Aerosmith: "este pode ser o nosso último registro"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Paulo Giovanni G. Melo, Fonte: Noisecreep, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 05/11/12. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?


342 acessosLoja de Discos do Cassio: Aerosmith no Rock in Rio5000 acessosNirvana: "Teoria é um desperdício de tempo", dizia Kurt

Eles estão na estrada há quarenta anos. Agora, muitos anos depois do lançamento de seu último álbum de estúdio, "Honkin' on Bobo" de 2004 e alguns altos e baixos, o AEROSMITH está de volta com "Music From Another Dimension".

Um registro honesto, divertido e interessante, que nos lembra porque adoramos estes caras por todos estes anos. Com uma óbvia direção comercial (o disco possui um dueto com a cantora de Country, Carrie Underwood, e uma canção escrita por Diane Warren), o álbum tem o lado blues das guitarras de Joe Perry e Brad Whitford, a parte confiável e autêntica do baterista Joe Kramer e do baixista Tom Hamilton e o vocal clássico de Steven Tyler. É claro, tendo o veterano produtor do AEROSMITH, Jack Douglas, por trás de tudo isso não poderia ser diferente.

O site Noisecreep teve a honra de se sentar à mesa com os cinco caras da banda. Pessoalmente, a irmandade entre eles impressiona. As piadas, os olhares tortos, os olhares entrelaçados, dão uma pista de como esta banda tem sido ao longo de tantos anos.

Noisecreep: rapazes, foi uma longa jornada e houve muitos falsos rumores. Que tipo de pressão vocês sentiram quando voltaram e fizeram este álbum?

Tom Hamilton: "todos queríamos fazer uma declaração. Não que eu queria comprar esta idéia, mas este pode ser o nosso último registro. É bem possível. E foi um tempo longo, então estávamos focados em fazer o melhor para a banda."

Joe Perry: "este é um disco importante. Steven tem usado o termo 'evento'. E é realmente um acontecimento, um marco, uma grande peça na terra do Rock n´Roll."

Tom Hamilton: "quando fizemos o álbum Rocks (1976), nós tínhamos o resto de nossas vidas à nossa frente caso o disco não saísse grandioso. O lance é que agora pode ser a última chance. Fazer isso bem feito."

Noisecreep: parece que Jack Douglas está para vocês assim como George Martin estava para os BEATLES - uma força realmente orientadora em estúdio. É assim?

Brad Whitford: "com certeza. Ele sabia desde o primeiro dia sobre como seria o álbum. A primeira vez que estivemos com Jack Douglas, tocamos em um colégio ao norte de Boston. Ele chegou e viu nosso show e viu como nós éramos. Trocamos idéias depois do show e foi muito bom. Então ele sempre está com a gente, desde o começo. Bruce Fairbairn [produtor] esteve conosco por um período. Ele era ótimo. Mas Jack? Jack é o nosso George Martin. Ele é como um membro da banda."

Joey Kramer: "temos um bom treinador no Jack Douglas. Ele tem em mente que nenhuma idéia é uma má idéia. E por isso nós tentamos tantas idéias. Entre a produção dele e nós tocando em estúdio é que aparecem muitas coisas que finalizamos. Foi assim em Toys in the Attic (1975) e em Rocks. Então, ter Jack lá é como ter um sapato velho."

Tom Hamilton: "começamos a trabalhar com Jack no segundo álbum, Get Your Wings (1974). Então, Toys in the Attic, Rocks e Draw the Line (1977). Fomos aprendendo a nos relacionar em estúdio e juntar as gravações naquela época e aprendemos tudo com ele. Aquele jeito de fazer as coisas é o mesmo para este novo álbum também. Queríamos fazer algo fiel à nossa história, sem tentar inventar qualquer coisa."

Noisecreep: tem um monte de material neste álbum, incluindo algumas faixas bônus. Vocês irão voltar ao cofre da banda ou focar em coisas inteiramente novas?

