Capital Inicial: Show com repertório baseado no último e grande álbum

Resenha - Capital Inicial (ATL Hall, Rio de Janeiro, 26/10/2003)

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Anderson Guimarães e Luiz Henrique Mendes
Enviar correções  |  Ver Acessos





Fotos: Anderson Guimarães

Sábado à noite e show do Capital Inicial na cidade, nossa equipe não teve dúvidas em cobrir ou não o evento, especialmente por ser na melhor casa de shows do país. O ATL Hall (agora Claro Hall) possui uma infra-estrutura de primeiro mundo. Seria nota dez, se não fosse pela já famosa (falta de) educação dos "seguranças".

Mas este pequeno detalhe não conseguiu tirar o brilho da noite. Aproximadamente 8 mil pessoas lotaram até o camarote da casa para prestigiar a banda. O Capital Inicial entrou no palco deixando os fãs em polvorosa com a música 1.200 volts. O vocalista Dinho Ouro Preto é um cara que não para um segundo, pula de um lado para o outro, conversa com a galera, dá a mão aos fãs e canta fielmente aos álbuns da banda.

É preciso ressaltar que o Capital Inicial é seguramente a maior banda de Rock N' Roll do Brasil. O álbum "Acústico Mtv" tirou-os do ostracismo e fez a banda voltar com material inédito no ótimo "Rosas e Vinho Tinto". O show deles é muito bom, tecnicamente perfeito e com a banda extremamente entrosada. A parte de som e luz também estava impecável.

O repertório não poderia ser melhor, pois contou com os maiores clássicos do grupo. Do acústico, tocaram "Tudo o que vai", "Eu vou estar", "Passageiro", "Veraneio Vascaína", "Independência" e os grandes sucessos: "Natasha", "Primeiros Erros" e "Fátima".

Porém nada mais justo do que basear o repertório no último e grande álbum. E foi uma grata surpresa ver como o público delirou em músicas como "Á Sua Maneira" (muito tocada em rádios), "Quatro Vezes Você", "Olhos Vermelhos" e "Mais". Estas músicas foram muito bem recebidas pela galera. Uma das mais celebradas foi "Que país é esse?" da Legião Urbana. Basicamente TODOS os presentes na pista pularam no refrão dessa música.

O ex-Viper Yves Passarell tem uma presença de palco muito melhor do que Loro Jones e a escolha não poderia ter sido melhor. Os irmãos Fê e Flávio Lemos são uma das cozinhas mais seguras do rock nacional.

Parabéns ao grande público que agitou sem brigas e á banda pelo profissionalismo e grande espetáculo. Ah, e para você que não foi, meus mais sinceros pêsames... Você não sabe o que perdeu!

Agradecimento especial a Bianca Senna (ATL Hall).



GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Resenhas de ShowsTodas as matérias sobre "Capital Inicial"


Dinho Ouro Preto: o problema do Restart são as letrasDinho Ouro Preto
"o problema do Restart são as letras"

Veraneio Vascaína: Uma ácida crítica à polícia brasileiraVeraneio Vascaína
Uma ácida crítica à polícia brasileira


Mini Iron Maiden: tocando Ghost Of The Navigator na escolaMini Iron Maiden
Tocando "Ghost Of The Navigator" na escola

Metal Sucks: Top 25 vocalistas do metal modernoMetal Sucks
Top 25 vocalistas do metal moderno


Sobre Anderson Guimarães e Luiz Henrique Mendes

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, enviando sua descrição e link de uma foto.

adWhipDin