X Japan: resenha, fotos e vídeos do início da turnê nos EUA

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Emanuel Seagal, Fonte: LA Weekly, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

O X JAPAN começou neste sábado sua primeira turnê norte americana, se apresentando no The Wiltern, em Los Angeles. Acostumados a tocar em estádios, tendo lotado o Tokyo Dome - cuja capacidade é de 55.000 pessoas - dezoito vezes, e sempre contando com grande estrutura em seus shows, o grupo encarou o desafio de tocar nos EUA em locais menores e com uma produção mais modesta, na tentativa de obter o mesmo sucesso que tem no Japão.

Meet & Greet: Como os roqueiros de verdade se comportamMotorhead: perguntas dos fãs respondidas por Lemmy

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

O LA Weekly esteve no show de sábado e escreveu um artigo a respeito, confira alguns trechos abaixo, além de fotos e vídeos do show.

Noite de sábado, o X JAPAN tocou no The Wiltern. Foi uma noite de primeiras experiências, visto que foi o primeiro show da banda em Los Angeles e a primeira parada de sua turnê norte americana. Considerando que o auge do visual hard rock foi nos anos 80 e 90, não há como negar que este foi um evento esperado há muito tempo e a empolgação permeava pela área ao redor do local do show horas antes da banda subir no palco.

Nós chegamos no The Wiltern por volta das 17:00, quando a fila em frente ao local, na esquina da Wilshire com a Western, se extendia pelo quarteirão até a rua lateral, envolvendo outra esquina e seguindo por mais meia quadra.

A fila estava cheia de gente cujo amor pelo X Japan ultrapassava apenas o ato de vestir a camiseta da banda para o show. Havia cosplayers, pessoas segurando bonecos que lembravam o finado guitarrista hide, e pessoas simplesmente com tatuagens do "X".

Esse não é o tipo de show que você casualmente pega após o trabalho ou vai no final de semana. Este foi um show, algo massivo e extravagante onde o tempo que você passa se arrumando para ele rivaliza apenas com o tempo na fila.

Enquanto andavamos perto da fila, não pude deixar de lembrar dos maiores shows que já vi, coisas como The Cure no Rose Bowl ou David Bowie e Nine Inch Nails no The Forum. Este era um local muito menor para uma banda com reconhecimento muito menor nos EUA, mas a vibe era incrivelmente similar. Era óbvio que para pelo menos parte do público, este seria um dos mais importantes momentos musicais de suas vidas.

Dentro do local do show, o público gritava fortemente enquanto esperava pelo show dos headliners da noite. Alguns gritavam, "We are" (Nós Somos), e muitos respondiam com "X." Então mais pessoas gritavam "We Are" (Nós somos) e o chamado e resposta continuava. Quando você grita X!" você levanta seus braços acima de sua cabeça e cruza seus pulsos para formar a letra X. Você pode fazer isso com bastões luminosos também. Isso aconteceu esporadicamente quando as luzes se apagaram, ópera preencheu o local e os membros da banda subiram ao palco.

O X Japan é uma banda de estádio. Eles fizeram múltiplos shows no Tokyo Dome. Eles trataram o The Wiltern como se fosse o Dodger Stadium (Nota do tradutor: estádio local com capacidade para 56.000 pessoas). Havia elementos de pirotecnia, mudanças de roupa, e o mais importante, coreografia. Se você observasse atentamente, você poderia perceber como Yoshiki e o guitarrista Sugizo faziam gestos sincronizados com seus braços.

Cada movimento dos membros do X Japan no palco foi amplificado pelo drama em seu metal melódico e orquestral. Durante seus solos de violino, Sugizo alternadamente se arqueava para trás e jogava seu torso para frente. Similarmente, Yoshiki terminou um solo de piano deixando sua cabeça cair nas teclas. O vocalista Yoshiki consistentemente erguia seu punho no ar para manter a anergia alta. O X Japan não é apenas uma banda de músicos incrivelmente habilidosos, mas mestres em performance. Jovens músicos poderiam aprender muito assistindo eles tocarem.

Durante o bis, a banda reconheceu a importância deste show. Yoshiki falou emotivamente sobre hide. Apesar do guitarrista ter morrido há mais de uma década, logo após a banda ter se separado, ele continua sendo um membro fixo do X Japan. O fato de ter pessoas no público se vestindo de forma quase idêntica à el era uma confirmação deste fato. Yoshiki então falou que está vivendo em Los Angeles por cerca de dez anos agora, e que a cidade se tornou, de muitas formas, seu lar. É significante, então, que a banda tenha escolhido Los Angeles para começar esta nova era do X Japan.

Conforme o show foi sendo encerrado, os membros da banda não sentiram necessidade de diminuir a intensidade com o público. Toshi e Yoshiki lideraram o canto do público com "We Are!". A resposta "X" foi mais alta do que em toda a noite. O X Japan claramente não deixou o público decepcionado.

Set List:
"Jade"
"Rusty Nail"
"Silent Jealousy"
"Drain"
Violin and piano interlude
"Kurenai"
"Born to be Free"
"I.V."
"X"
(Encore)
"Endless Rain"
"Art of Life"

Uma galeria de fotos do show pode ser conferida no link a seguir:
http://www.laweekly.com/slideshow/x-japan-the-wiltern-312647...

Veja abaixo dois vídeos da apresentação.

X Japan - Rusty Nail

X Japan - Born To Be Free




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "X Japan"


Meet & Greet: Como os roqueiros de verdade se comportamMeet & Greet
Como os roqueiros de verdade se comportam

Motorhead: perguntas dos fãs respondidas por LemmyMotorhead
Perguntas dos fãs respondidas por Lemmy


Sobre Emanuel Seagal

Descobriu o metal com clássicos como Iron Maiden e Black Sabbath. Hoje em dia, entre outros gêneros musicais, e sem se limitar a rótulos, ouve principalmente doom, viking e folk metal. Sempre que possível está em busca de novas bandas que tenham algo a transmitir alem de clichês, e mesmo em meio a tantas novidades não dispensa pérolas como o bom e velho Candlemass. Acompanha o Whiplash! desde os primórdios, tendo iniciado sua vida de internauta no mesmo ano de criação do site (1996). Há algum tempo está envolvido com metal, seja trabalhando com eventos, bandas, gravadoras ou imprensa, na tentativa de contribuir de alguma forma para o crescimento desse que é um dos segmentos mais apaixonantes da música, o metal.

Mais informações sobre Emanuel Seagal

Mais matérias de Emanuel Seagal no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336