Joe Perry: "existem algumas músicas que podem ter alguns riffs semelhantes - por exemplo, 'Legendary Child' - mas ainda não estou certo em finalizá-las. A imprensa coloca um selo em qualquer coisa antiga. Se isso não dá um álbum, isso não é bom o suficiente, é o que eles dizem. Mas isso não é verdade. Sempre temos riffs. Qualquer álbum que fazemos, puxamos coisas do anterior. Mas também tem um monte de coisas novas e desenvolvidas. Uma coisa sobre o AEROSMITH é que nós não somos uma banda que faz um disco, depois uma tour e então dizemos "te vejo daqui a cinco anos". Estivemos na estrada durante dez anos ao mesmo tempo em que fazíamos este novo álbum."

Steven Tyler: "Joe tinha um monte do boas canções - coisas maravilhosas. Por isso tem todas estas faixas bonus. Todas elas são boas músicas. Talvez nós estamos pensando neste disco como nosso último registro. Mesmo assim, não é porque fizemos bem feito, então, quem sabe?"

Tom Hamilton: "você acumula coisas para faixas bônus e a música 'Up on the Montain' é uma delas. Com tantas coisas neste disco estávamos como 'seria legal se...'. Então, antes que caia sua ficha, as faixas já estão lá. O que me deu confiança cantando foi saber que eu teria Steven como backing vocal [risos]."

Joe Perry: "aquela sintonia com Tom cantando é uma faixa bônus lado 'B' [risos]."

Steven Tyler: "eu realmente gostei de 'Street Jesus'. Ela começou como 'Sweet Jesus'. Era uma jam. Eu estava cantando sweet Jesus, então Jack mencionou street Jesus - e cada vez que eu ia para o estúdio e cruzava a Sunset Strip e via um cara vestido como Jesus, eu gritava 'hey, Jesus!' e ele fazia um movimento como se estivesse me abençoando - então se tornou 'Street Jesus'. Se tornou uma nova música. Muito bom ter bastante coisa nova para tocar."

O 15º álbum de estúdio do AEROSMITH, "Music From Another Dimension" está nas lojas desde 6 de novembro de 2012 através da Columbia Records.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 08 de novembro de 2012

Top 20Top 20
Os discos e singles mais odiados do rock, segundo o UCR

342 acessosLoja de Discos do Cassio: Aerosmith no Rock in Rio549 acessosAerosmith: tres vídeos retrospectivos de shows recentes460 acessosSteven Tyler: de volta ao American Idol?0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Aerosmith"

AerosmithAerosmith
As 20 frases mais ultrajantes de Steven Tyler

Hard RockHard Rock
Cinco álbuns memoráveis no período grunge

AerosmithAerosmith
Participante do The Voice Brasil chora ao ser reconhecido por Steven Tyler

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Aerosmith"

NirvanaNirvana
"Teoria é um desperdício de tempo", dizia Kurt

Black Label SocietyBlack Label Society
O assassinato atribuido à "seita" de Zakk Wylde

Rede GloboRede Globo
Em 1985, explicando o que são os metaleiros

5000 acessosPorn Metal: Filmes para inspirar os headbangers solitários5000 acessosUltimate Classic Rock: as 25 músicas mais tristes da história5000 acessosIron Maiden: versões pesadas para clássicos do Rock5000 acessosDoro Pesch: valorizando a vida por ter morrido na cadeia5000 acessosMegadeth: será que Dave Mustaine voltaria para o Metallica?5000 acessosPaul Gilbert: o Metallica acabou com o Blues no Metal

Sobre Paulo Giovanni G. Melo

Mineiro de Belo Horizonte. Fã de Hard Rock e Heavy Metal, especialmente a partir dos anos 80, não dispensa um disco ao vivo destes estilos. Entre várias de suas bandas preferidas estão Ratt, Aerosmith, Buckcherry, The Cult, Whitesnake, Whitecross, Guns N´ Roses e Motley Crue.

Mais matérias de Paulo Giovanni G. Melo no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online