The Sisters of Mercy: "Tocaremos nossos hits aí no Brasil"

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

Por Damaris Hoffman, Fonte: Top Link Music
Enviar correções  |  Comentários  | 

Matéria de 05/09/16. Quer matérias recentes sobre Rock e Heavy Metal?

Com produção da Top Link Music, a banda The Sisters of Mercy fará uma mini turnê no Brasil no mês de setembro. Em São Paulo, os músicos se apresentam no dia 16 de setembro, no Tom Brasil. Os ingressos estão à venda no site do Ingresso Rápido com valores de R$80,00 até R$350,00. Em Curitiba, a banda toca no dia 17 de setembro na Opera de Arame e dia 18 de Setembro no Vivo Rio na capital carioca.

5000 acessosMônica Guedes: "seus heróis morreram de overdose, os meus morrem na estrada, trabalhando"5000 acessosGuitarra: os melhores solos da história segundo a Guitar World

Nesta nova turnê mundial, o The Sisters of Mercy tem apresentado clássicos de todos os álbuns e algumas faixas mais obscuras. O repertório costuma ter mais de 20 músicas e deve agradar até os fãs mais antigos. No set-list não faltam clássicos como “More”, “Lucretia My Reflection”, “Vision Thing”, “Temple of Love” e “This Corrosion”, entre outras surpresas. Atualmente, a banda é formada por Adrew Eldritch (vocal), Doktor Avalanche (bateria e baixo), Chris Catalyst (guitarra) e Ben Christo (guitarra).

Em entrevista ao jornalista Luiz Pimental, do portal R7, o líder e vocalista Adrew Eldritch contou o que a banda tem feito atualmente e como eles fazem para manter o interesse dos fãs nos shows da banda. “A gente toca músicas novas ao vivo, como fazíamos antes, quando ainda não tínhamos contrato com gravadora. E nós colocamos algumas letras novas no site, falamos com as pessoas, achamos que é uma boa forma de divulgar músicas”, disse Eldritch.

“De 20 anos para cá começou a ficar mais difícil de divulgar novas músicas, uma vez que a indústria da música destruiu a si mesma, não deixando outra alternativa. Agora as coisas começaram a melhorar, porque temos campanhas extras, outras formas de alcançar as pessoas sem as gravadoras. Todo mundo diz que é um absurdo que a Apple leve 30% do seu dinheiro. Mas não é mais do que o que as gravadoras levam. Então às vezes divulgamos algumas coisas pela Apple. E há outras questões que também custavam dinheiro, como a própria música. Hoje não precisamos ter grandes estúdios, porque temos tecnologia suficiente para fazer esse trabalho. Mas eu ainda quero ter minha voz com qualidade, e leva um bom tempo para gravar uma boa música, porque eu gosto de fazer as coisas com cuidado. E gosto de usar a tecnologia, não apenas colocar o microfone em frente à banda, ao vivo. Então o problema é o Spotify, porque o Spotify paga quase nada”, completou o vocalista.

Confira entrevista completa:
http://entretenimento.r7.com/blogs/luiz-pimentel/2016/07/20/...

Mais informações:
http://www.toplinkmusic.com/

GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no G+

0 acessosTodas as matérias e notícias sobre "Sisters Of Mercy"

GóticasGóticas
10 grandes bandas do gênero dos anos 80

0 acessosTodas as matérias da seção Notícias0 acessosTodas as matérias sobre "Sisters Of Mercy"

Mônica GuedesMônica Guedes
"Seus heróis morreram de overdose, os meus morrem na estrada, trabalhando"

GuitarraGuitarra
Os melhores solos da história segundo a Guitar World

GhostGhost
Qual a identidade secreta de Papa Emeritus?

5000 acessosA morte das grandes bandas: vá a todo show grande que puder5000 acessosRush: Um Adeus Aos Reis5000 acessosMulheres: as bandas mais famosas em suas versões femininas5000 acessosGuns N' Roses: números de todos os shows da banda até hoje5000 acessosSlipknot: Vinnie aconselhou Corey depois da morte de Paul5000 acessosCoisa de boy: Mais de 50% dos roqueiros é da classe A, diz IBOPE

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato.

Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Trolls e chatos que quebram estas regras podem ser banidos. Denuncie e ajude a manter este espaço limpo.

Sobre Damaris Hoffman

Damaris Hoffman, 28 anos, concluiu seu curso de Licenciatura em Filosofia, porém logo partiu para a área da Comunicação Social. Desenvolveu um estilo único de trabalho atuando no departamento de marketing artístico e produção de sua própria empresa. Responsável pela comunicação das bandas Cavalera Conspiracy e Soulfly na América Latina e assessora de imprensa full time das bandas Angra, Project46, Sioux66, Rygel, Capadocia, La raza, Bioface, Worst, e inúmeras outras. Assessora de comunicação das empresas Top Link Music, Gw Entretenimento e Honorsounds.

Mais matérias de Damaris Hoffman no Whiplash.Net.

Whiplash.Net é um site colaborativo. Todo o conteúdo é de responsabilidade de colaboradores voluntários citados em cada matéria, e não representam a opinião dos editores ou responsáveis pela manutenção do site, mas apenas dos autores e colaboradores citados. Em caso de quebra de copyright ou por qualquer motivo que julgue conveniente denuncie material impróprio e este será removido. Conheça a nossa Política de Privacidade.

Em fevereiro: 1.218.643 visitantes, 2.740.135 visitas, 6.216.850 pageviews.

Usuários online