Serj Tankian: dando os toques finais no terceiro álbum solo

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Nathália Plá, Fonte: Blabbermouth.net, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 06/04/12. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

O vocalista, compositor, multi-instrumentista, poeta, ativista político e frontman do SYSTEM OF A DOWN, Serj Tankian, está eu seu estúdio Serjical Strike em Los Angeles dando os toques finais em seu terceiro álbum de estúdio solo, "Harakiri", sequencia ao "Imperfect Harmonies" de 2010, que será lançado nesse verão (inverno no hemisfério sul) pela Serjical Strike/Reprise Records.

231 acessosSystem of a Down: "Lonely Day" de 2006 a 20175000 acessosQueen: novas fotos do recluso John Deacon

Grande parte do novo disco foi composta em 2011, que foi um ano cheio de compromissos para o músico, havendo sido descrito como "o ano mais ocupado, mais produtivo da minha vida até hoje". Em fevereiro o musical "Prometheus Bound", que teve todas músicas compostas por ele, estreou no Oberon Theater em Harvard, Boston, para delírio da crítica. Em 2011 Serj também lançou seu segundo livro de poesia, "Glaring Through Oblivion". Ele fez turnê com o SYSTEM OF A DOWN por três continentes, apresentou-se com a Opera Orchestra em Erevan, Armênia, onde ele também teve compromissos políticos com chefes de estado e foi anfitrião de eventos beneficentes. Ele então fez seu primeiro concerto no Líbano, sua terra natal, com a Orquestra Sinfônica Nacional do Líbano. Quando retornou aos E.U.A ele finalizou a composição de quatro discos: um disco de jazz, um eletrônico que ele compôs com seu amigo Jimmy Urine do MINDLESS SELF INDULGENCE, uma sinfonia clássica completa chamada "Orca" e o novo disco solo de rock que ele está atualmente masterizando.

"O ano de 2011 começou com uma chama. Umas crianças em Piha, Nova Zelândia, estavam soltando fogos de artifício que caíram na propriedade do meu vizinho e puseram a colina inteira em chamas. Eu sabia que ia ser um ano daqueles e com certeza foi", disse Tankian. "Cinco dias depois disse, saíram reportagens sobre mortes de aves e peixes em números massivos em nível global. Esse agouro não se perdeu em mim. Várias criaturas na terra estavam cometendo hara-kiri em massa (termo em japonês que significa um ritual de suicídio). Será que eles sabem algo que não sabemos sobre os tempos vindouros ou sobre a sustentabilidade do meio ambiente? Foi nesse dia que comecei a compor esse disco".

O simbolismo de espécies inteiras estarem se erradicando em larga escala abalou Serj emocionalmente, e é um terma subjacente em todo o disco. Ele pegou essa idéia e trabalhou na composição, incorporando todas as experiências de seu ano caótico para fazer um tipo diferente de disco. "O disco é diferente de tudo que já fiz como artista solo", disse ele. "É muito mais direcionado e voltado para o punk, com influências que vão desde o gótico até o eletrônico, com vibe dos anos 80, um rock dinamicamente pesado e canções melódicas épicas. Liricamente, alcança temas pessoais, políticos e filosóficos até espirituais, humorísticos e românticos".

Ele também tentou abordar a composição de forma um pouco mais diferente dessa vez. "Eu usei o iPad como um instrumento de composição para esboçar três músicas do disco", disse ele. "Devemos nos desafiar a compor de formas diferentes para obter resultados inesperados".

O álbum está com lançamento programado para o verão (inverno no hemisfério sul), e é todo composto e produzido por Serj. O álbum também trará performances da banda de Serj, THE F.C.C. — Dan Monti na guitarra, Mario Pagliarulo no baixo e Troy Zeigler na bateria. Dan Monti também está na mixagem e engenharia juntamente com Serj. O álbum será masterizado por Vlado Meller (METALLICA, RED HOT CHILI PEPPERS, KANYE WEST, BEASTIE BOYS).

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Blend GuitarBlend Guitar
Os dez solos de guitarra mais fáceis da história

231 acessosSystem of a Down: "Lonely Day" de 2006 a 2017631 acessosLoudwire: os 10 melhores riffs dos anos 2000451 acessosSystem of a Down: a evolução de "Chop Suey!" entre 2001 e 20171021 acessosSystem of a Down: as mudanças de "Toxicity" entre 2001 a 20171051 acessosSystem of a Down: a evolução da banda ao vivo de 1997 a 20170 acessosTodas as matérias e notícias sobre "System Of a Down"

FacebookFacebook
A popularidade das bandas segundo a rede social

System Of A DownSystem Of A Down
Serj Tankian canta música de "Game Of Thrones"

Christina GrimmieChristina Grimmie
Cantora assassinada canta SOAD e Stone Sour

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "System Of a Down"

QueenQueen
Novas fotos do recluso John Deacon

Zakk WyldeZakk Wylde
Foto do arsenal de guitarras do músico

SlashSlash
Chapação, a louca e atraente Fergie e Axl Rose

5000 acessosVitão Bonesso: A imensa coleção do apresentador do Backstage5000 acessosBateristas: os dez músicos mais loucos de todos os tempos5000 acessosMegadeth: as 10 maiores tretas de Dave Mustaine4155 acessosJourney: "Steve Perry era um fenômeno humano", diz baixista do Styx5000 acessosRoberto Sabbag: Colecionador do Slayer e Heavy Metal em geral5000 acessosThe Police: uma idéia criada e visionada por Stewart Copeland

Sobre Nathália Plá

Mineira de Belo Horizonte, nasceu e cresceu ouvindo Rock por causa de seu pai. O som de Pink Floyd e Yes marcou sua infância tanto quanto a boneca Barbie, mas de uma forma tão intensa que hoje escutar essas bandas lhe causa arrepios. Ao longo dos anos foi se adaptando às incisivas influências e acabou adquirindo gosto próprio, criando afinidade pelo Hard Rock e Heavy Metal. Louca e incondicionalmente apaixonada por Bon Jovi, não está nem aí pras críticas insistentes dirigidas à banda. Deixando a emoção de lado e dando ouvidos à técnica e qualidade musical, tem por melhores bandas, nessa ordem, BlackSabbath, Led Zeppelin, Deep Purple, Metallica e Dream Theater. De resto, é apenas mais uma apreciadora do bom e velho Rock'n'roll.

Mais matérias de Nathália Plá no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online