Fabio Massari: "Rock raro e colecionável"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Emanuel Seagal, Fonte: Yahoo!
Enviar correções  |  Ver Acessos

Fabio Massari, jornalista e ex-VJ da MTV Brasil, escreveu nova matéria em sua coluna no Yahoo! Confira abaixo alguns trechos.

Max Cavalera: "Deveríamos ter demitido aqueles dois e mantido o nome"Total Guitar: os 20 melhores riffs de guitarra da história

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

"Nas notas de apresentação do seu recém-lançado livro Rock Raro, o colecionador de discos paulistano Wagner Xavier explica, de maneira algo enfática, que se trata da realização de um sonho - um trabalho de fã sem grandes pretensões jornalísticas, pelo menos não formalmente. Da paixão pelo colecionismo dos bolachões e pelas leituras de títulos que tratam de certos setores dos "bons sons", veio o impulso para a publicação dessa espécie bem particular de catálogo discográfico viajante - subtítulo O maravilhoso e desconhecido mundo do rock, lançamento da editora carioca Livre Expressão, 387 pgs.

Concentrando as atenções no que o autor chama de "período de ouro" do rock, aproximadamente do meio dos 60 ao meio dos 70 (folk, psych, prog e hard rock), o livro destaca a produção discográfica (internacional) mais obscura desse período - procura ir além dos já muito conhecidos e celebrados Led Zeppelin, Stones e Hendrix, por exemplo. A partir de uma seleção inicial de 500 títulos, o colecionador baseado em Joinville (mais o parceiro co-autor João Carlos "Jã" Roberto) chegou à marca de 352 bandas/discos para abordar e discutir nesse que é, aparentemente, apenas o primeiro volume de um projeto maior.

Do progressivo italiano, safra 73 da banda Acqua Fragile, ao hardão classudo do Zephyr, safra 70 do lendário Tommy Bolin, uma visita divertida e bem interessante à coleção de discos do autor, num formato que segue caprichosamente seus desejos como leitor: o que ele sempre quis ler foi algo assim, um livro sobre discos obscuros/raros, com capas e encartes e fichas técnicas e, o principal, comentários sobre esses registros - impressionistas, subjetivos, pouco importa; vale a conversa animada, a troca de ideias entusiasmada sobre esse universo tão saboroso e que parece oferecer tantas opções temáticas inerentes, possíveis."

Para ler a matéria na íntegra clique no link abaixo.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção Notícias

Max Cavalera: Deveríamos ter demitido aqueles dois e mantido o nomeMax Cavalera
"Deveríamos ter demitido aqueles dois e mantido o nome"

Total Guitar: os 20 melhores riffs de guitarra da históriaTotal Guitar
Os 20 melhores riffs de guitarra da história


Sobre Emanuel Seagal

Descobriu o metal com clássicos como Iron Maiden e Black Sabbath. Hoje em dia, entre outros gêneros musicais, e sem se limitar a rótulos, ouve principalmente doom, viking e folk metal. Sempre que possível está em busca de novas bandas que tenham algo a transmitir alem de clichês, e mesmo em meio a tantas novidades não dispensa pérolas como o bom e velho Candlemass. Acompanha o Whiplash! desde os primórdios, tendo iniciado sua vida de internauta no mesmo ano de criação do site (1996). Há algum tempo está envolvido com metal, seja trabalhando com eventos, bandas, gravadoras ou imprensa, na tentativa de contribuir de alguma forma para o crescimento desse que é um dos segmentos mais apaixonantes da música, o metal.

Mais informações sobre Emanuel Seagal

Mais matérias de Emanuel Seagal no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336