Lacuna Coil: mulheres, macarrão, Doors, Rock Band e mais

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Por Nacho Belgrande, Fonte: Kerrang!, Tradução
Enviar correções  |  Ver Acessos

Ter um sex-symbol como companheiro de banda, molho de massa irretocável, e ter pontuação baixa ao tocar suas PRÓPRIAS canções no jogo "Rock Band"... Cristina e Andrea revelam tudo em uma exntrevista histórica por Ian Windood, publicado originalmente na edição #12 da Kerrang!, de agosto de 2009.

Lacuna Coil: ouça o novo álbum, Black AnimaSlayer: cronologia de Hanneman, da picada da aranha até a morte

Cristina Scabbia e Andrea Ferro sentam no andar de cima do pub mais badalado de Camdem Town. Mas enquanto o (pub) Hawley Arms é geralmente associado com os hábitos etílicos da badalada elite Londrina, nesta ensolarada manhã de junho esses dois italianos sentados em sofás de couro da NW1 (área da capital inglesa) não estão lá pra fazer a alegria dos tablóides sensacionalistas. Ao invés disso, eles estão prestes a encarar um churrasco à moda da Kerrang!.

"Eu não acredito que você perguntou isso!", grita Cristina Scabbia, em mais de um ponto durante a meia hora a seguir. "Não acredita mesmo? Vocês já deveriam nos conhecer melhor a esse ponto..."

Kerrang!: Andrea, você por vezes olha pra Cristina no palco e pensa, "Eu sou mais sexy do que ela! Como é que ela fica com toda a atenção"?

Andrea Ferro: "Não, eu geralmente estou muito ocupado fazendo o que tenho que fazer para me preocupar com esse tipo de coisa. Mas você sabe, eu tenho minhas próprias fãs do sexo feminino! Mas se você está me perguntando se a quantidade de atenção que a Cristina recebe me incomoda, eu posso dizer honestamente que não me aborrece de modo algum. É sossegado."

Cristina Scabbia: "Essa pergunta é pra indústria musical como um todo. Obviamente como uma banda nós tomamos a decisão de que eu seria o centro da atenção porque nós sabíamos que as pessoas estariam mais interessadas em me pôr na capa das revistas. Mas isso não quer dizer que eu seja mais importante do que qualquer um na banda, porque eu não sou. É apenas o jeito que as coisas são na sociedade e estamos apenas respondendo a isso."

Kerrang!: Os Italianos são conhecidos por gostarem de longas refeições e bons vinhos. Como é que nenhum de vocês dois é gordo?

Andrea: "Porque a gente esconde muito bem! Claro, sendo italianos nós gostamos de comer, mas tentamos comer coisas saudáveis. E mais, nós nos apresentamos e excursionamos, que é uma boa maneira de queimar calorias."

Cristina: "Pode ser difícil comer de maneira saudável quando estamos excursionando pelos EUA, contudo. Tendemos a comer muito em lanchonetes porque elas ficam abertas até tarde e geralmente estamos com fome depois de um show. E mais, elas são baratas. Mas você tem que ter cuidado com o que come lá porque as porções são enormes."

Kerrang!: Andrea, como você acha que você lidaria com fato de ser o único membro masculino de uma, inversamente, banda só de mulheres?

Cristina: "Seria horrível!"

Andrea: "Seria um pesadelo. Eu ficaria esperando eternamente pelo banheiro, pela ducha. Eu acho que as mulheres são mais complicadas do que os homens então estar em uma banda com cinco outras mulheres pode causar alguns problemas."

Cristina: "Os homens são mais diretos do que as mulheres. Eu acho que é muito mais fácil para mim ser a única mulher numa banda de homens do que seria pro Andrea ser o único homem em um grupo onde todos outros membros fossem mulheres."

Kerrang!: Qual o segredo para um molho vermelho realmente bom?

Andrea: "Ingredientes simples e frescos. Não complique demais as coisas. Deixe que os sabores floresçam e não tem erro."

Cristina: "Eu gosto de fazer molho pra massa com tomates cereja, manjericão e um pouco de açúcar. O açúcar é o ingrediente secreto, ele deixa o molho só um pouco mais doce, mas também traz à tona os sabores dos outros ingredientes. Mas não use muito açúcar. Nos EUA eles usam açúcar demais e o molho fica doce demais."

Kerrang!: Que música vocês gostariam que fosse tocada no funeral de vocês?

Cristina: "Oh, essa é uma questão difícil! Eu honestamente posso dizer que eu nunca pensei sobre que música eu gostaria que tocassem no meu funeral. Eu acho que teria que ser algo alegre, algo que deixasse as pessoas felizes. Eu não quero que as pessoas fiquem tristes no meu funeral. Eu quero que seja uma celebração da minha vida. Que tal tocar 'It's Raining Men' [das Weather Girls]? Isso seria engraçado!"

