VUUR: entrevista com Anneke Van Giersbergen sobre sua nova banda

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Edilson Luiz Piassentini, Fonte: Rock N'Breja
Enviar correções  |  Ver Acessos

Anneke Van Giersbergen ficou conhecida como vocalista e compositora da banda holandesa de The Gathering, onde teve uma passagem entre os anos de 1995 a 2007.

Andre Matos: os primódios na música e no Heavy MetalPoeira: a fúria de Ian Anderson pra cima do Led Zeppelin

Anneke sempre está na ativa e já participou de diversos projetos e trabalhou com diversos músicos, como The Sirens, The Gentle Storm, Arjen Lucassen, Danny Cavanagh (Anathema) e atualmente segue com sua carreira solo.

Porém em outubro de 2017, Anneke lançou seu mais novo trabalho, com sua nova banda de metal progressivo chamada VUUR.

Nessa entrevista Anneke conta os detalhes de sua nova banda, curiosidades do álbum e mais.

Confiram!

ROCK N'BREJA - Olá Anneke, primeiramente agradeço pela oportunidade por essa entrevista. Sou um grande fã de seus trabalhos. Para começarmos, você lançou recentemente sua mais nova banda, Vuur, com o álbum Together We are Free-Cities. Conte nos como surgiu a idéia da banda e como está a repercussão do trabalho por parte dos fãs e mídia?

ANNEKE - Oi Edilson! Obrigada! Por um longo tempo eu já queria fazer um álbum solo de metal progressivo, mas não estava tendo tempo e lugar certo para isso. Quando eu estava trabalhando com Arjen Lucassen no The Gentle Storm, sentia cada vez mais inspiração para começar a trabalhar nisso. Então eu comecei a escrever músicas junto com Joost Van Den Broek, que é compositor e produtor, e que também trabalha com Arjen. O álbum está recebendo boas críticas por parte da imprensa e os fãs, e isso tem me deixado muito feliz. Mas precisamos trabalhar duro para conseguirmos uma nova cruzada. Estou feliz por estar em turnê agora e podendo mostrar a todos as minhas novas músicas!

ROCK N'BREJA - Vuur, ao contrário do que podia se ver em seus trabalhos anteriores, (como por exemplo, o estilo cadenciado do The Gathering), apresenta uma proposta mais pesada, com um metal progressivo mais moderno. Desde o começo a proposta da banda foi essa, e como foi o processo de composição do álbum?

ANNEKE - Nós gravamos no Sandlane Studio's em Rijen, Holanda. Eu e Joost Van Den Broek escrevemos juntos as músicas, com algumas co-participações maravilhosas de nossos guitarristas Ferry e Jord, e também de Mark Holcomb (Periphery, Esa Holopainen) e Daniel Cardoso (Anathema). Joost também produziu e mixou o álbum. Eu queria um álbum orientado para as guitarras. Sem grandes orquestrações ou algo assim. Um rock puro, metal e progressivo. Com todos os instrumentos cristalinos na mixagem, onde as melodias e a energia de tudo poderiam ter um destaque. Joost e eu conversamos muito sobre o som e a direção, e ele realmente fez isso acontecer com seu conhecimento e criatividade. Quando a banda entrou e começou a gravar, todas as músicas ganharam um salto! Os caras da banda são ótimos e todos têm sua própria personalidade e colocaram isso nas músicas. Realmente estou muito feliz com esses maravilhosos músicos junto comigo.

ROCK N'BREJA - Um lado curioso do álbum são os nomes das faixas, que são seguidos por nomes de algumas cidades do mundo, e uma dais faixas, a Freedom, leva o nome da cidade do Rio de Janeiro. Qual foi o propósito para essa escolha dos títulos das faixas, e existe alguma relação sua com as cidades citadas nos faixas?

