Adrenaline Mob: Mike Portnoy animadíssimo com primeiro show

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Nathália Plá, Fonte: noisecreep.com, Tradução
Enviar Correções  

O baterista do Adrenaline Mob Mike Portnoy está extasiado. "O show foi elétrico! A química ao vivo nessa banda é incrível. Todos são verdadeiros artistas – mal posso esperar para que as pessoas em todos os lugares sintam a adrenalina!"

Iron Maiden: Rachel Sheherazade é uma grande fã da banda

Metallica: se encontrar James Hetfield, não peça para bater uma foto

Portnoy falou ao Noisecreep logo após o primeiro show de sua nova banda, Adrenaline Mob, que também conta com o guitarrista do Stuck Mojo/Fozzy Rich Ward, o vocalista do Symphony X Russell Allen, o guitarrista do Sonic Stump Mike Orlando, e o baixista Paul DiLeo. Ele havia acabado de tocar para uma casa cheia no Hiro Ballroom em Nova Iorque para dar aos fãs um gostinho de seu álbum recém concluído.

Portnoy também falou sobre a vida após a saída do Dream Theater, sua jornada altamente divulgada com o Avenged Sevenfold, e outros momentos nesse mundo turbulento que é a montanha russa da vida de um dos mais famosos bateras do mundo.

As frustrações de Portnoy começam na forma instantânea que rumores e fofocas se espalham atualmente, mas isso não está fazendo com que ele diminua o ritmo. "O que parte meu coração", partilhou Portnoy, "É que alguns fãs acreditam mais nas notícias a meu respeito do que no que eu realmente estou dizendo no momento. Eu vejo todas essas manchetes sensacionalistas em certos sites que deturpam o que estou fazendo, e há fãs que reagem a isso sem saber a realidade. Eu sempre tento oferecer explicações honestas e sinceras através de sites de mídia social e às vezes isso se perde."

"Esse ultimo ano para mim trouxe o que há de mais alto e o que há de mais baixo. Quero dizer, após passar 25 anos no Dream Theater, algo de que não posso me orgulhar mais, e então a experiência com o Avenged, foram coisas extremamente emocionais."

Portnoy se manteve ocupado nos últimos meses, fazendo aparições pessoais, tocando em um novo projeto com Steve Morse, Neal Morse e Casey McPherson, e agora com o Adrenaline Mob.

Ao longo disso tudo, o intenso foco no que será seu próximo movimento pode ter criado muita pressão na vida do baterista.

"É quando sua família se torna mais importante que nunca", disse Portnoy. "Minha esposa e meus filhos passaram por tudo comigo então eles compreenderam o quão intenso meu mundo havia se tornado. E eles deixaram claro que estava tudo bem."

Portnoy acrescentou que sua esposa em particular talvez seja a maior fã do Adrenaline Mob até hoje. "Ela já ouviu praticamente tudo que já fiz e ela diz que isso foi o favorite dela. Isso significa algo para mim."

Ele também vislumbra seu último empreemdimento como algo que pode se desenvolver enquanto também permite que os outros membros mantenham suas bandas atuais.

"Veja o que o Corey Taylor faz com o Slipknot e o Stone Sour. É possível, quando você ajusta os cronogramas, para acomodar mais de uma banda operante por vez. É assim que imagino o Adrenaline Mob funcionando nesse momento."

Enquanto isso, Portnoy está tirando umas pequenas ferias com sua família antes de voltar para casa para encontrar um selo para sua nova banda.

"Estou energizado", disse ele. "Tocar com o Avenged Sevenfold ano passado me deu esse gosto de tipo recapturar minha juventude, fez me sentir um pouco como um adolescente. Com o Adrenaline Mob, essa sensação está com força total agora, e eu nunca me senti musicalmente melhor do que na minha posição atual."




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Iron Maiden: Rachel Sheherazade é uma grande fã da bandaIron Maiden
Rachel Sheherazade é uma grande fã da banda

Metallica: se encontrar James Hetfield, não peça para bater uma fotoMetallica
Se encontrar James Hetfield, não peça para bater uma foto


Sobre Nathália Plá

Mineira de Belo Horizonte, nasceu e cresceu ouvindo Rock por causa de seu pai. O som de Pink Floyd e Yes marcou sua infância tanto quanto a boneca Barbie, mas de uma forma tão intensa que hoje escutar essas bandas lhe causa arrepios. Ao longo dos anos foi se adaptando às incisivas influências e acabou adquirindo gosto próprio, criando afinidade pelo Hard Rock e Heavy Metal. Louca e incondicionalmente apaixonada por Bon Jovi, não está nem aí pras críticas insistentes dirigidas à banda. Deixando a emoção de lado e dando ouvidos à técnica e qualidade musical, tem por melhores bandas, nessa ordem, BlackSabbath, Led Zeppelin, Deep Purple, Metallica e Dream Theater. De resto, é apenas mais uma apreciadora do bom e velho Rock'n'roll.

Mais matérias de Nathália Plá no Whiplash.Net.

adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin adWhipDin