Megadeth: "Sou um sobrevivente", diz Dave Mustaine

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Daniel Molina, Fonte: Rust In Page, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

Em dezembro de 2011, Steven Rosen, do site Ultimate-Guitar.com, entrevistou Dave Mustaine. Confiram abaixo alguns trechos da conversa.

Mini Iron Maiden: tocando "Ghost Of The Navigator" na escolaEddie Van Halen: "Eruption foi um acidente"

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Ultimate-Guitar.com: Quando você remixou os oito primeiros do MEGADETH você teve algum insight do seu próprio legado?

Mustaine: Foi legal pode ouvir novamente todo aquele material. Foi preciso reviver aquilo e as vezes foi ruim ter que voltar aqueles momentos que tinham sido dificeis. Algumas partes nem quis reviver. Fiz algumas coisas, e outras coisas que os outros caras fizeram, que tornaram momentos dificeis porque perdemos o foco. Não tínhamos roteiro.

Ultimate-Guitar.com: Mas tinha mais momentos positivos do que negativos?

Mustaine: Sempre há mais momentos bons do que ruins. Eu disse em "Loved To Death" que eu me lembrava mais do momentos ruins do que dos bons momentos, e isso é da natureza humana. Você se lembra mais do ruins do que dos bons, mas isso não quer dizer que tivemos mais ruins do que bons. Apenas gravitamos sobre essas coisas. É como quando você envelhece e começa a comparar cicatrizes. Eu participei do programa do Eddie Trunk, "That Metal Show" e Rex Brown e Vinny Appice participaram do mesmo episódio e todos estávamos falando de mágoas e coisa do tipo. E eu disse, "O que é isso? 'M*A*S*H'?" Quero dizer, foi assim - um bando de veteranos que foi para o campo se doou para fazer músicas para os nossos fãs. As vezes você não percebe quanto isso pesa em você.

Ultimate-Guitar.com: Na sua autobiografia, "Mustaine: A Heavy Metal Memoir", há muitas fotos, mas você quase nunca está sorrindo. Porque?

Mustaine: Deixa eu te dar uma imagem mental: Você está assistindo um desse programas sobre vida selvageme você ve aquele deserto dourado e uma gazela correndo, e logo atrás da gazela tem um leão. O leão está sorrindo?

Ultimate-Guitar.com: Você é o leão?

Mustaine: Sou um sobrevivente que persegue o que precisa para continuar vivendo. Nós tivemos muita oposição da indústria por conta do nosso estilo e das escolhas que fizemos. Nós tivemos nossos próprios problemas que ocorreram porque dissemos "NAO" para algumas pessoas que quiseram trabalhar com a gente e essas pessoas depois falavam "Esse cara é um cretino" e inventavam toda uma história, quando tudo tinha sido um simples não. Lembro que estávamos fazendo teste para guitarristas e um cara apareceu e foi muito hilário. Ele fez o teste e não passou dai ele foi e disse para as pessoas que ele tinha escrito a "Wake Up Dead", que está no nosso segundo álbum ("Peace Sells...But Who's Buying?"). Nós estavamos fazendo o teste para o "Rust In Peace", então ele estava atrasado dois álbuns, pois já tinhamos feito o "Peace Sells" e "So Far, So Good... So What!". Há tanta gente esquisita no mundo e você começa a fazer esses teste e percebe como os músicos são bem peculiares.

Anunciar bandas e shows de Rock e Heavy Metal

Ultimate-Guitar.com: No livro você escreveu sobre como foi tocar com METALLICA, SLAYER e ANTHRAX no primeiro show do "Big Four" de 16 de junho de 2010. Foi tipo exigir o que era seu?

Mustaine: Não havia o que exigir porque em essência daria impressão que estava perdendo algo. Fomos amigos por um tempo e quando seguimos caminhos diferente musicalmente - Kirk Hammett não estava no meio e Robert Trujillo também não - foi por um motivo. O motivo não ficou claro para mim na época. Fiquei chateado com aquilo e acho que tinha a ver com o fato do álcool afetar meu julgamento. Todos bebíamos, mas uma coisa é certa, sempre fomos amigos. Acho que isso que tornou tudo mais dificil, quando você gosta mesmo de alguém, e é forçado a se separar, você meio que tenta justificar tudo ou esconde que tomou um pé na bunda. Não ha animosidade e nem precisamos dar explicações. Somos amigos e tudo aquilo ficou no passado.




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Megadeth"Todas as matérias sobre "Dave Mustaine"


Megadeth: Mustaine admite que banda errou feio em Super ColliderMegadeth
Mustaine admite que banda errou feio em Super Collider

Dave Mustaine: a heroína consegue derrubar qualquer umDave Mustaine
"a heroína consegue derrubar qualquer um"


Mini Iron Maiden: tocando Ghost Of The Navigator na escolaMini Iron Maiden
Tocando "Ghost Of The Navigator" na escola

Eddie Van Halen: Eruption foi um acidenteEddie Van Halen
"Eruption foi um acidente"


Sobre Daniel Molina

Nascido em 79, professor de inglês e tradutor. Conheci o metal e suas várias vertentes através de um amigo do meu irmão no final dos 80, onde em 89 acabei me deparando com Megadeth dentre os vinis que estava ouvindo e foi amor à primeira ouvida, uma paixão que dura 20 anos. Apaixonado por thrash metal, especialmente Bay Area e East Coast mas também aficcionado por NWOBHM, Hard e Death. Com o passar do tempo percebi que o rótulo é o que menos importa e sim o tipo de música que nos agrada, mas apesar de tudo, thrash sempre acima de tudo. Já trabalhei com vários sites, cobrindo shows e fazendo entrevistas mas sempre tocando a Rust In Page por amor ao Megadeth, e hoje além de dedicação total ao meu trabalho salvo bastante do meu tempo para manter a página rolando firme e forte e mantendo os Droogies brazucas informados.

Mais informações sobre Daniel Molina

Mais matérias de Daniel Molina no Whiplash.Net.

Goo336x280 GooAdapHor Goo336x280