Matérias Mais Lidas

imagemO reencontro entre Steve Harris e Paul Di'Anno na Croácia

imagemA fundamental diferença entre Paulo Ricardo e Schiavon que levou RPM ao fim

imagemA opinião de Arnaldo Antunes sobre a competição interna que havia nos Titãs

imagemO dia que Serguei fez um react do clipe de "Recomeçar", o hit do Restart

imagemAdrian Smith conta como Iron Maiden permaneceu forte e era grunge passou

imagemNicko McBrain, do Iron Maiden, mostra o seu novo (e enorme) kit de bateria

imagemRoger Daltrey revela a música "amaldiçoada" que o The Who não toca mais ao vivo

imagemSystem of a Down: por que Serj Tankian não joga mais nenhum vídeo game?

imagemDee Snider cutuca bandas com falsas aposentadorias e ingressos caros

imagemMetade das pessoas com menos de 23 anos desconhecem Pink Floyd, David Bowie e Bon Jovi

imagemEddie aparece em versão samurai no primeiro show do Iron Maiden em 2022; veja foto

imagem"Metal Tour Of The Year" chega ao fim e Megadeth agradece bandas participantes

imagemAngra: Quantos shows seguidos a voz aguenta sem restrições? Fabio Lione responde

imagemFrank Zappa disse a Steve Vai que ele soava como "um pão com mortadela elétrico"

imagemOzzy Osbourne diz que "tinha muito o que provar" com "No More Tears"


Rotting Christ: novo disco será mais "obscuro" e "místico"

Por Luciano Correa
Fonte: Blabbermouth
Em 13/01/13

O vocalista do ROTTING CHRIST, SAKIS TOLIS, concedeu uma entrevista ao site Metalpaths.com informando detalhes do novo disco, "Kata Ton Daimona Eaytoy":

"O título do disco significa 'faça o que você quer', como visto por Aleister Crowley, algo que existe muito no Black Metal e na música extrema em geral. O demônio, de acordo com os tempos antigos, somos nós mesmos e quando agimos de acordo com nossos demônios, estamos agindo de acordo com nós mesmos. É isso que queremos passar com o Rotting Christ. É basicamente sobre o mesmo significado de 'Non Serviam', não deve ser mal interpretado como está no túmulo de JIM MORRISON, embora eu já tenha visto isso. Trata-se apenas de uma citação do grego antigo."

Referente a comparação com o último trabalho, o disco "Aealo", Sakis citou: "É um álbum diferente comparado com o 'Aealo'. O objetivo de toda banda é apresentar algo diferente a cada novo trabalho. Como um compositor, eu não quero fazer um disco somente por fazê-lo ou apenas para fazer uma nova turnê, porque vejo um monte de bandas que estão fazendo isso e é realmente triste. Quero ver minhas bandas favoritas em evolução. É isto que estou tentando fazer ao mostrar um lado evolutivo de mim a cada álbum. Esse novo disco não é só diferente em termos de música, mas também em termos de produção em comparação com o 'Aealo'. Ele é obscuro, é mais oculto e provavelmente o disco mais místico que já fizemos desde o 'Thy Mighty Contract'. Então, é como voltar em nossas raízes - não literalmente, porque o ROTTING CHRIST não é comerciante de suas ideias, mas é parecido com a sonoridade inicial da carreira da banda, apenas ajustada com os novos padrões de produção e outras coisas como estas."

Sobre as mudanças na formação da banda: "Olhe, tudo na vida tem um começo e um final. O nosso trabalho com esses caras, por motivos pessoais chegou ao fim, mas o restante da banda ainda está por aqui, então, não há problemas acontecendo entre nós. Estes caras, com eles mesmos, continuam tocando e fazendo outras coisas também. Eu também queria fazer um esforço para reunir os membros originais para alguns shows. O evento 'The Nuclear War Now!' ocorreu, mas para o resto dos shows, devido a motivos pessoais, MAGUS e MITULATOR não poderão fazer isso então recrutamos VAGGELIS KARZIS (baixista) e o GEORGE EMMANUEL (guitarrista)."

Sakis ainda complementou sobre os planos da turnê: "Vamos fazer uma turnê na Grécia, incluindo nove cidades, e depois disso temos uma enorme turnê na América do Sul."

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp
publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

[an error occurred while processing this directive]

Rotting Christ: Polêmicas com Mustaine e político norte-americano

Grécia: dez das maiores bandas de metal do país



Sobre Luciano Correa

Colaborador do Whiplash e apreciador de várias vertentes do Rock/Metal. Começou cedo ouvindo Queen, Nazareth e RPM no velho toca discos dos pais. Escutou muito Guns N' Roses, Bon Jovi, Scorpions, Metallica, Iron Maiden e Sepultura até descobrir Helloween, Blind Guardian e Gamma Ray. Ainda nesse meio tempo começou a ouvir Ramones, Misfits, Offspring, Angra, Rhapsody, Hammerfall, Stratovarius, Manowar, Motörhead, Pantera e Slayer para fechar a década de 90. No começo dos anos 2000, incluiu em sua lista bandas como Nightwish, Sonata Arctica, Within Temptation, System Of A Down, Rammstein, Dimmu Borgir, Cradle of Filth e atualmente - últimos 5 anos, tem escutado muito Children Of Bodom, Katatonia, Alestorm, Eluveitie, entre tantas outras. Rock/Metal é barulho para alguns e estilo de vida para tantos outros!

Mais matérias de Luciano Correa.