Anthrax: "Nós temos conteúdo suficiente para um álbum duplo"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Bruno Gava Tramontina, Fonte: Blabbermouth, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

A página de Facebook canadense "The Metal Voice", recentemente conduziu uma entrevista com o baterista do Anthrax Charlie Benante. É possível conferir alguns trechos da entrevista logo abaixo:

Iron Maiden: em 1985, show "secreto" com Adrian no vocalJason Becker: O mais tocante desafio do balde de gelo

Sobre o relacionamento entre os integrantes do Anthrax:

Charlie: "Está definitivamente melhor do que antes. Com o Joey de volta, tudo parece ter se encaixado.

"Nós apenas estamos seguindo em frente. Não estamos nem olhando para trás de nossos ombros.

"A situação é muito superior [em relação à primeira reunião do Anthrax em 2005], tanto que estamos tentando nos compreender melhor e até mesmo nos conhecer novamente.

"Uma coisa muito importante, especialmente quando se chega em uma idade mais avançada, é que você começa a se dar conta que o reparo de amizades antigas deve ser considerado como um fator decisivo, pois vejo que diversas bandas não estão mais juntas, e eu sempre disse a mim mesmo, 'Wow, eu gostaria que eles se reunissem'. Porque se há algo que possa reuni-los, este algo definitivamente é a música."

Sobre o progresso nas sessões de composição para o novo álbum:

Charlie: "As novas canções da banda tem sido tão inspiradoras. Eu lembro que em determinado momento, nós já possuíamos 12 músicas, e então, disse ao Scott, 'Cara, mais composições chegarão em breve', e ele respondeu, 'Sério? Mas por quê? Estas 12 são realmente incríveis.' E então, falei, 'Não, espere até as próximas chegarem.'"

"Eu escrevo a maior parte das canções do Anthrax, as ideias normalmente vêm de mim, musicalmente falando. Contudo, eu não gosto de...ao meu ver, eu acho bacana quando todos expressam as suas opiniões e fazem uma ou outra mudança. Quando eu trago uma canção, Scott, Frank ou até mesmo eu a tocamos e logo em seguida, substituímos algumas partes. Ou então, às vezes Scott compõe um riff, e ele mesmo faz as mudanças necessárias a ponto do riff se adaptar a sua habilidade. Mas como eu disse anteriormente, geralmente todas as ideias vêm de mim.

"Fui sortudo em ter o 'Worship Music' como último disco, pois a experiência proporcionada por ele, serviu como base para seu sucessor. Então, estas novas melodias são...como posso colocar isto? Se o 'Worship Music' fosse o 'Led Zeppelin IV', este com certeza seria o 'Physical Graffiti'. A razão de ter mencionado este último álbum foi pela abundância de músicas presentes nele. 'Physical Graffiti' foi um álbum duplo. E neste ponto, nós temos conteúdo suficiente para um álbum duplo também."




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção NotíciasTodas as matérias sobre "Anthrax"


Bush: recusar o Metallica foi um acerto; aceitar o Anthrax tambémBush
Recusar o Metallica foi um acerto; aceitar o Anthrax também

Anthrax: Scott Ian diz que acabaria com a InternetAnthrax
Scott Ian diz que acabaria com a Internet


Iron Maiden: em 1985, show secreto com Adrian no vocalIron Maiden
Em 1985, show "secreto" com Adrian no vocal

Jason Becker: O mais tocante desafio do balde de geloJason Becker
O mais tocante desafio do balde de gelo


Sobre Bruno Gava Tramontina

Autor sem foto e/ou descrição cadastrados. Caso seja o autor e tenha dez ou mais matérias publicadas no Whiplash.Net, entre em contato enviando sua descrição e link de uma foto.

adGooILQ