Vader e WASP: Mais uma vez a banda de abertura se saiu melhor

Resenha - Vader e WASP (Jockey Lounge Bar, Curitiba, 05/06/2005)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Clovis Roman
Enviar correções  |  Ver Acessos










Quantas vezes você foi a um show de uma banda histórica, e no final, achou que a banda de abertura foi bem melhor? Boa parte de quem esteve no Jockey Lounge Bar neste domingo deve ter saído de lá com a impressão de que o Vader deveria ter sido a atração principal.

Originalmente publicado no site
http://www.ordernews.cjb.net

Para começar tudo, o Sad Theory subiu ao palco, e tocou apenas faixas do seu CD Madrigal Of Sorrow, como "Soothing Memories" e "Pain Poison Soul", que fechou a curta apresentação de apenas 5 músicas.

Estava na hora dos mestres do Death Metal, Vader. A banda costuma apresentar um setlist de 40 minutos, porém em Curitiba a banda foi obrigada a tocar ainda menos que isto. Então, foram apresentadas apenas nove músicas. O vocalista/guitarrista Peter sobe ao palco e fala "Boa Noite Curitiba, como estão vocês", num português claro e sem sotaque - a frase "Bem Vindos ao Inferno" precedeu o começo do ataque sonoro dos poloneses, com "Out Of The Deep". A banda passou sons de várias épocas, com músicas como "Crucified Ones", "Reborn In Flames" e a fabulosa "Carnal". Peter estava com uma roupa que lembrava a vestimenta de um padre, enquanto o baterista Daray tocava com uma camiseta da seleção Brasileira de futebol. Para encerrar a curtíssima apresentação, o vocalista grita "Do You Wanna Die?", já emendada com as batidas de bateria de Rainning Blood", do Slayer. A rodinha de pogo nesta derradeira canção ficou ainda maior. O Vader em meia hora fez uma apresentação histórica - e conseguiu ser mais convincente que o WASP.

Para encerrar a noite, a lenda do Hard Rock mundial, o WASP. Para os vários fãs presentes, o início não poderia ter sido melhor - um medley com canções como "On Your Knees", "Inside The Eletric Circus" e "Hate To Love Me". E a sequência de clássicos não parou por aí. Logo em seguida, vieram "Love Machine" e "Wild Child", que fez muita gente dançar - e cantar a todo folêgo seus refrãos. Mas uma coisa não parecia muito bem. O vocalista/guitarrista Blackie estava visivelmente irritado e periodicamente ia ao lado do palco reclamar de algo. E sua raiva foi aumentando no decorrer da apresentação. E já que estava com raiva, nada melhor que fazer a galera entoar o título da canção seguinte: "(Animal) Fuck Like A Beast". Pode acreditar, tinha até gente chorando nesta altura da apresentação. A sensacional "The Idol" foi a próxima, seguida de "The Real Me" - esta com o vocalista cantando a música em cima do pedestal (que era gigante e contava com molas em sua sustentação), usando uma maquiagem que brilha no escuro, criando um efeito interessante em sua face. Mais duas canções e a banda manda outro clássico memorável, "I Wanna Be Somebody". Tudo estava indo bem, não fosse o que aconteceu no final desta música. O baterista levanta, pega um pedestal (com o prato e tudo) e começa a batê-lo num microfone, e num dos canhões de luz (que é caríssimo) - depois o joga no chão e sai com um ar revoltado. Blackie apenas diz "Good Night", e sai do palco também não muito contente. E assim terminou a apresentação, com um pouco menos de 1h de duração - apenas uma dezena de músicas foi apresentada. "Blind In Texas", que foi pedida várias vezes pelo público, não foi tocada. Um fim melancólico para um show que teria sido histórico - não fosse o anti-profissionalismo dos americanos.

Mais uma vez a banda de abertura se saiu melhor - o Vader apostou apenas na música, e o resultado final foi muito superior ao WASP, que contou com troncos de árvore, pedestal personalizado e carne viva, mas que com toda sua afetação, destruiu um show que poderia ter sido memorável - esta noite será sempre lembrada pela estupidez de Blackie e compania, e pela competência do VADER.



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "W.A.S.P."Todas as matérias sobre "Vader"


Chris Holmes: Lemmy não me quis no Motörhead por minha alturaChris Holmes
"Lemmy não me quis no Motörhead por minha altura"

Anos 90: bandas de hard rock e metal que decepcionaram os fãsAnos 90
Bandas de hard rock e metal que decepcionaram os fãs


Monsters of Rock: a feijoada que quase derrubou King DiamondMonsters of Rock
A feijoada que quase derrubou King Diamond

Nirvana: quem é o bebê da capa de Nevermind?Nirvana
Quem é o bebê da capa de Nevermind?


Sobre Clovis Roman

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.