Dream Theater se afasta do progressivo em 'Train of Thought'

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Fonte: Folha Online
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 12/11/03. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Se você é fã de metal progressivo e mudou seu conceito sobre música durante os anos 90 com a evolução da banda norte-americana Dream Theater, é bom voltar a vasculhar prateleiras ou armazéns de MP3 pela web em busca de algo inovador, melódico e agradável.

1035 acessosDream Theater: "Pull Me Under" é a mais importante da banda5000 acessosOs roqueiros mais chatos das redes sociais

Com seu novo álbum "Train of Thought", lançado hoje nos Estados Unidos, a banda resgata o tom obscuro de "Awake" (1994), mas se afasta completamente da complexidade harmônica e melódica que caracterizou seu som no início dos anos 1990 e a partir de 1999, com o álbum "Scenes From a Memory" e o novo tecladista Jordan Rudess.

Músicas do álbum já estão circulando na internet em softs de download como o Kazaa. No site oficial da banda, que mudou de visual e permaneceu instável durante todo o dia, é possível baixar a versão para rádio da música "As I am", que abre o álbum.

Nada original. O teclado de Jordan Rudess continua a lembrar bastante o do projeto paralelo "Liquid Tension Experiment". Em "Vacant", por exemplo, os primeiros minutos de piano logo são substituídos por riffs pesados e simplórios da guitarra de John Petrucci. A melodia repetitiva das letras e os efeitos "manjados" usados pelo vocalista James LaBrie ficam abaixo do esperado.

John Myung parece ter encarnado definitivamente o papel de figurante: não duela mais com Petrucci, nem mostra tudo o que pode tirar de seu baixo. E Mike Portnoy, que sempre esteve à frente da banda com ritmos e viradas de tirar o fôlego, tira um som burocrático da bateria.

Frustra saber que os músicos da banda têm técnica e estrada suficientes para compor coisa muito melhor. Tudo parecia ter melhorado em 1999, com o ingresso do tecladista Jordan Rudess (ex-Dixie Dregs). O Dream Theater, com seu álbum monotemático "Scenes From a Memory", voltava ao estilo pomposo e trabalhado de seus primeiros álbuns.

Considerados os dois melhores discos da banda, "Images and Words" (1992) e "Awake" (1994) traziam como integrante o tecladista Kevin Moore, responsável pela maioria dos arranjos instrumentais. Mas antes mesmo da conclusão de "Awake", Moore resolveu deixar a banda e investir em um projeto solo pop (e bem interessante, diga-se de passagem): o Chroma Key. Recentemente, Moore se reaproximou da banda e participou do projeto paralelo OSI.

No lugar de Moore, assumiu Derek Sherenian, que participou do apático e comercial "Falling Into Infinity" (1997). Dois anos depois, o Dream Theater parecia retornar às origens com "Scenes From a Memory" (2001), com solos monumentais de Petrucci e ótimas harmonias nas mãos de Rudess. O álbum seguinte, o duplo "Six Degrees of Inner Turbulence" (2003), mantinha o tom inicial da banda, com trabalho instrumental, dinâmica e uma trilha de 41 minutos, composta por oito músicas "costuradas" umas nas outras, como se fossem uma só.

Agora, com "Train of Thought", mais uma fase de baixa, quem sabe pelo ritmo de produção exigido pela gravadora. Quem espera inovação em metal progressivo tem três alternativas: esperar o próximo álbum do Dream Theater, buscar outra banda ou então formar sua própria.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Dream TheaterDream Theater
"Pull Me Under" é a mais importante da banda, diz Petrucci

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Dream Theater"

Mike PortnoyMike Portnoy
Ele toparia tocar com o Dream Theater?

Blend GuitarBlend Guitar
Os dez solos de guitarra mais fáceis da história

Dream TheaterDream Theater
Rudess lista os álbuns que mudaram sua vida

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Dream Theater"

HumorHumor
Os roqueiros mais chatos das redes sociais

MegadethMegadeth
Recadinho provocante da vocal do Huntress

ShamanShaman
Fernando Quesada desabafa sobre cena brasileira

5000 acessosIron Maiden: ouça o baixo de Steve Harris isoladamente5000 acessosFotos de Infância: Jon Bon Jovi5000 acessosRush: Um Adeus Aos Reis5000 acessosLed: tem quem ame Peart ou Moon, mas Bonham é amado por todos3918 acessosHeavy Metal: as dez melhores bandas sul-americanas do gênero5000 acessosSlipknot: ouça "Duality" na versão do Asking Alexandria

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online