Dio discute aparição no filme "Pick of Destiny"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Vitor Rangel, Fonte: Blabbermouth
Enviar correções  |  Ver Acessos

Antigo líder do BLACK SABBATH, o ícone do heavy metal Ronnie James Dio, recorda a primeira vez que escutou sobre o Tenacious D - um duo cômico de metal com Jack Black e Kyle Gass - em 2001, quando eles lançaram "Dio", uma música que diz: "Dio botou pra quebrar por muito, muito tempo / Agora está na hora dele passar a tocha... Você é muito velho para fazer rock, chega de rock pra você!"

Kerrang!: os maiores mascotes do Heavy MetalSeparados no nascimento: Paul Stanley e Ioná Magalhães

"Alguém me chamou e disse, 'Você tem que escutar isso,'" disse Dio, 57 anos, o líder de longa data da banda que ganhou vários discos de platina. "'Eles querem que você pare.'"

Ao invés disso, a lenda do hard-rock escolheu interpretar a música pelo lado positivo. "A mensagem era, 'Nós realmente gostamos de você e quando a hora chegar, passe a tocha para a gente e nós iremos continuar o seu trabalho,'" ele disse.

Obviamente, como resultado da mente aberta e do senso de humor de Dio (que uma vez apareceu como desenho animado em um dos episódios de "South Park" para tocar o seu clássico "Holy Diver"), ele irá aparecer na comédia de rock, "Tenacious D: The Pick of Destiny".

No filme, Dio irá interpretar ele mesmo - um tipo de Yoda do heavy metal - que aconselha o pequeno Black sobre como fazer os seus sonhos de se tornar uma grande estrela do rock se realizarem. "O garoto está sentado numa cama e começa a cantar para um grande pôster meu - ele está me perguntando o que fazer, dizendo que o que ele realmente quer é o rock n' roll," Dio diz. "Então eu ganho vida e digo a ele: Vá para Hollywood onde você encontrará o seu parceiro e o rock n' roll para sempre."




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Cinema e TV"Todas as matérias sobre "Dio"


Kerrang!: os maiores mascotes do Heavy MetalKerrang!
Os maiores mascotes do Heavy Metal

Ronnie James Dio: em propaganda de Budweiser de 1983Ronnie James Dio
Em propaganda de Budweiser de 1983

Ronnie James Dio: os álbuns com o vocalista, do pior para o melhorRonnie James Dio
Os álbuns com o vocalista, do pior para o melhor

Rainbow: Dio teria sido convidado se estivesse vivo? Blackmore respondeRainbow
Dio teria sido convidado se estivesse vivo? Blackmore responde


Separados no nascimento: Paul Stanley e Ioná MagalhãesSeparados no nascimento
Paul Stanley e Ioná Magalhães

Slayer: fãs hardcore dão (literalmente) o sangue pela bandaSlayer
Fãs hardcore dão (literalmente) o sangue pela banda

Joey Ramone: em 1989 falando de Metallica, AC/DC e GN'RJoey Ramone
Em 1989 falando de Metallica, AC/DC e GN'R

Renato Russo: a história do maior nome do rock nacionalRenato Russo
A história do maior nome do rock nacional

Mascotes de bandas: GigWise elege os 14 mais famososMascotes de bandas
GigWise elege os 14 mais famosos

Nirvana: Jason Everman, que quase ficou famoso duas vezesNirvana
Jason Everman, que quase ficou famoso duas vezes

Nu Metal: os 9 melhores singles da históriaNu Metal
Os 9 melhores singles da história


Sobre Vitor Rangel

Um carioca apaixonado pela boa música que no momento está cursando o 5º período de Publicidade na PUC-Rio. Teve seu primeiro contato com o rock ainda na infância, quando sua irmã colocava os discos de Iron Maiden e Pantera no toca-fitas de sua casa. Nos últimos anos, tem se dedicado inteiramente à música e à guitarra. Sua banda favorita é Metallica e também é fã incondicional de Zakk Wylde, Steve Vai e John Petrucci. Escuta de tudo um pouco, desde Madonna até Sepultura. Espera que um dia o Metallica ainda venha fazer um show no Brasil e não tem vergonha em dizer que chorou no show do Black Sabbath, em 2004, no Ozzfest.

Mais matérias de Vitor Rangel no Whiplash.Net.

adClioIL