RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemRichie Sambora volta ao Bon Jovi para tour de 40 anos da banda, especula jornalista

imagemBanda cancela show porque perdeu laptops e Sebastian Bach alfineta; "Isso é uma piada?"

imagemJon Schaffer está brincando de esconde-esconde com autoridades dos EUA

imagemPor que Jon Lord recomendou a Dio que não aceitasse convite de Blackmore para Rainbow?

imagemDigão diz a Jão que não quer treta mas não tem sangue de barata

Monja Coen presenteia apresentador de podcast com camisa de banda punk

imagemPaul Di'Anno faz primeiro show pós-cirurgia; veja vídeo profissional da apresentação

imagemO hit regravado pelo Jota Quest que na época derrubou Roberto Carlos do 1º lugar

imagemJohn Petrucci compartilha foto de ensaio com Mike Portnoy

imagemFloor Jansen surge de cabelo curtinho poucos dias antes de vir ao Brasil com Nightwish

imagemAs 10 músicas de metal mais ouvidas da última semana, segundo a Billboard

imagemSe Kiko voltar, o Angra vai imitar o Iron Maiden e ter três guitarristas?

imagemO músico incrível que foi induzido três vezes ao Hall da Fama do Rock

imagemEdu Falaschi inicia segunda parte da "Vera Cruz tour" com muitas novidades

imagemJão, do Ratos de Porão, chama Digão para resolver as diferenças em um ringue


NFL Steve Harris

Unisonic: Kiske e Hansen põem as cartas na mesa

Por Nacho Belgrande
Fonte: Lokaos
Em 25/04/12

KAI HANSEN e MICHAEL KISKE são o mais proeminente ‘dream team’ do Metal europeu. Como guitarrista e vocalista, respectivamente no titânico HELLOWEEN, o duo ajudou a construir um estilo que incontáveis outras bandas seguiram. Agora, 22 anos depois de Hansen ter saído do Helloween para formar o Gamma Ray, e 19 anos depois de Kiske tê-lo seguido porta afora, os dois finalmente se reuniram no UNISONIC. Fundados três anos atrás por Kiske, a abordagem ‘de volta às raízes’ do Metal foi sublinhada pelo retorno de Kiske ano passado, bem a tempo de gravar o disco de estréia.

Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Em entrevista à edição de maio da revista inglesa Classic Rock, Kai Hansen e Michael Kiske contaram como eles vêm o Unisonic e o que os fãs devem esperar de uma banda com eles dois.

CR: Você gosta do termo ‘supergrupo’?

Kai: Se outra pessoa mencioná-lo, tudo bem. Mas achar-se tão importante quanto o Batman não é legal.

De quem foi a idéia de você se juntar ao Unisonic?

Hansen: Foi uma decisão mútua. Depois da turnê do AVANTASIA, todos nós tínhamos três opções: Michael poderia juntar-se ao Gamma Ray, nós faríamos um projeto juntos, ou eu entraria pro Unisonic. A última soava melhor.

Como consegui viver de Rock e Heavy Metal

Michael, é bom ouvir você cantando heavy metal de novo. Você se desapaixonou pelo gênero por um tempo?

Michael Kiske: Não tanto pela música, mais com a cena. Os últimos anos no Helloween foram uma grande decepção, e eu fiquei meio sensibilizado com certos aspectos da cena, tais como o Satanismo – eu não curto essa porra. Depois de 17 anos, eu me dei conta que os fãs de metal não são tão ruins; na verdade, eles são muito meigos.

O que mudou para trazê-lo de volta?

Kiske: Foi um processo lento. Eu fiz alguns discos de AOR/Rock que foram muito divertidos, mas eu cresci com Iron Maiden e Judas Priest, e isso não sai se você.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

O disco é de heavy metal, mas com um som moderno e melódico.

Hansen: Nós o consideramos hard rock, mas não temos medo de trafegar pelo lado pop ou metal.

A faixa ‘Unisonic’ meio que ‘rouba’ de ‘You Can’t Stop Rock N’ Roll do TWISTED SISTER e ‘Stormbringer’ do DEEP PURPLE.

Hansen: Nada é totalmente original hoje em dia. O que é único em nós está nas personalidades da banda.

Kai, como estar no Unisonic afetará suas atividades no Gamma Ray?

Hansen: Vai ser um pouco como tentar dançar em dois casamentos diferentes, mas faremos dar certo. Um ano é com o Gamma Ray na prioridade, e no ano seguinte, o Unisonic.

Divulgue sua banda de Rock ou Heavy Metal

Vocês dois tretaram com o guitarrista e chefão do Helloween, Michael Weikath. Ele teve algo a dizer sobre o Unisonic?

Hansen: Eu não ouvi dizer nada e esto pouco me fudendo.

Kiske: Ele não vai ficar feliz, com certeza.

O que precisaria rolar pra que vocês se reunissem com o Helloween?

Kiske: Eu curto fazer música com pessoas que eu gosto. Eu não sou grande amigo de Weike. Não haveria química. O potencial dessa banda é maior do que uma reunião com o Helloween.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Power Metal: As bandas mais populares segundo o Facebook

Michael Kiske: a importância de Sammet no seu retorno ao Metal

Helloween: Kiske aceitaria reunião por 2 milhões de Euros?

Guns N' Roses: a versão de Axl Rose sobre a separação

Metal: 16 músicas dos anos 80 para se escutar durante o treino


Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)

Mais matérias de Nacho Belgrande.