After Forever: lidando com a energia negativa com o HDK

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Márcio Alexsandro Pacheco, Fonte: BlabberMouth, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

Sander Gommans, compositor, guitarrista e co-fundador do AFTER FOREVER, concedeu uma entrevista para uma rádio falando sobre o seu projeto HDK (HATE DEATH KILL).

Bruce Dickinson: Ele lamenta não ter dado um soco em Axl RoseMegadeth: a canção que Dave Mustaine menos gosta

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

HDK terá seu álbum de estréia, "System Overload", em 23 de fevereiro na Europa e em 21 de abril na América do Norte.

Abaixo o track list:

01. System Overload
02. Request
03. Let Go
04. Terrorist
05. Pedestal
06. On Hold
07. Breakdown
08. March
09. Perfect
10. Fight Or Flight
11. Fine Lines

Sander comentou sobre a artwork: "A artwork do álbum da HDK representa a crucial parte frágil de um ser humano: o cérebro. Uma vez que todo o álbum trata sobre estresse, o cérebro é uma parte importante desse assunto. É incrível o quanto o cérebro pode aguentar, mas também como ele reage quando é sobrecarregado com informações. A obra baseia-se em tal situação. Com a utilização de scans do cérebro e outras fotos médicas, a atmosfera do encarte corresponde realmente à atmosfera da música!"

No que diz respeito à forma como o projeto surgiu, Sander comentou, "AFTER FOREVER sempre foi uma banda que é diversificada o suficiente para eu compor músicas. As coisas que eu compus para o AFTER FOREVER contém uma grande quantidade de estilos de metal e não-metal, a grande coisa sobre esta banda é que as pessoas esperam que cada álbum seja diferente, por isso é sempre interessante gravar um novo álbum. Contudo, desde o nosso primeiro lançamento, senti a necessidade de escrever coisas mais extremas. AFTER FOREVER já é uma das bandas mais agressivas com uma vocalista feminina, mas eu não quero usar o material extremo que tinha em mente para a banda, uma vez que não ia se enquandrar. Compor para o AFTER FOREVER tem sido muitas vezes um resultado positivo de energia, e eu precisava fazer alguma coisa com a energia negativa que eu estava começando a sentir depois de alguns problemas que encontramos com os lançamentos de 'Invisible Circles' e 'Remagine'. Como essa frustração foi crescendo e crescendo, eu decidi transformá-lo em canções, que viraram um som muito mais agressivo e experimental do que as coisas que tinha feito antes".

"Uma vez que as músicas tocam mais extremas do que eu pensava e continham uma série de metais pesados, eu pensei que teria que se tornar um projeto paralelo, em uma forma cínica. 'HATE DEATH' foi um nome que serviu para essa idéia cínica, mas eu comecei a perceber que a música realmente representa uma parte muito importante de mim e da minha vida, por isso, tornou-se muito mais séria. Mudei o nome para HDK, perguntando para Amanda Somerville [cantora e compositora americana que é mais conhecida pela sua colaboração com várias bandas de metal europeu, incluindo EPICA, AFTER FOREVER e EDGUY] escrever as letras para o projeto, com base nos assuntos que eu já tinha para cada canção. Todas elas são muito pessoais e descrevem o que acontece com alguém que está sob muita pressão".

"Eu não queria um álbum com sons guturais ou vozes masculinas limpas, ou gritos ou vocais femininos. Eu queria uma combinação de todos esses elementos, uma vez que todos eles representam emoções em sua própria maneira. Acho que essa é a única parte do projeto que você tem que pensar "fora da caixa" quando você ouvir, ele não se encaixa em qualquer estilo, mas acho que é uma combinação de todos os tipos de estilos de metal em uma forma extrema. Trabalhar em conjunto com todos esses grandes músicos foi uma experiência fantástica, sem eles eu nunca poderia ter feito este intenso álbum. Este álbum mostra um lado diferente de mim, e estou grato de ser capaz de libertá-lo".

"Se você gosta de diferentes tipos de metal (extremo) e você estiver procurando por uma combinação de estilos, você vai querer checar este álbum."

HDK tem contribuição dos seguintes músicos:

Amanda Somerville: vocais
André Matos (ex-ANGRA, SHAAMAN, VIRGO): vocais
Ariën van Weesenbeek (GOD DETHRONED): bateria
Joost van den Broek (SUN CAGED, AFTER FOREVER): teclados
Jos Severens (SUSTAIN): vocais
Patrick Savelkoul (CALLENISH CIRCLE): vocais
Paul Niessen (I WITNESS): vocais
Peter Vink: bass
Sander Gommans: guitarra, vocais.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "After Forever"Todas as matérias sobre "HDK"Todas as matérias sobre "Andre Matos"Todas as matérias sobre "Angra"


Kiko Loureiro: você consegue tocar seus solos antigos?Kiko Loureiro
"você consegue tocar seus solos antigos?"

Aquiles Priester sobre Whiplash: Também já sangrei tocandoAquiles Priester sobre Whiplash
"Também já sangrei tocando"


Bruce Dickinson: Ele lamenta não ter dado um soco em Axl RoseBruce Dickinson
Ele lamenta não ter dado um soco em Axl Rose

Megadeth: a canção que Dave Mustaine menos gostaMegadeth
A canção que Dave Mustaine menos gosta


Sobre Márcio Alexsandro Pacheco

Sou jornalista residente na cidade de Curitiba. Adoro filmes, cinema, seriados, desenhos, livros, quadrinhos, videogames e claro, música. Sou grande fã do Hard Rock, em especial da banda Bon Jovi, mas obviamente curto outras bandas e estilos musicais, como Guns N' Roses, Skid Row, Aerosmith, Ramones, Metallica, Nirvana, AC/DC, Ozzy Osbourne, Scorpions, Iron Maiden, Nightwish entre várias outras. Tenho uma namorada linda que também é jornalista. Tento ouvir de tudo um pouco, sem me prender a estilos ou rótulos. Comecei a colaborar com o Whiplash por juntar duas das minhas paixões: a música e o jornalismo. Frase: "What a great f***ing day for rock n' roll!"

Mais matérias de Márcio Alexsandro Pacheco no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336