Def Leppard: ajudando soldados com Estresse Pós-Traumático

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Leonardo Daniel Tavares da Silva, Fonte: Ultimate Classic Rock, Tradução
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 27/12/12. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

29 anos atrás, o baterista do DEF LEPPARD, Rick Allen, perdeu seu braço em um acidente de carro. Mas o músico se recuperou dessa grande perda e está esperando que sua experiênciaajude soldados feridos a lidar com o transtorno de estresse pós-traumático (TEPT) decorrente de suas experiências no campo de batalha e de lesões.

754 acessosGanhos: veja quanto algumas bandas faturaram com shows recentes5000 acessosPink Floyd: a história por trás de "Animals"

Em uma reportagem da ABC News, Allen afirma: "Eu não sabia como minha vida seria depois daquele dia terrível. Foi o período mais obscuro da minha vida. E, até hoje, eu ainda me considero um trabalho em andamento". O baterista começou a ver como sua própria experiência poderia ajudar outras pessoas quando ele visitou o Walter Reed Army Medical Center, em 2006.

Allen diz: "Eu fiquei tocado pela coragem deles, o seu sofrimento e pela jornada muito desafiadora que muitos deles tinham pela frente. Eu passei um tempo falando com tantos soldados quanto pude - Escutando, aprendendo e partilhando a minha própria experiência de perder meu braço e tendo que reconstruir a minha vida".

Nos anos seguintes, Allen convidou participantes do Wounded Warrior Project para shows do DEF LEPPARD. Uma vez lá, os soldados eram convidados a participar dos “Warrior Gatherings” e incentivados a falar sobre suas experiências. "É uma ótima maneira de atrair as pessoas", diz Allen. "E os soldados percebem que não estão sozinhos". O baterista também tomou parte no Projeto Odyssey, um centro de reabilitação ao ar livre.

Além disso, Allen fundou a Fundação Raven Drum, que fornece programas educacionais a soldados feridos como forma de incentivar a sua cura do TEPT. Cada uma dessas atividades são projetadas para iniciar o caminho para a cura, que é o objetivo final.

"Uma das questões principais é que os soldados não pedem ajuda", diz Allen". E estamos aqui realmente para destacar o fato de que você não é um covarde, se você pedir ajuda". Ele acrescenta: "O meu desejo é encorajar um sistema de apoio para os guerreiros, desestigmatizar o TEPT, compartilhar suas histórias e oferecer caminhos alternativos para pavimentar o caminho para a resiliência e saúde. O TEPT não pode nos controlar, temos o poder de controlá-lo".

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

754 acessosGanhos: veja quanto algumas bandas faturaram com shows recentes2211 acessosDef Leppard: edição deluxe celebra 30 anos do álbum "Hysteria"1018 acessosDef Leppard: nunca mais lançarão álbuns como o "High and Dry"487 acessosWho e Def Leppard em POA: venda para público geral inicia amanhã2713 acessosThe Who: venda de ingressos para show em POA começa nesta segunda0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Def Leppard"

VH1VH1
As 100 melhores músicas de hard rock

GibsonGibson
Os 10 riffs mais incríveis dos anos 80

AORAOR
Dez álbuns essenciais dos anos noventa

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Def Leppard"

Pink FloydPink Floyd
A história por trás do clássico "Animals"

Rock In Rio 2017Rock In Rio 2017
Ausência do "Dia do Metal" é compreensível

Iron MaidenIron Maiden
Uma "pequena falha" em outdoor na Russia

5000 acessosSeparados no nascimento: Joe Satriani e Lord Voldemort5000 acessosMetallica: a evolução de James Hetfield ao longo dos anos5000 acessosListas: 10 melhores bandas da era pós-Nirvana4006 acessosGet Thrashed: A História do Thrash Metal; documentário legendado5000 acessosMetal Extremo: chocando os jurados em reality-shows5000 acessosSebastian Bach: "Os irmãos Van Halen não queriam um maconheiro"

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 27 de dezembro de 2012

Sobre Leonardo Daniel Tavares da Silva

Daniel Tavares nasceu quando as melhores bandas estavam sobre a Terra (os anos 70), não sabe tocar nenhum instrumento (com exceção de batucar os dedos na mesa do computador ou os pés no chão) e nem sabe que a próxima nota depois do Dó é o Ré, mas é consumidor voraz de música desde quando o cão era menino. Quando adolescente, voltava a pé da escola, economizando o dinheiro para comprar fitas e gravar nelas os seus discos favoritos de metal. Aprendeu a falar inglês pra saber o que o Axl Rose dizia quando sua banda era boa. Gosta de falar dos discos que escuta e procura em seus textos apoiar a cena musical de Fortaleza, cidade onde mora. É apaixonado pela Sílvia Amora (com quem casou após levar fora dela por 13 anos) e pai do João Daniel, de 1 ano (que gosta de dormir ouvindo Iron Maiden).

Mais matérias de Leonardo Daniel Tavares da Silva no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online