Napster: como era a música quando ele chegou em 1999

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Nacho Belgrande, Fonte: Site do LoKaos Rock Show
Enviar correções  |  Ver Acessos


Por Paul Resnikoff, traduzido por Nacho Belgrande

Guns N' Roses: álcool, drogas e intrigas nos primórdios da bandaFotos de Infância: Bon Scott, do AC/DC

Eis um retrato de como era a indústria musical quando o NAPSTER apareceu, em junho de 1999.

Os CDs representavam 89.4 por cento de toda a venda de música, de acordo com a RIAA. As fitas cassete ainda puxavam cerca de 7.6 por cento do total, e os LPs quase 0.2 por cento, e o download de discos era basicamente INEXISTENTE.

Havia 5 grandes gravadoras: Warner Music Group, EMI, Sony Music Entertainment, Bertelsmann Music Group (BMG), e a Universal Music Group.

As grandes gravadoras estavam no meio do MELHOR ANO DE SUAS HISTÓRIAS. Aquele foi o ano em que o Disco de Diamante foi criado, para celebrar lançamentos com mais de 10 milhões de cópias vendidas.

O iPod era um nome desconhecido. Na verdade, demoraria mais dois anos até que ele chegasse ao mercado.

Justin Bieber tinha 5 anos de idade. Justin Timberlake tinha 18. Daniel Ek (CEO do Spotify) tinha 16.

A maioria dos artistas não tinha ideia do que havia chegado. Em um processo protocolado em dezembro, o então-batizado Puff Daddy dizia, "Eu não conseguia acreditar que essa coisa de Napster estava conectando milhares de pessoas com o novo álbum de Notorious B.I.G., 'Born Again', uma semana antes de ele chegar às lojas."

'Millenium' dos Backstreet Boys dominou as paradas dos EUA pela maior parte do mês. Ele se tornaria um dos discos mais vendidos da história, com vendas acima de 40 milhões de cópias ao redor do globo.

O MySpace ainda demoraria mais 4 anos pra ser apresentado.

Outros discos de destaque daquele ano foram '... Baby One More Time' de Britney Spears, 'The Slim Shady LP' de Eminem, 'Things Fall Apart' do The Roots, 'Californication', do Red Hot Chili Peppers, '100% Ginuwine' de Ginuwine e o disco de estreia do Slipknot, 'Slipknot'.

Hilary Rosen era diretora e CEO da RIAA. Depois de abandonar o cargo, ela depois criticaria a maneira que sua própria empresa tinha lidado com o problema do Napster.

Comente: Você preferia os tempos antes do Napster?




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção Notícias

Guns N' Roses: álcool, drogas e intrigas nos primórdios da bandaGuns N' Roses
álcool, drogas e intrigas nos primórdios da banda

Fotos de Infância: Bon Scott, do AC/DCFotos de Infância
Bon Scott, do AC/DC

Lemmy Kilmister: Esta coisa de Black Metal me faz rir!Lemmy Kilmister
"Esta coisa de Black Metal me faz rir!"

Black Sabbath: About.com elege os 5 melhores álbuns da bandaBlack Sabbath
About.com elege os 5 melhores álbuns da banda

Saúde: bater cabeça pode causar danos ao cérebroSaúde
Bater cabeça pode causar danos ao cérebro

Angra: Rafael dando aula de bateria para Bruno ValverdeAngra
Rafael dando aula de bateria para Bruno Valverde

Monsters of Rock: o que o festival nos ensina sobre preconceitoMonsters of Rock
O que o festival nos ensina sobre preconceito


Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)

Mais matérias de Nacho Belgrande no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336