ANNEKE - Como você sabe, eu viajo muito. Nós vamos a tantos lugares todos os anos para fazer turnês, e descobri que em todas as cidades há uma vibração e energia diferente e que esses lugares têm uma grande influência no meu estado de espírito. O que significa que, em muitos casos, me inspirava a escrever novas músicas. Por um longo tempo, queria criar músicas sobre as cidades reais e agora, com essa banda, senti que poderia fazer esse álbum com esse conceito.

ROCK N'BREJA - Sabemos que você é uma artista que está sempre em colaboração com outros músicos, e também com seus projetos pessoais. Agora como o Vuur, como será a conciliação com seus outros projetos e sua carreira solo? Como estão as atividades dos mesmos? E pretende sair em turnê com o Vuur, principalmente com o Brasil como um dos destinos da banda?

ANNEKE - Sim, eu adoro fazer coisas diferentes, trabalhar com pessoas diferentes e passar por vários gêneros. Então sempre farei várias coisas ao mesmo tempo, porém, no momento meu foco está no VUUR agora. Acabamos de começar a turnê e faremos isso até 2019.

Entretanto, escreveremos e gravaremos nosso segundo álbum. Claro que estamos trabalhando para voltar para a América Latina e o belo Brasil! Não tenho certeza quando, mas vamos ainda durante a turnê deste álbum.

ROCK N'BREJA - Como um grande fã seu, é claro que não posso deixar de mencionar a sua brilhante passagem pelo The Gathering, onde tenho como um dos melhores trabalhos da banda, os albuns Nighttime Birds (1997) How to Measure a Planet? (1998). Quais lembranças tem da época da banda e como foi se reunir com a banda para gravação do álbum TG25: Live at Doornroosje, que contou com a reunião de quase todos os músicos que passaram pela banda?

ANNEKE - Claro que sou super orgulhosa do meu passado no The Gathering. Criamos muitas músicas maravilhosas e vivemos muitas aventuras durante esses 13 anos que fiquei na banda.

O show da reunião foi muito divertido. Um clima ótimo para tocar as músicas novamente e cantar junto com Silje. Ela é maravilhosa.

ROCK N'BREJA - Anneke, mais uma vez, agradeço pela simpatia em nos atender. Desejo muito sucesso agora com o Vuur, e espero poder ve-los em um grande show pelo Brasil. Deixe um recado para os fãs aqui do Brasil e para os nossos seguidores do Rock N'Breja. Abraços e sucesso.

ANNEKE - Obrigado! Esperamos vê-los muito em breve! XxX Anneke




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Vuur"Todas as matérias sobre "Anneke Van Giersbergen"


Andre Matos: os primódios na música e no Heavy MetalAndre Matos
Os primódios na música e no Heavy Metal

Poeira: a fúria de Ian Anderson pra cima do Led ZeppelinPoeira
A fúria de Ian Anderson pra cima do Led Zeppelin

Metal/Hard: Alguns dos maiores e melhores vocalistas atuaisMetal/Hard
Alguns dos maiores e melhores vocalistas atuais

Cults: 10 álbuns influentes que fracassaram nas vendasCults
10 álbuns influentes que fracassaram nas vendas

David Bowie: muito mais assustador que Michael JacksonDavid Bowie
Muito mais assustador que Michael Jackson

Sad & Useless: as fotos mais constrangedoras do Heavy MetalSad & Useless
As fotos mais constrangedoras do Heavy Metal

System Of A Down: Daron Malakian diz que nunca praticou guitarraSystem Of A Down
Daron Malakian diz que nunca praticou guitarra


Sobre Edilson Luiz Piassentini

Amante do metal desde os 13 anos de idade, fã indiscutível de King Diamond e Mercyful Fate, e também um grande apreciador das cervejas estilo Weiss e um dos editores do site Rock N'Breja! Rock e Cerveja, a combinação perfeita.

Mais matérias de Edilson Luiz Piassentini no Whiplash.Net.

adClio336|adClio336