Skid Row: sonoridade clássica da banda está de volta, diz resenha

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Nacho Belgrande, Fonte: Playa Del Nacho
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 03/04/13. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?


2348 acessosSebastian Bach: vendendo bota usada nos shows do Skid Row5000 acessosDavid Bowie: a última foto pública e a última foto privada

Por JOHN PARKS

Já faz quase sete anos desde que o SKID ROW lançou seu último álbum, mas a espera está oficialmente terminada com a data de lançamento de 16 de Abril, quando seu novo EP “United Word Rebellion – Chapter 1” chegar às lojas via Megaforce Records.

A banda está planejando lançar o segundo EP dentro de seis meses e o terceiro da série seis meses depois e se esse primeiro for uma indicação, o som clássico do Skid Row está de volta. A melhor notícia é que todas as músicas são sonicamente coesas, e não soam como se eles estivessem se adaptar aos novos tempos ou se forçando a ‘crescer’. Na verdade, a primeira música, “Kings of Demolition” poderia literalmente ter sido composta ou gravada durante a época de “Slave To The Grind”. Depois demais de uma década cantando tanto as músicas clássicas como as novas dos Skids, Johnny Solinger não precisa de um manual ou de truques de estúdio para fazer seu trabalho e a faixa de abertura, mais do que qualquer outra, prova isso.

Minha outra faixa favorita aqui é “Stitches”, que é construída em cima de um baita lick de baixo de Rachel Bolan e tem uma pegada “Piece Of Me”. Eu tentei muito, mas muito mesmo achar uma dentre as 5 músicas para criticar e a balada “This Is Killing Me” levou umas 4 ou 5 audições para eu me acostumar.

Os licks de guitarra e os vocais de Johnny acabaram por me vencer e agora eu a amo tanto quanto amo as outras 4. Honestamente, eu gostei do primeiro disco com Solinger, “Thick Skin” e eu acho que “Ghost” é uma das melhores músicas do Skid Row, mas eu realmente acredito que a banda precisou de um tempo pra sedimentar, tocar ao vivo e recuperar o foco. Isso, é claro, é só minha opinião, mas eu não me sinto nem um pouco hipócrita ao dizer que “United World Rebellion – Chapter 1” parece-se mais com um sucessor de “Slave To The Grind” do que “Subhuman Race” ou “Thick Skin”. Tal como “Slave”, esse álbum tem uma bela levada, como músicas como “Let’s Go” e “Get Up”, que são simplistas o suficiente para te chutar nos dentes, mas bem escritas o suficiente para se tornarem obrigatórias ao vivo. O ataque dos duetos de guitarra de Snake Sabo e da arma secreta Scotti Hill nunca foi mais afiado, o grave do baixo de Rachel nunca foi mais alto e o baterista Rob Hammersmith, por falta de termo melhor, bota pra fuder nas viradas. Qualquer um que tenha visto Johnny e os caras ao vivo sabe que é evidente que eles estão se divertindo e se dando bem um com o outro e essa gravação, mais do que qualquer outra da ‘fase Johnny’ reflete isso.

Eu mal posso esperar pra ter os três “Rebellions”, de preferência em vinil.

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 03 de abril de 2013

Sebastian BachSebastian Bach
Vendendo bota usada nos shows do Skid Row

1088 acessosSebastian Bach: cantor faz cirurgia relacionada ao vocal0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Skid Row"

Skid RowSkid Row
O apelo a Steven Adler em "Wasted Time"

Sebastian BachSebastian Bach
Como é a rotina de ser um rock star?

Heavy MetalHeavy Metal
Os dez melhores álbuns lançados em 1991

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Skid Row"

David BowieDavid Bowie
A última foto pública e a última foto privada

A7XA7X
Curiosidades sobre a banda que talvez você não saiba

MetallicaMetallica
Os fantasticos carros de James Hetfield

5000 acessosMichael Kiske: "O Iron Maiden vende a morte às pessoas!"5000 acessosBeatles: tocando "Stairway To Heaven" no YouTube?5000 acessosEm 16/01/1993: o Nirvana fazia um show catastrófico no Brasil5000 acessosMetallica: ruim sem Cliff Burton, pior sem Jason Newsted?4212 acessosBilly Corgan: ele quis se matar após sucesso de Nirvana e Pearl Jam5000 acessosJames Hetfield: o verdadeiro lado Enter Sandman do Metallica

Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)

Mais matérias de Nacho Belgrande no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online