Detonator: Bruno Sutter vai fazer um DVD do "Metal Folclore"?

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Luiz Felipe Lima, Fonte: DELFOS
Enviar correções  |  Ver Acessos

Matéria publicada originalmente no site DELFOS
http://www.delfos.jor.br


Em recente entrevista ao DELFOS, Bruno Sutter respondeu a diversas perguntas acerca do mais recente disco do Detonator, "Metal Folclore... The Zoeira Never Ends". Quando perguntado sobre o porquê de os músicos do Massacration não terem sido convidados para participar do disco, Bruno acabou dando uma pista sobre o caminho a ser seguido na carreira do Detonator.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

DELFOS: Uma coisa que eu senti falta ao fazer a resenha do disco era justamente a participação de algum membro do Massacration. Não houve nenhum convite ou algo nesse sentido?

Bruno: Ah, cara, o Hermes & Renato, na época da gravação do disco, tinha voltado para a MTV e eles estavam muito ocupados. Também não passou pela minha cabeça convidá-los porque de uma certa forma eu fiquei receoso de vir essas comparações, sabe? "Ah, volta para o Massacration", "Massacration era mais legal", porque isso sempre tem, essa viuvez. E quando você quer lançar um produto novo, por mais que eu seja amigo do pessoal do Hermes e Renato, é um divórcio, sabe? Eu tinha que encontrar meu próprio caminho sozinho, independente deles. Eu saí do Hermes e Renato por diferenças do que a gente queria para a nossa carreira. Eu queria ir para um lado, na minha carreira humorística e artística, e eles queriam ir para outro. É igual casamento, chega um momento em que cada um quer ir para o seu lado, e por isso eu não pensei em chamar ninguém - mas nada me impede de, quando eu for gravar o DVD do Metal Folclore, chamá-los para participar tocando músicas do Massacration. Muito pelo contrário, eu ficaria hiper grato se rolasse.

DELFOS: Então vai ter um DVD do Metal Folclore?

Bruno: Eu não posso te afirmar, mas eu quero fazer. Mas aí é aquilo, eu não tenho gravadora e não quero gravadora, eu não quero atravessadores no meu negócio. Eu ter tomado esses "nãos" foi ótimo, cara, porque eu consegui realmente enxergar o que é você levar uma carreira artística independente. É você ser o dono da sua própria empresa, da sua banda - sem intermediários. E é exatamente isso que eu levo, é assim que tem que ser.

O humorista e músico também falou a respeito da sua saída do Hermes e Renato, sobre os anos de Massacration e até sobre como manter-se cantando em alto nível. Além disso, Bruno também disse qual era o seu disco preferido do Massacration.

Para conferir a entrevista completa, clique no link:

http://delfos.jor.br/conteudos/index_interna.php?id=17504&id...




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Detonator"Todas as matérias sobre "Massacration"


Bruno Sutter: resumo da carreira em fotos e vídeoBruno Sutter
Resumo da carreira em fotos e vídeo

Detonator: veganismo, CrossFit, Limp Bizkit e satanismoDetonator
Veganismo, CrossFit, Limp Bizkit e satanismo


Guns N' Roses: Axl desafina guitarra de Slash e pede desculpasGuns N' Roses
Axl desafina guitarra de Slash e pede desculpas

Sociedade Alternativa: Fama proporcional à escassez teóricaSociedade Alternativa
Fama proporcional à escassez teórica


Sobre Luiz Felipe Lima

Depois de ficar louco com o Ritualive do Shaman nos primórdios dos anos 2000, a sua trajetória no Metal apenas se intensificou. Fã inveterado de Pantera, aprendeu rápido que é possível achar música boa desde Death até Europe, e escreve para que cada vez mais pessoas consigam perceber que não se pode ter uma mente pequena se você quiser conhecer grandes músicas.

Mais matérias de Luiz Felipe Lima no Whiplash.Net.

adGoo336