RECEBA NOVIDADES ROCK E METAL DO WHIPLASH.NET NO WHATSAPP

Matérias Mais Lidas

imagemTodos os rockstars que já recusaram ser condecorados pela rainha Elizabeth II

imagemO hit de Cazuza feito durante internação e que seria indireta para affair Ney Matogrosso

imagemAxl e o pequeno gesto com Slash comprovando que as tretas do passado ficaram pra trás

imagemManeskin e o grande temor que Gastão Moreira tem em relação à banda

imagem"Hi Regis, I'm Paul!": o dia em que Paul McCartney ligou para Regis Tadeu

imagemO protagonismo do Sepultura em relação a Anitta, segundo João Gordo

imagemMembro do Guns N' Roses vai na Galeria do Rock de SP e compra camiseta oficial

imagemRenato Russo tentava boicotar Legião marcando show em dia de jogo na copa de 1994

imagemBob Dylan revela como conhecer seu maior ídolo o fez deixar de venerar pessoas

imagemArnaldo explica por que saía do palco quando Titãs tocava hit de "Cabeça Dinossauro"

imagemA surpreendente música do Metallica que Trujillo mostraria para quem não conhece a banda

imagemPor que Casagrande precisou de escolta de psicóloga para participar de programa de Gordo?

imagemBlack Sabbath: 4 obscuras influências musicais da formação original

imagemRitchie Blackmore em 2018: "Eu gostaria de fazer um show com o Deep Purple"

imagemO motivo pelo qual Pete Townshend disse se arrepender de integrar o The Who


NFL Steve Harris

Poison: Kotzen me fez um favor quando me corneou, diz Rikki

Por Nacho Belgrande
Fonte: Playa Del Nacho
Em 12/08/15

O site Sleaze Roxx entrevistou ao baterista do POISON, RIKKI ROCKETT, agora também dando expediente na banda DEVIL CITY ANGELS [com TRACII GUNS, BRANDON GIBBS e RUDY SARZO], que acabou de lançar seu primeiro e autointitulado CD no dia 18 de setembro.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Como não poderia deixar de ser, a conversa enveredou pelo tema Poison, e Rikki não se fez de rogado ao ser questionado a respeito do período mais obscuro da banda – inclusive o episódio de infidelidade por parte de sua ex-noiva, que se envolveu com o então guitarrista do grupo, Richie Kotzen, em 1993, causando a demissão deste.

O que segue abaixo é a tradução livre de um trecho do papo.

[…]

Qual sua opinião sobre ‘Native Tongue’ em 2015?

Eu acho que é um grande disco! É engraçado que você m e pergunte isso, porque eu acabei de ouvir a duas músicas dele hoje, na verdade. Eu fiquei com vontade de ouvi-lo e baixei meu próprio disco! [risos] Eu não queria ripá-lo de um CD, eu só queria ouvi-lo ali naquele momento. É de fato um grande disco, com toda certeza. Richie Kotzen… eu não tenho mais nada contra ele. Eu superei aquilo. Até onde eu entendo, ele me fez um favor. Tá tudo certo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Ele é um grande músico e um grande compositor. Eu adorei trabalhar com o produtor Richie Zito. Infelizmente, não tivemos tanto sucesso trabalhando com ele, mas eu acho que ele é um produtor fenomenal. Eu sei que todos falamos sobre ‘Native Tongue’ não ser um sucesso comercial, mas ele acabou vendendo um milhão e meio de cópias ao longo dos anos.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

‘Crack A Smile’ foi o disco engavetado pela gravadora e que acabou sendo lançado nove anos depois de ter sido gravado.

Eu amo ‘Crack A Smile’. Esse é outro disco que eu amo. Eu realmente amo o disco inteiro [risos]. Eu realmente amei trabalhar com Blues Saraceno. Ficamos muito amigos. Ele tocou guitarra no meu disco solo, ‘Glitter For Your Soul’ – em todas as faixas menos uma. Eu acho que aquele disco soava mais como o Poison do que ‘Native Tongue’. Eu acho que o estilo de Blues se encaixava melhor no Poison do que o de Kotzen. Eu acho que ‘Native Tongue’ era um afastamento do nosso som, mas creio que foi bom para nós. Acho que precisávamos daquilo.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

‘Hollyweird’ é o disco da reunião da banda. Qual sua opinião sobre ele agora?

Sabe, eu não gosto daquele disco. Eu acho que eu gostava de muitas das ideias naquele disco, mas não acho que elas tenham sido executadas tão bem quanto poderiam. Acho que poderíamos ter tirado um tempo maior e termos feito um trabalho melhor com aquele disco. Eu sinto que ele foi meio remendado. Eu não tenho muito orgulho daquele disco. Não chego a ter vergonha, mas não é nosso melhor trabalho.

[…]

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Rock of Ages: uma celebração à farofice do Rock N' Roll!

Bret Michaels: reveja os maiores constrangimentos do vocalista

Poison: Kotzen me fez um favor quando me corneou, diz Rikki

O Suprassumo do Superestimado: os 11 mais (ou menos) nacionais

Iron Maiden: o vocal que quase substituiu Bruce Dickinson em 93


Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)

Mais matérias de Nacho Belgrande.