Matérias Mais Lidas

imagemRock in Rio 1991, Maracanã lotado, e o Guns N' Roses ameaçou não subir ao palco...

imagemO álbum do Kiss que infelizmente é ignorado pela banda, segundo Andreas Kisser

imagemMetallica: a explicação da banda para o volume do baixo no And Justice For All

imagemBaixista do Faith No More diz que integrantes odiavam músicas do "The Real Thing"

imagemCinco músicas que são covers, mas você certamente acha que são as versões originais

imagemA história da capa de "Christ Illusion", que fez o Slayer ter problemas

imagemO álbum de David Bowie que Mick Jagger disse que achou "horrível"

imagemOzzy acha que suas novas músicas deveriam ter sido gravadas pelo Black Sabbath

imagemSupla explica por que fala sempre misturando português com inglês

imagemTúnel do Tempo: 25 músicas que mostram por que 1991 é um ano tão celebrado

imagemRevista Veja diz que Rock in Rio virou "túmulo do rock" e explica motivo

imagemAntes mesmo do fim do primeiro semestre, Mike Portnoy escolhe seu "Álbum do ano"

imagemLars Ulrich: "Não sou um baterista particularmente talentoso"

imagemNoel Gallagher sobre sua preferida do Pink Floyd: "Adoraria conhecer Roger Waters"

imagemO show do Angra em que Edu Falaschi se sentiu um vitorioso com a mãe na plateia


In-Edit

Angra é uma boy band? Regis Tadeu diz que sim, e explica o conceito

Por Emanuel Seagal
Em 04/06/22

O jornalista e crítico musical Regis Tadeu foi entrevistado por Manoel Santos, do Ibagenscast. Na conversa o apresentador citou uma afirmação feita anteriormente por Regis Tadeu onde chamou o Angra de "boy band", e deu sua opinião, dizendo que acredita que o grupo foi uma junção de dois projetos, um capitaneado por Rafael Bittencourt, que queria fazer uma banda na época de faculdade, e outro com um olhar empresarial, liderado por Toninho Pirani, empresário da banda na época e responsável pela revista Rock Brigade.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Regis Tadeu alfinetou os fãs de metal, que "não tem uma capacidade cognitiva muito forte", segundo ele, e defendeu sua posição afirmando: "O conceito de boy band é o seguinte: é quando você reúne pessoas que podem se conhecer pessoalmente, mas não necessariamente tem um projeto juntos, e cada integrante é escolhido de acordo com determinado critério, e foi o que aconteceu com o Angra."

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Segundo o crítico musical a atenção que o Viper recebeu no Japão se concentrava no vocalista Andre Matos, e o empresário Toninho Pirani decidiu montar uma banda ao seu redor. "Cada um dos integrantes foi pinçado a dedo pelo Toninho Pirani. É muito provável que nem ele, nem os caras da banda na época vão admitir isso, mas eu sei porque já trabalhava em revistas na época e tinha contato muito grande com o próprio Toninho Pirani porque ele era da Rock Brigade", acrescentou.

Apesar de utilizar o termo boy band Regis diz não ver demérito em como o Angra foi formado, e afirmou que além de serem ótimos músicos houve uma escolha estética envolvida, para acompanhar o "boa pinta" Andre Matos. "Não dá pra colocar uns caras com visual de bancário, ou você acha que o Bruno Valverde (atual baterista do Angra), que é um extraordinário baterista, até hoje não tem gente dizendo pra ele 'pô Bruno, deixa o cabelo crescer'? E ele não se rende a esse tipo de coisa, como o Aquiles (Priester, ex-baterista, que também tinha cabelo curto) se rendeu, e também não vejo problema nisso, pois é preciso que tenha uma unidade estética", explicou.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Para encerrar de vez o assunto Regis Tadeu fez o seguinte questionamento: "De quem era o nome 'Angra'? De quem eram os direitos?" O crítico observou que a banda levou anos para comprar o nome Angra do antigo empresário, algo que ocorreu após a ruptura entre os integrantes antigos do grupo, que formaram o Shaman.

Clique no player abaixo para acompanhar o bate-papo completo.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Stamp


publicidade
Ademir Barbosa Silva | Alexandre Faria Abelleira | Andre Sugaroni | André Silva Eleutério | Antonio Fernando Klinke Filho | Bruno Franca Passamani | Caetano Nunes Almeida | Caio Livio de Lacerda Augusto | Carlos Eduardo Ramos | Carlos Gomes Cabral | Cesar Tadeu Lopes | Cristofer Weber | César Augusto Camazzola | Dalmar Costa V. Soares | Daniel Rodrigo Landmann | Décio Demonti Rosa | Efrem Maranhao Filho | Eric Fernando Rodrigues | Eudes Limeira | Fabiano Forte Martins Cordeiro | Filipe Matzembacher | Gabriel Fenili | Helênio Prado | Henrique Haag Ribacki | Jesse Silva | José Patrick de Souza | Leonardo Felipe Amorim | Marcello da Silva Azevedo | Marcelo Franklin da Silva | Marcelo H G Batista | Marcio Augusto Von Kriiger Santos | Pedro Fortunato | Rafael Wambier Dos Santos | Regina Laura Pinheiro | Reginaldo Tozatti | Ricardo Cunha | Ricardo Dornas Marins | Sergio Luis Anaga | Sergio Ricardo Correa dos Santos | Tales Dors Ciprandi | Thiago Cardim | Tiago Andrade | Tom Paes | Vinicius Valter de Lemos | Wendel F. da Silva
Siga Whiplash.Net pelo WhatsApp

Angra anuncia apresentação presencial e por streaming em São Paulo

Top 20: discos recentes de bandas clássicas tão bons quanto os antigos

Exodus: "Rick Rubin é uma verdadeira fraude", diz Gary Holt


Sobre Emanuel Seagal

Descobriu o metal com Iron Maiden e Black Sabbath até chegar ao metal extremo e se apaixonar pelo doom metal. Considera Empyrium e X Japan as melhores bandas do mundo, Foi um dos coordenadores do finado SkyHell Webzine, escreveu para outros veículos no Brasil e exterior, e sempre esteve envolvido com metal, seja com eventos, bandas, gravadoras ou imprensa. Escreve para o Whiplash! desde 2005 mas ainda não entendeu a birra dos leitores com as notícias do Metallica. @emanuel_seagal no Instagram.

Mais informações sobre

Mais matérias de Emanuel Seagal.