Ilusion: entrevista com a banda na Galera do Rock

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Rafael Marinho da Paz, Fonte: Galera do Rock
Enviar correções  |  Ver Acessos

Uma banda paulista, que surgiu ha pouco tempo no cenário independente e, de certa forma, promissora... Pois já conseguiram vários destaques positivos pela internet com o recente single lançado " Fim do Mundo ". Do qual agradou até o vocalista Mi (Glória). Bandas assim, como a Ilusion, nós podemos enxergar que vão trilhar um bom caminho para o futuro do rock nacional. E, por falar em futuro... Tive uma conversa com o guitarrista Guilherme Krol e ele me contou um pouco do EP que será lançado e até mesmo do que espera para o ano de 2013.

Heavy Metal: cinco discos necessários dos anos setentaGuns N' Roses: álcool, drogas e intrigas nos primórdios da banda

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Rafael: Primeiro, me diz... Quem são os integrantes da Ilusion e como a galera formou a banda?

Guilherme Krol: Os integrantes são: Vazz (Vocais), Lêe (Bateria), Leandrinho (Baixo), Ícaro (Guitarra solo) e eu (Guitarra base). A banda se iniciou em 2009 pelo baterista Lêe, que juntou amigos de infância... E em 2012 definimos o nome Ilusion e, encontramos o Vazz, depois de vários testes para achar um vocalista.

Rafael: Por que o nome Ilusion?

Guilherme Krol: Dê certo modo, é um crítica a ilusão de sociedade que vivemos hoje em dia. (Sic) Todos acreditam em um molde de vida considerado "correto", mas isso é apenas uma ilusão.

Rafael: Quem mais compõe e me diga também quais as influencias da banda, de modo geral?

Guilherme Krol: Normalmente não tem muito quem componha, sempre chegamos com alguma ideia, normalmente em seu respectivo instrumento e cada um agrega os seus pensamentos de como ficaria interessante a partir disso... E as influências acabam sendo bem variadas: hard rock, metal alternativo, post-hardcore, eletrônica j-rock, rock clássico. Cada um da banda acaba gostando mais de determinado estilo e o resultado final é uma junção de tudo isso.

Rafael: Vocês estão programando lançar um EP, certo? E já lançaram a primeira música, " Fim do Mundo". Como foi a experiencia do primeiro single. Quais as dificuldades tiveram?

Guilherme Krol: Sim, estamos na metade da gravação do EP. A receptividade do primeiro single foi muito boa, conseguimos 100% de aprovação dele no youtube até o momento e elogios por parte do Mí (vocalista do Glória) que curtiu a música e divulgou na página pessoal dele no facebook. Bastante gente que não conhecemos está curtindo a page e comentando no vídeo, e isso tem nos deixado felizes pelo reconhecimento. Acredito que a maior dificuldade que tivemos foi o prazo de entrega desse single, porque a ideia seria lançar a música no "Fim do Mundo", que é a lenda maia que tudo terminaria em 21/12/2012. E como tivemos esse pensamento faltando três semanas para esse dia, o processo de composição e finalização da música e do vídeo tinha que ser feito de forma rápida e precisa... Pois alcançamos nosso objetivo com esse single.

Rafael: Já tem um título definido para o EP que está por vir?

Guilherme Krol: Não, ainda estamos pensando sobre isso.

Vídeo da música nova dos caras aqui:

Rafael: Quais as temáticas que vocês pretendem seguir?

Guilherme Krol: As músicas são introspectivas. Tentamos escrever de forma abrangente, para diversas formas de entendimento, então não teremos músicas que falem especificamente de algo e, sim de músicas que vão refletir na subjetividade de quem estiver ouvindo e estará aberto a uma interpretação pessoal.

Rafael: E o fator virtual... Como você enxerga a internet hoje, para as bandas novas?

Guilherme Krol: A internet é uma ferramenta poderosíssima, onde podemos divulgar nosso material sem quase ter custo para isso. O futuro da música está na internet, porque através dela que podemos ter a divulgação necessária do material, e o reconhecimento vai vir de quem for ao show e, por isso que nos preocupamos em ser uma banda ótima ao vivo e não de estúdio.

Rafael: E o cenário do rock independente em São Paulo, como analisa?

Guilherme Krol: Existem muitas bandas legais, com sons de primeira qualidade. O maior problema se dá por conta das casas de shows, que querem cobrar cota de ingresso ou se recusam a pagar cachê para essa galera, no que acaba desmotivando o pessoal. Isso também tem um impacto negativo, porque tocando de graça ou pagando para tocar nos lugares qualquer banda poderá ir. E as casas que só estão interessadas no seu lucro não se preocupam com a qualidade do que está sendo executado.

Rafael: Vocês estão com algum shows marcado?

Guilherme Krol: Sim, nossa próxima apresentação será dia 2 de Fevereiro, na Inferno Club!

Rafael: Boa sorte... E os planos para 2013, quais são?

Guilherme Krol: Lançar a EP, fazer shows para divulgar esse material e começar a gravação do primeiro álbum.

Rafael: Deixe uma mensagem pra galera que já acompanha a Ilusion:

Guilherme Krol: Valeu a todos que estão acreditando no nosso som e acompanhando, estamos muito felizes pela aprovação positiva do nosso e logo mais estaremos com a EP para todos. Muito obrigado!

@Rafampaz




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Ilusion"


Heavy Metal: cinco discos necessários dos anos setentaHeavy Metal
Cinco discos necessários dos anos setenta

Guns N' Roses: álcool, drogas e intrigas nos primórdios da bandaGuns N' Roses
álcool, drogas e intrigas nos primórdios da banda


Sobre Rafael Marinho da Paz

Nascido em 1993, sou back vocal e guitarrista da Bob do Rock. Posso dizer que sou contestador e sempre tenho metas em minha vida. Estudando para que no futuro me torne um jornalista especializado em música. Embora tenho preferência pelo Heavy Metal, desde muito cedo especificamente com 10 anos de idade, passei parte da adolescência aficionado pela banda Red Hot Chilli Peppers. Além disso, sempre acompanho outros grandes nomes do rock como, Dead Kenedys, Bullet For My Valentine, Suicide Silence, entre outras. Tenho um blog em que busco um só objetivo: Mostrar que existe rock de qualidade em nosso país. Pois é dessa forma que sigo na missão de mostrar bandas existente no meio underground.

Mais matérias de Rafael Marinho da Paz no Whiplash.Net.

Cli336x280 CliIL