitarrista Tom S. Englund fez suas partes com competência e, muito carismático, ganhou o público logo de cara. O baixista Michael Håkansson, com um visual mais gótico e um semblante mais fechado, bateu cabeça o show inteiro, demonstrando seu envolvimento com a música. Henrik Danhage é um ótimo guitarrista, que também agitou muito durante todo o show. Rikard Zander (teclados) e Jonas Ekdahl (bateria), mesmo estando mais ao fundo do palco, demonstraram ter presença de palco - Jonas com seu timbre único na bateria, fez muitos fãs vibrarem! A única ressalva que faço é para o momento em que a banda tocou uma seqüência de três baladas ("Trilogy of The Dammed"), somente voz e piano, o que acabou matando o ritmo do show. Mesmo assim, o saldo foi positivo para ambos, público e banda: músicos extremamente competentes e carismáticos, num show que surpreendeu a muitos presentes. O pessoal da banda ficou circulando pela Via Funchal após o show, dando autógrafos e tirando fotos com os fãs, mostrando-se bastante solícitos e simpáticos.

Com o público devidamente aquecido, agora só faltava a ultima atração da noite. O Pain of Salvation foi recebido com grande expectativa: todos ali sabiam sobre a capacidade da banda em questão, a qualidade de composição, mas poucos esperavam o espetáculo que viria a seguir.

O som estava ótimo, a iluminação idem e, ainda por cima, rolavam imagens de um DVD que ilustravam as músicas tocadas. Tudo isso serviu de apoio para quem roubou a cena durante todo o show: Daniel Gildenlöw. O vocalista, guitarrista, compositor e líder do Pain Of Salvation provou que é uma jóia rara. Sem desmerecer o resto da banda, que durante todo o show foi super carismática, técnica e envolvida com o público, mas Daniel é o centro das atenções. Toda a melancolia, agressividade, beleza, que temos nos CDs do PoS estavam ali, naquele cara magricelo, que transmite tudo o que está na sua música para o público. Sua voz, sua guitarra e seu gestual são suas armas para manipular. E olhando com atenção para seu rosto, dava pra ver que ele sabia o que estava fazendo. Ele sabia o que estava causando na cabeça do público e, claro, parecia estar gostando muito daquela catarse coletiva.

A banda tocou, durante as 2 horas de show, músicas de todos os seus álbuns, já que nunca tinha estado em terras brasileiras antes e, portanto, os sons do último álbum, "Be", ficaram para o fim.

Mas como tudo que é bom tem um final, o show também teve o seu. Quem era fã do Pain of Salvation, ficou ainda mais fã depois desse dia. Quem não conhecia, ou passou a gostar muito da banda ou, no mínimo, vai respeitar quando alguém falar sobre.

O Akashic mostrou que tem futuro; o Evergrey fez um ótimo show; mas negar que o Pain Of Salvation foi o que mais marcou o público e a crítica seria pura tolice. Após um espetáculo como o que o Pain Of Salvation nos proporcionou na noite de 24 de setembro, tenho que mudar meu conceito sobre o que a música ou um show pode causar em alguém. "Bravo".

SET LIST AKASHIC:

For Freedom
Envy-Days
Voices And signs
Dove
Revealed Secrets
Be The Hero
Heaven's Call

SET LIST EVERGREY:

Intro
Blinded
End Of Your Days
More Than Ever
She speaks To The Dead
Rulers Of The Mind
As I Lie Here Bleeding
Trilogy Of The Damned
When The Walls Go Down
Recreation Day
Words Mean Nothing
Solitude Within
I'm Sorry
A Touch Of Blessing
The Masterplan

SET LIST PAIN OF SALVATION:

Epilogue
Used
Diffidentia
!(Foreword)
Spirit of the Land
Inside
Second Love
Inside Out
Ashes
Of Two Beginnings
Ending Theme
Undertow
Brickwork Pt. I
Animae Partus
Deus Nova
Dea Pecuniae
Martius / Nauticus II
===================BIS=================
Oblivion Ocean
People Passing By


Baladas de Sangue
Receba novidades de Rock e Heavy Metal por Whats App

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Pain Of Salvation: Daniel Gildenlöw fala sobre os Mamonas AssassinasPain Of Salvation
Daniel Gildenlöw fala sobre os Mamonas Assassinas

Arte Gráfica: Designer brasileiro cria versões para clássicosArte Gráfica
Designer brasileiro cria versões para clássicos


Mayhem: banda levou restos humanos para o palco em 2011Mayhem
Banda levou restos humanos para o palco em 2011

Spin: as 30 melhores faixas instrumentais de todos os temposSpin
As 30 melhores faixas instrumentais de todos os tempos


Sobre Lidiane dos Santos

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, enviando sua descrição e link de uma foto.