Anette Olzon: desabafo sobre a indústria musical e futuro

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Diego Ruiz, Fonte: Anette Olzon's blog
Enviar correções  |  Comentários  | 

A cantora sueca Anette Olzon, ex-vocalista do Nightwish, escreveu uma publicação em seu blog na qual desabafa e comenta sobre a atual situação da indústria musical, e faz também alguns comentários sobre o seu futuro como artista. Leia a declaração traduzida a seguir.

1608 acessosTarja Turunen: trazendo novamente ao Brasil uma boa turnê solo5000 acessosKiss x Secos & Molhados: o fim da polêmica

“Olá a todos! No momento eu me sinto muito abençoada, pois consegui um emprego de verão muito bom num lar de idosos, onde eu realmente gosto de trabalhar. Os meus colegas e os adoráveis cuidadores são simplesmente maravilhosos. Eu também irei para a universidade durante três anos, estudando para me tornar uma enfermeira. Êba, tão feliz! É como um sonho tornando-se realidade, e durante toda a minha vida eu tive muitos empregos diferentes, porém eu sempre desejei ajudar as pessoas e sentir que faço algo de bom para os outros, e um trabalho como esse é mais sobre o coração e a mente do que algo superficial.

Estar no mundo do entretenimento tem seu lado bom, com certeza, mas para mim, pessoalmente, também existem muitos lados ruins. Estou um pouco cansada de pessoas que tentam apenas levar o seu dinheiro, que não se preocupam com a amizade, e apenas pensam no que eles podem ganhar em qualquer situação. É um mundo de homens, é preciso ser resistente, e realmente ter cotovelos fortes, e eu tenho. Porém, me importo com os outros e quando sinto companheirismo e confiança nessas pessoas... coloco minha carreira nas mãos delas. Eu também passei por uns tempos difíceis com demandas nas quais deveria olhar de uma certa maneira, me vestir de certa maneira, ser uma pessoa de certa maneira, mas sempre serei eu. O que você vê é o que você ganha.

Eu sempre amarei fazer música, não é isso que quero dizer, mas eu recebi tantos hematomas e críticas negativas nos últimos anos na indústria, que o meu amor por isso foi lentamente levando a alegria da mesma; e na maior escuridão, nos momentos mais solitários de uma turnê, tudo o que eu queria era um emprego onde não iria ser julgada e criticada pelo que fazia. Pois acredite, se você tem um emprego no qual há pessoas te olhando, tentando encontrar algo errado com o seu desempenho, mesmo sendo tão forte e tendo tal confiança, será uma jornada difícil. Alguns irão sobreviver e acho que vale a pena, ok. Porém há muitos que simplesmente não querem continuar.

Aqui na Suécia há diversos artistas que conseguem uma pausa rápida, contudo, as gravadoras os lançam para tocar os álbuns, e tudo isso em um ano, talvez dois; sendo que em seguida, eles apenas desaparecem. Burnouts, estresse, falta de motivação, e assim por diante; em alguns casos eles retornam, mas de uma forma na qual são responsáveis de uma maneira menor, com uma gravadora menor, ou eles simplesmente optam por um emprego ‘normal’.

Eu já li tantas vezes de músicos ou artistas que reclamam sobre o quão difícil pode ser isso. Sem dinheiro ganho, não houve recordes de vendas por conta dos downloads ilegais, e sem promotores para pagar à uma banda o suficiente para tocar, oferecendo um pagamento tão ruim, é quase que como a banda ou o músico paga para si mesmo tocar em algum lugar. E toda vez que um músico diz algo sobre o quanto é difícil ou coisa do tipo, a primeira coisa que os não-músicos dizem é: ‘Mas o seu trabalho é o que você ama, não é um trabalho normal, você tem tanta sorte porque o resto de nós temos que ter empregos chatos’, e assim por diante.

Eu sempre trabalhei em empregos ‘comuns’ para me sustentar, desde que é muito difícil viver da música. Então, tive o privilégio de fazê-la o meu emprego durante alguns anos, por isso acho que estou certa em dizer que ser um músico nem sempre é fácil, divertido, e apenas um hobby. E nestes dias em que as vendas de discos estão caindo e há muita música para se escolher, é ainda mais difícil.

Por ora, isso não foi uma pobre declaração minha. Eu sou abençoada e ainda amo fazer música e irei continuar fazendo-a, mas vou me concentrar em meus estudos para obter uma boa educação e uma profissão onde eu possa durar na minha vida de trabalho. E se eu puder fazer alguns shows nos finais de semana e alguns festivais, eu irei, juntamente com um novo álbum, quando a earMUSIC [N. do E.: essa é a gravadora de Anette] decidir que eles devem lançar.

Agora é hora de dormir. Obrigado pela leitura e por todo o meu amor para vocês que estão comigo, seja no que eu faça ou quem quer eu seja. Amor.”

Por que destacamos matérias antigas no Whiplash.Net?

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Mais comentários na Fanpage do site, no link abaixo:

Post de 15 de julho de 2014

Tarja TurunenTarja Turunen
Trazendo novamente ao Brasil uma boa turnê solo

1314 acessosTarja Turunen: Como foi a apresentação da cantora em São Paulo0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Nightwish"

EstiloEstilo
A semelhança entre Holopainen e Roberto Justus

NightwishNightwish
Tuomas e Troy dizem porque são abertamente seculares

Tarja TurunenTarja Turunen
A agressão de um fã durante show no México em 2000

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Anette Olzon"0 acessosTodas as matérias sobre "Nightwish"

MaquiagensMaquiagens
O fim da polêmica Kiss x Secos & Molhados

CriançasCrianças
Como cresceram as de "Nevermind", "War" e outras

Metallica, Guns, Slipknot, KissMetallica, Guns, Slipknot, Kiss
Tombos, erros e fatos engraçados

5000 acessosComo enviar conteúdo ou se tornar um colaborador do Whiplash.Net?5000 acessosOzzy Osbourne: Madman dá a cura para a ressaca5000 acessosSlipknot: Corey explica as nojentas desvantagens das máscaras5000 acessosPaul Gilbert: o Metallica acabou com o Blues no Metal5000 acessosMetallica: as 10 melhores músicas segundo a Loudwire5000 acessosAngra: Kiko Loureiro relembrando o tempo de Dominó

Sobre Diego Ruiz

Apreciador de boa música e ouvinte de Heavy Metal; conheci a cena através do Nightwish, banda da qual sou fã devoto. Tento contribuir com a música de alguma forma, pois com ela a vida torna-se mágica e prazerosa. Escrevo para o Whiplash desde novembro de 2013, e desde então tem sido um prazer informar os headbangers de plantão. Keep it metal!

Mais matérias de Diego Ruiz no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online