Judas Priest: Rob Halford desvenda as letras e inspirações de canções da banda

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Mauro Cestarolli
Enviar Correções  

O respeitado escritor e jornalista GREG PRATO, que veicula frequentemente artigos sobre rock em sites especializados como "Vintage Guitar Magazine" e "BraveWords", entrevistou o vocalista ROB HALFORD da banda JUDAS PRIEST, questionando-o entre outros assuntos, acerca de algumas das letras de canções da banda. A transcrição foi feita para a "Songfacts" no início de novembro.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Songfacts: Em sua autobiografia "Confess" lançada no mês de setembro, você menciona a música "Beyond The Realms Of Death" (Stained Class, 1978) como uma letra muito pessoal. Qual é o outro exemplo de música do JUDAS PRIEST com esse mesmo tipo de abordagem?

Halford: Geralmente essas músicas são as baladas, para mim. Na verdade, "Out In The Cold" (Turbo, 1986) é uma letra muito pessoal porque tem uma pequena referência a Brad (um ex-amante de Halford), que perdi por suicídio. Então, essa é uma delas. E igualmente, "Lost Love" (Nostradamus, 2018). É apenas uma reflexão sobre as pessoas que perdi - principalmente parentes, como meus avós e assim por diante. Geralmente é uma coisa mais pungente que tem um reflexo um pouco mais pessoal para mim.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Halford: "Out In The Cold" não é exclusivamente sobre Brad, mas definitivamente o tem como referência. Geralmente, eu escrevo muitas dessas canções sem realmente pensar nelas até que muito mais tarde, eu digo, "Oh ... agora eu sei onde estava indo naquela letra em particular - 'Estou acordado à noite, Eu posso'

Halford: E eu digo, "Oh, entendo. Sim. Eu descobri isso." Talvez fosse uma linha do tempo um pouco subconsciente para esse tipo de trabalho. É mais depois do evento comigo, ao invés de uma letra deliberada com intenção, se isso faz sentido.

Songfacts: Qual foi a inspiração lírica por trás de "You Got Another Thing Thing Comin'" ( Screaming for Vengeance, 1982)?

Halford: Exatamente essa atitude que sempre tivemos no Priest. E atrevo-me a dizer que sempre tivemos na nossa forma pessoal de lidar com as questões que nos são enviadas para nos desafiar.

Halford: Uma vida, vou vivê-la … Se você acha que vou ficar sentado enquanto o mundo passa, você está pensando como um tolo. Todo esse tipo de coisa ... Você tem outra coisa vindo .

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Halford: Também está envolvido com a cultura da comunidade do heavy metal, na forma como apoiamos uns aos outros com o nosso metal. É muito mais uma canção de esperança e superação das questões ou dificuldades que surgem em seu caminho. É uma música de resiliência também.

Songfacts: "Heading Out To The Highway" (Point of Entry, 1981)?

Halford: Isso é sobre a liberdade. Você tem a direção e não vai deixar ninguém tirar sua vida de você. Você está lá fora, na grande e vasta paisagem da vida, e a vida é uma estrada. Isso é apenas uma correlação entre os dois conjuntos de coisas.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Halford: Acho que todo mundo se sente assim quando entra no carro, especialmente quando faz uma viagem. É como se você estivesse em algum tipo de controle porque está "no banco do motorista", o que também é outra expressão de ser assertivo. Então, é apenas uma música divertida de liberdade e determinação.

Songfacts: "Turbo Lover" (Turbo, 1986)?

Halford: Eu simplesmente gostei da analogia da motocicleta como um eufemismo para o amor. E "Eu sou seu amante turbo, diga-me que não há outro." Tem uma espécie de conotação sexual - o que é bom. Já foi feito muitas vezes no rock n 'roll: para usar uma máquina, carro ou motocicleta. É apenas um escapismo divertido, mais do que qualquer outra coisa. (Em "Confess", Halford explica como uma motocicleta se tornou parte do show do Judas Priest, e como um show na Irlanda quase enlouqueceu quando os promotores tentaram suprimir a façanha.)

publicidade

Songfacts: Minha balada favorita do Priest é provavelmente "The Last Rose of Summer" (Sin After Sin, 1977).

Halford: Tudo começa com o título. Glenn (Tipton) e eu éramos os principais escritores. O que eu gosto nessa música é o uso do piano "Fender Rhodes".

Halford: O título, "A última rosa do verão", tem muita atitude sobre isso, na medida em que faz você pensar. Se você disser a alguém: "A última rosa do verão", isso não é apenas a mudança das estações, mas também a mudança de um relacionamento. Pode ser a conclusão de algo. Só tem uma oportunidade multifacetada e eu gosto dela.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Halford: Também é doce porque fala da natureza: "A Mãe Natureza simplesmente descansa" e todo esse tipo de coisa. Sempre achei essa música muito atraente porque não há muitas letras que falem sobre a Mãe Natureza.

Ouça abaixo, a playlist das músicas desvendadas por Halford na entrevista.

FONTE: Songfacts
https://www.songfacts.com/blog/interviews/rob-halford-of-jud...




Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Slayer: as preferências do guitarrista Kerry KingSlayer
As preferências do guitarrista Kerry King

Sgt. Peppers: O mais importante disco da história?Sgt. Peppers
O mais importante disco da história?


Sobre Mauro Cestarolli

Veterano colecionador e pesquisador, tem o Rock como hobby. Criador do PHRock blog nos anos 2000, atualmente comanda a programação da webrádio do Fofinho Rock Club, em conjunto com os ouvintes.

Mais matérias de Mauro Cestarolli no Whiplash.Net.

Goo336 Cli336 GooAdHor Goo336 Cli336 WhiFin Goo336 GooInArt