Metallica: Ruim com eles, pior sem eles

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Nacho Belgrande, Fonte: Site do LoKaos Rock Show
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 22/09/11. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?


Por Mick Wall, traduzido por Nacho Belgrande
1268 acessosMetallica: a música preferida dos fãs nos shows ao vivo5000 acessosZakk Wylde: cinco momentos insanos do guitarrista

Hoje fazem exatos 20 anos que o ‘Black Album’ do METALLICA completou sua permanência de três semanas no primeiro posto das paradas estadunidenses. Para aqueles de nós que acompanhavam a banda por anos antes disso, foi um feito verdadeiramente extraordinário.

De fato, quando eu os encontrei pela primeira vez – alta madrugada em um hotel depois de Donington ’85, quando Lars e eu estávamos ao lado de um Cronos (do VENOM) inconsciente, com a cara enfiada em sua cerveja e nós enfiando nossos paus em sua orelha enquanto tiravam fotos disso, nós rindo como se fôssemos colegiais inglesas – eu já teria considerado o Metallica quatro caras muito sortudos se um dia eles ficassem tão famosos como o Motörhead.

Eu comecei a rever essa opinião quando, alguns meses depois, eles me convidaram para vê-los em estúdio na neve de Copenhagen para ouvir aos bounces da mixagem de ‘Master of Puppets’. Wow, eu pensei, esses cabeçudos fizeram algo especial mesmo aqui. Quer saber, se eles fizerem a coisa certa, eles podem ficar até tão conhecidos como o Iron Maiden um dia.

Quando o disco seguinte deles, ‘… And Justice For All’, alcançou de fato o Top 10 no Reino Unido e nos EUA, eu pensei, e essa agora? Eles conseguiram. Eles vão se agüentar numa boa agora por pelo menos mais cinco anos. Boa sorte pra eles.

Quando no verão seguinte, no trecho estadunidense do Monsters of Rock, os empresários do Metallica me disseram que o objetivo era que o Metallica fizesse seus próprios shows em estádios no prazo de cinco anos, eu literalmente explodi em gargalhadas. Era bom ter objetivos, mas isso era simplesmente uma loucura.

Três anos depois disso, contudo, o Metallica estava pulverizando estádios por todo os EUA. Jesus, eu pensei, aonde é que isso vai acabar? Isso tudo já tinha ido tão além de minhas previsões que eu não conseguia mais adivinhar.

Tendo dito isso, se algum oráculo tivesse me dito 20 anos atrás que eles estariam prestes a lançar um disco de 90 minutos com Lou Reed… digo, peraí, o que você tá fumando, cara? Adoro o doido do Lou, adoro o Metallica louco. Mas estamos falando de água e óleo aqui. Coloque os dois juntos e só o que você vai conseguir é uma merda intragável que ainda por cima vai fuder seu motor.

E ainda assim, cá estamos. E enquanto isso é o que a maioria das pessoas que eu conheço que de fato ouviram o disco acha, pra mim pode bem ser o disco do ano. Eu ainda não posso dizer nada mais específico sobre isso. Mas eu vou dizer isso, se metade dos filhos da puta de bandas que têm metas medíocres e não merecem mais expectativas nossas só tentasse, algo que fosse um décimo tão ousado e arriscado, o rock seria a forma de música mais vibrante no mundo.

Caro, não vai acontecer, o que por um lado é uma pena. Uma grande pena, mas hey, o que nós de fato esperamos de pessoas que mal conseguem emendar uma palavra na outra na maior parte do tempo? Por outro lado, isso só prova mais uma vez que banda inacreditável, extraordinária é o Metallica. E quanta sorte temos por tê-los, não importa o que os ‘troos’ vão dizer sobre eles quando eles finalmente ouvirem o que eles andaram fazendo com o esquisito do tio Lou.

Eles vão ficar putos. Eu pelo menos espero que sim.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 22 de setembro de 2011

MetallicaMetallica
A música preferida dos fãs nos shows ao vivo

240 acessosMeshuggah: e se "Bleed" tivesse a bateria de "St. Anger"?305 acessosMetallica: vídeo profissional de "Creeping Death" em Miami0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Metallica"

Lars UlrichLars Ulrich
Revelando ser o maior e melhor fã do mundo

CoversCovers
Alguns dos mais legais feitos por bandas de Metal

Avenged SevenfoldAvenged Sevenfold
A banda plagiou o Metallica?

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Metallica"

Zakk WyldeZakk Wylde
Cinco momentos insanos do guitarrista

Iron MaidenIron Maiden
O equipamento de palco da World Slavery Tour

Marilyn MansonMarilyn Manson
Ele ganharia o Grammy por incitação a mortes

5000 acessosDrogas e Álcool: protagonistas nos piores shows de grandes astros5000 acessosCovers: quando bandas de Heavy e Power Metal prestam tributo5000 acessosRammstein: "Se alguém rir das gordinhas, eu quebro a cara dele!", diz Till Lindemann5000 acessosDetonator: Mais compartilhado que o funk ostentação de MC Gui5000 acessosManowar: "Nunca fui fã e não gosto do Kiss" - diz Eric Adams5000 acessosReligiões: as guerras santas abordadas em letras de Heavy Metal

Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)

Mais matérias de Nacho Belgrande no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online