Philip Anselmo: baterista fala sobre solo do vocalista

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Nathália Plá, Fonte: blabbermouth.net, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 18/09/12. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

No dia 7 de agosto, Japan Nick, do programa da rádio WMSC 90.3 "Japan Nick's Rock And Metal Pandemonium" entrevistou o baterista do WARBEAST José Manuel Gonzales sobre a próxima turnê WARBEAST/DOWN, passagem pela Europa como integrante do grupo de Hank Williams III, participação no álbum solo do vocalista do DOWN/ex-PANTERA, Philip Anselmo, o próximo lançamento do WARBEAST com Anselmo e mais.

5000 acessosQuais são os rockstars mais chatos do mundo?5000 acessosSílvio Santos: "The Number Of The Beast" em ritmo de festa

Previsto para sair em março de 2013 pelo selo de Anselmo, Housecore Records, o álbum solo de Philip, "Walk Through Exits Only", conta com as presenças do ex frontman do PANTERA apoiado por Gonzales, pelo guitarrista Maziar "Marzi" Montazeri (ex-SUPERJOINT RITUAL) e pelo baixista de Nova Orleans, Bennett Bartley. Duas músicas do álbum estarão disponíveis em novembro em um EP com mais duas faixas inéditas do WARBEAST.

Perguntado sobre a direção musical do "Walk Through Exits Only", Gonzales disse ao "Japan Nick's Rock And Metal Pandemonium", "Eu li recentemente uma entrevista que ele [Anselmo] deu, e ele meio que disse melhor que eu. Não dá pra você colocá-lo em uma categoria, mas se você tivesse de classificá-lo como metal, esta seria o tipo de suposição segura. Definitivamente não é black metal, mas em certa medida dá a sensação de ser. É extreme pra caralho. Honestamente, além do NECROPHAGIA ou CHRIST INVERSION, acho que ele é uma das coisas mais extremas que ele já fez, mas não nessas veias, se é que você me entende. Cara, é tão caótico, oculto e épico; definitivamente é um monstro diferente."

Falando sobre como sua abordagem na bateria no próximo álbum do WARBEAST foi diferente daquela no CD solo do Anselmo, Gonzales disse, "o WARBEAST tem tentado experimentar tempos próprios diferentes — nada sofisticado demais, mas tentar acrescentar um aroma aqui e ali. Uma vez que o WARBEAST é mais franco, definitivamente é diferente e mais direto que o som do Philip. O som do Philip… Acho que, da primeira vez que você ouve você vai achar espástico. Mas uma vez que você começa a escutar, você definitivamente consegue pegar a batida. Ele foi feito pra te acertar bem na cara e te jogar longe — realmente te martelar a cabeça — e acho que faz um trabalho bem feito nisso. Temos tentado nosso melhor para acrescentar todo tipo de elementos diferentes ao nosso material. Em ambos projetos, nossa abordagem foi alcançar 110 por cento ou senão ia ficar uma porcaria. Estilos diferentes, mas definitivamente em ambos tenho de dar o meu melhor."

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Down"

Phil AnselmoPhil Anselmo
5 discos essenciais em sua coleção

RacismoRacismo
Gritar "Black Power" não é a mesma coisa que gritar "White Power"

Phil AnselmoPhil Anselmo
Lord Ezec desafia vocalista para duelo na porrada

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Down"

HumorHumor
Quais são os rockstars mais chatos do mundo?

Sílvio SantosSílvio Santos
"The Number Of The Beast" em ritmo de festa, ôôôeeee

AC/DCAC/DC
As 10 melhores músicas da banda com Bon Scott

5000 acessosO Suprassumo do Superestimado: os 11 mais (ou menos) nacionais5000 acessosSpike: os sete piores solos de guitarra5000 acessosHeavy Metal: cinco discos necessários dos anos setenta5000 acessosPink Floyd: Nick Mason compara saída de Waters à morte de Stalin5000 acessosDave Mustaine: detratores são cruéis, mas não burros5000 acessosCopa do Mundo: Mojo elege as 15 canções mais incríveis do Brasil

Sobre Nathália Plá

Mineira de Belo Horizonte, nasceu e cresceu ouvindo Rock por causa de seu pai. O som de Pink Floyd e Yes marcou sua infância tanto quanto a boneca Barbie, mas de uma forma tão intensa que hoje escutar essas bandas lhe causa arrepios. Ao longo dos anos foi se adaptando às incisivas influências e acabou adquirindo gosto próprio, criando afinidade pelo Hard Rock e Heavy Metal. Louca e incondicionalmente apaixonada por Bon Jovi, não está nem aí pras críticas insistentes dirigidas à banda. Deixando a emoção de lado e dando ouvidos à técnica e qualidade musical, tem por melhores bandas, nessa ordem, BlackSabbath, Led Zeppelin, Deep Purple, Metallica e Dream Theater. De resto, é apenas mais uma apreciadora do bom e velho Rock'n'roll.

Mais matérias de Nathália Plá no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online