Dave Lombardo: se algo está errado em uma banda, eu pulo fora

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Samuel Coutinho, Fonte: Metal da Ilha
Enviar Correções  

O ex-baterista do SLAYER e atual PHILM, Dave Lombardo, foi recentemente entrevistado pela Shor Bazaar, primeiro serviço empresarial de artistas internacionais do Paquistão. O bate-papo pode ser conferido usando o player do SoundCloud abaixo. Confira alguns trechos a seguir (transcritos pelo BLABBERMOUTH.NET).

Bon Jovi: Larissa Riquelme dançando com os seios de fora

Oh, não!: clássicos que foram "estragados" pelo tempo

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Sobre se foi fácil para ele em abrir mão de algo que ele ajudou a criar, quando deixou o Slayer pela primeira vez em 1986:

Lombardo: "Eu acredito fortemente que se você não está feliz em uma situação, você precisa ficar longe disso. Então, para mim, se eu sentir que algo não está bem dentro da banda, eu não tenho nenhuma hesitação de continuar. Eu apenas tenho a certeza disso. Eu não quero que dê merda. (risos)".

Sobre se ele achou que aquilo foi dado como certo, quando ele deixou o Slayer pela primeira vez há quase três décadas atrás:

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Lombardo: "Não, eu não considerei isso, isso só me fez saber das responsabilidades. E se eu toco para alguma organização e eles simplesmente não pagam, porque você toca em todos esses festivais, em todos esses shows, você está em turnê, e você não vê nenhum dinheiro entrando, algo está errado. Então você simplesmente se levanta e vaza. E logo depois disso, (o então produtor do Slayer) Rick Rubin entrou em contato comigo e me disse para voltar para a banda".

Sobre se sua saída do Slayer foi motivada, em partes, pelo fato de que o grupo se transformou em uma organização onde a empresa tornou-se mais importante do que a química entre os membros originais da banda:

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Lombardo: "Não. Eu acho que o que aconteceu foi que eles perceberam que... ou pelo menos o produtor percebeu que cada um de nós era tão importante quanto o outro, cada um dos membros era tão importante quanto (qualquer outro membro), especialmente em um grupo como o Slayer, e ele queria ver a banda continuar a ter sucesso e ele sentiu que os quatro membros originais eram a chave para fazer o tipo de som que o Slayer sempre fez".

Fonte original desta matéria:
http://www.blabbermouth.net/news/dave-lombardo-if-i-feel-som...




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Bon Jovi: Larissa Riquelme dançando com os seios de foraBon Jovi
Larissa Riquelme dançando com os seios de fora

Oh, não!: clássicos que foram estragados pelo tempoOh, não!
Clássicos que foram "estragados" pelo tempo


Sobre Samuel Coutinho

Nascido no interior de SP no dia 15/12/1986, em uma cidade chamada Ilha Solteira, Samuel Coutinho se entregou ao heavy metal logo na adolescência. Seu forte sempre foi o heavy metal melódico, variando desde o prog-metal até ao power-metal.

Mais matérias de Samuel Coutinho no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280 Cli336x280 GooInArt