Kreator: "colocamos algo que falta nas produções atuais"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Emanuel Seagal, Fonte: Brave Words & Bloody Knuckles, Tradução
Enviar Correções  

Mille Petrozza recentemente conversou com a revista Brave Words & Bloody Knuckles a respeito do novo álbum do grupo, "Hordes of Chaos". Confira alguns trechos da conversa:

Wacken Open Air: com edição 2020 cancelada, festival online é anunciado

Massacration: saiba quem é o baterista que tocava "de verdade"

Petrozza: "Eu acho que há algo faltando em muitas das produções modernas, algo que colocamos de volta em um álbum. Não que eu ache que as produções modernas soem como merda, mas todas as bandas que trabalham com certos produtores têm o mesmo tipo de som. Mesmo bandas que soam uma merda quando você os vê ao vivo. Moses (Schneider/produtor) nos deu a auto-confiança que precisávamos para fazer este álbum. Ele foi assim, 'Okay, vocês fizeram mil shows em sua carreira, 200 shows para o Enemy of God, vocês devem ser capazes de fazer uma gravação ao vivo'. É claro que nos preparamos ensaiando de forma diferente, então não nos arrependemos de fazer a gravação ao vivo".

Brave Words & Bloody Knuckles: Gravações ao vivo? Do tipo ao-vivo direto do estúdio?

Petrozza: "Não exatamente. Nós usamos tecnologia moderna, é claro, mas todas as edições em 'Hordes of Chaos' são feitas usando gravações ao vivo no estúdio. Nós nos juntamos em uma sala e tocamos o álbum, cada música dez vezes. Então escolhemos o que queremos usar, então, nós podemos ter pego a intro de um take e colocado com o refrão de outro take porque achamos que o refrão soou melhor que todos os outros. Mas sim, todas essas pequenas partes gravadas foram feitas ao vivo".

Para ler a entrevista completa (em inglês) acesse:
http://www.bravewords.com/features/1000578




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Wacken Open Air: com edição 2020 cancelada, festival online é anunciadoWacken Open Air
Com edição 2020 cancelada, festival online é anunciado

Thrash Metal: 15 álbuns subestimados lançados nos anos 1990Thrash Metal
15 álbuns subestimados lançados nos anos 1990

O Mapa do Metal: Grandes bandas de Heavy Metal da AlemanhaO Mapa do Metal
Grandes bandas de Heavy Metal da Alemanha

Kreator: Mille Petrozza manda recado para quem acha que metal e política não se misturamKreator
Mille Petrozza manda recado para quem acha que metal e política não se misturam

Em 19/06/1989: Kreator lançava o clássico Extreme AggressionEm 19/06/1989
Kreator lançava o clássico Extreme Aggression

Análise de Baixistas: Alicia Vigil (Dragonforce) vs Frédéric Leclercq (Kreator)


Thrash Metal: 15 álbuns subestimados lançados nos anos 1990Thrash Metal
15 álbuns subestimados lançados nos anos 1990

Kerrang!: os maiores mascotes do Heavy MetalKerrang!
Os maiores mascotes do Heavy Metal


Massacration: saiba quem é o baterista que tocava de verdadeMassacration
Saiba quem é o baterista que tocava "de verdade"

Bruce Dickinson: vocalistas que ele respeita e admiraBruce Dickinson
Vocalistas que ele respeita e admira


Sobre Emanuel Seagal

Descobriu o metal com clássicos como Iron Maiden e Black Sabbath. Hoje em dia, entre outros gêneros musicais, e sem se limitar a rótulos, ouve principalmente doom, viking e folk metal. Sempre que possível está em busca de novas bandas que tenham algo a transmitir alem de clichês, e mesmo em meio a tantas novidades não dispensa pérolas como o bom e velho Candlemass. Acompanha o Whiplash! desde os primórdios, tendo iniciado sua vida de internauta no mesmo ano de criação do site (1996). Há algum tempo está envolvido com metal, seja trabalhando com eventos, bandas, gravadoras ou imprensa, na tentativa de contribuir de alguma forma para o crescimento desse que é um dos segmentos mais apaixonantes da música, o metal.

Mais informações sobre Emanuel Seagal

Mais matérias de Emanuel Seagal no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin