Stream Of Passion: "o resultado final será épico"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Marco Néo, Fonte: Brave Words & Bloody Knuckles, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

Eric Hazebroek, guitarrista do STREAM OF PASSION, deu notícias diretamente do estúdio:

"Terminada a gravação da bateria em tempo recorde, foi a vez dos guitarristas entrarem no Split Second Sound Studio em Tilburg e erguer a enorme parede de som distorcido (e às vezes não tão distorcido). Com dois guitarristas a questão é sempre deixar tudo em sincronia e na mesma afinação. Então, durante todo o período de pré-produção nós nos ocupamos com os detalhes até que todas as notas estivessem corretas e fossem tocadas de forma bem precisa".

"Começamos o primeiro dia carregando todo o equipamento pra dentro do estúdio, o que incluiu uma infinidade de guitarras e três cabeçotes de amplificadores. E tudo isso foi só uma adição a tudo o que já estava lá, já que Jochem tem um monte de amplis e guitarras diferentes. As horas seguintes foram utilizadas para conectar e testar tudo, mover os microfones, procurar o som certo. Com um Diezel, um Peavey 5150 e um Mesa Stiletto nós tivemos todos os sons de que precisamos".

"Era um domingo e o tempo se arrastou. E a temperatura caiu durante o processo até um ponto em que começou a nevar, algo que não acontece com muita freqüência na Holanda e, quando acontece, gera algumas conseqüências se a pessoa ainda tem que ir pra casa dirigindo. Em um determinado momento eu decidi ir embora mais cedo, já que o Steve era a pessoa que iria começar as gravações de guitarra, de qualquer jeito, e ainda por cima eu tinha uma jornada a fazer que normalmente levaria uma hora e quinze minutos. Três horas e meia depois eu finalmente cheguei em casa; inteiro, assim como meu carro".

"Eu voltei a Tilburg na quinta-feira. Steve havia gravado por vários dias e ergueu uma imensa parede para que eu tocasse. Eu tinha quatro dias para colocar o que aparentemente se tornou o meu 'rabisco' pessoal na guitarra. Um monte de partes um tanto quanto diversas. Desde partes melódicas até takes diferentes de riffs. A parede de Steve estava lá para que eu a pintasse, digamos assim".

"Jochem veio com resfriado, contudo, e nós decidimos dar a ele um pouco mais de tempo para se cuidar e se prevenir de uma inoportuna doença. Ajudou, mas pra mim acabou sendo uma estadia no estúdio mais caótica e traumática do que o esperado. Apesar desta mudança de planos nós nos divertimos no estúdio, já que Jochem é um cara legal e nós tivemos vários assuntos para conversar entre os takes de guitarra. Dois dias e meio depois todas as minhas partes já estavam prontas. E eu fiquei muito satisfeito com tudo o que adicionamos às gravações, já que deu uma cara diferente a tudo o que já estava lá. Adicionou uma nova dimensão; mais profundidade nas partes de guitarra. Parte do material havia sido escrita muito tempo antes de eu sequer entrar no estúdio, e outra parte foi mudada ali, na hora. Nós até compusemos algumas partes novas para complementar o material que eu tinha composto e gravado. No final das contas, vai ter muito o que ser descoberto no novo álbum do Stream of Passion, e no momento só estamos falando das guitarras. O resultado final será épico" :)

"Para todos os maníacos por guitarras: eu usei principalmente a minha guitarra de seis cordas customizada da Mayones Regius (EMG-85 no bridge e um Fernandes Sustainer próximo ao braço) para gravar as minhas partes. Mas para algumas partes eu também usei a Gretsch do Jochem (o modelo do AC/DC). Eu só tenho que voltar ao estúdio para adicionar algumas 'paisagens' e outras coisas estranhas; um 'tempero do Eric', pra ser mais preciso. ;) Depois disso a minha parte das gravações para esse álbum estará definitivamente terminada. Mal posso esperar para ouvir a mixagem final!"


Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal


GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Stream Of Passion"


Symphonic Metal: As dez cantoras mais influentes e impressionantesSymphonic Metal
As dez cantoras mais influentes e impressionantes


Guns N' Roses: transtorno bipolar, a doença de Axl RoseGuns N' Roses
Transtorno bipolar, a doença de Axl Rose

Robert Plant: quase saí do Led quando meu filho morreuRobert Plant
"quase saí do Led quando meu filho morreu"


Sobre Marco Néo

Nascido na primeira metade dos anos 70, teve seu primeiro contato com sons pesados quando o Kiss veio para o Brasil, em 83, mas não compreendeu bem o que era aquilo. A contaminação efetiva ocorreu um ano depois, quando conheceu Motörhead, Judas Priest, AC/DC, Iron Maiden. Desde então, tornou-se um apaixonado colecionador de tudo o que se refere a Metal e Rock'n'Roll, independentemente de subestilos.

Mais matérias de Marco Néo no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336