Andrea: "Eu faria o contrário. Eu gostaria que tocassem 'Rain When I Die' do Alice In Chains. Imagine que legal seria se tocassem essa canção no seu funeral, especialmente se estivesse chovendo de verdade. Seria ótimo."

Kerrang!: De todas as bandas da história, com qual vocês mais gostariam de ter saído em turnê?

Andrea: "Eu curtiria ter excursionado com o The Doors. Eu sei que eles não são uma banda de Metal, mas eu acho que a música que eles fizeram era tão inovadora e interessante. Eles estavam definitivamente à frente de seu tempo. E Jim Morrison era um grande frontman. Obviamente, saber como ele viveu sua vida, os momentos que poderíamos passar juntos fora do palco, seria muito interessante também!"

Cristina: "Eu gostaria de excursionar com o Depeche Mode. Eu simplesmente acho que eles são uma grande banda, e eles têm sido assim por anos e anos. E mais, eles são sempre envolventes de modo que a música deles nunca fica chata. Você nunca sabe como é que o próximo disco deles vai soar e eu acho que isso é algo muito especial. Eu amo Depeche Mode."

Kerrang!: Cristina, qual a pior cantada que você já ouviu?

Cristina: "Provavelmente, 'Casa comigo?". Eu realmente já testemunhei pessoas chegarem até mim e dizerem isso. Eu digo, 'Como é que eu posso responder a essa pergunta?' Essas pessoas nem me conhecem mas ainda acham que querem se casar. Será que eles acham que isso vai realmente dar certo? É louco."

Kerrang!: Qual a atividade favorita do Lacuna Coil no ônibus da tournê?

Cristina: "Nós adoramos jogar Guitar Hero e Rock Band. É estranho, você pensaria que é a última coisa que nós queremos fazer depois de fazer um show é jogar um game de computador onde estamos fingindo tocar. Mas nós amamos. E claro, nós tocamos nossas próprias canções! Algumas vezes eu tenho pontuação baixa cantando uma de nossas canções porque eu as mudei sutilmente de tanto tocá-las ao vivo e o game não reconhece a melodia diferente. É muito engraçado."

Andrea: "Nós jogamos Rock Band até quando o ônibus está em movimento. Então se você ver o ônibus do Lacuna Coil passando pela estrada em algum lugar do mundo, pode ser que estejamos mandando ver dentro dele!"




GosteiNão gostei

Compartilhar no FacebookCompartilhar no TwitterCompartilhar no WhatsAppSeguir Whiplash.Net

Os comentários são postados usando scripts e logins do FACEBOOK, não estão hospedados no Whiplash.Net, não refletem a opinião dos editores do site, não são previamente moderados, e são de autoria e responsabilidade dos usuários que os assinam. Caso considere justo que qualquer comentário seja apagado, entre em contato. Respeite usuários e colaboradores, não seja chato, não seja agressivo, não provoque e não responda provocações; Prefira enviar correções pelo link de envio de correções. Denuncie os que quebram estas regras e ajude a manter este espaço limpo.


Todas as matérias da seção EntrevistasTodas as matérias sobre "Rock Band"Todas as matérias sobre "Lacuna Coil"


Lacuna Coil: ouça o novo álbum, Black AnimaLacuna Coil: ouça nova música, "Save Me"Lacuna Coil: assista vídeo do novo single "Reckless",Lacuna Coil: veja clipe de nova música, "Reckless"Lacuna Coil: vocalista dá detalhes sobre o próximo álbum "Black Anima"

Lacuna Coil: Cristina Scabbia fala sobre como é ser uma mulher numa banda de metalLacuna Coil
Cristina Scabbia fala sobre como é ser uma mulher numa banda de metal

Lacuna Coil: vocalistas assistem covers gravados por fãs; veja reaçõesLacuna Coil: para Andrea Ferro, cair na estrada continua divertido

Lacuna Coil: veja Cristina Scabbia cantar Highway To Hell a cappellaLacuna Coil
Veja Cristina Scabbia cantar "Highway To Hell" a cappella

Cristina Scabbia: musa elege sete filmes de terror italianosCristina Scabbia
Musa elege sete filmes de terror italianos

Depeche Mode: 5 belos covers feitos por bandas de Rock e MetalDepeche Mode
5 belos covers feitos por bandas de Rock e Metal


Slayer: cronologia de Hanneman, da picada da aranha até a morteSlayer
Cronologia de Hanneman, da picada da aranha até a morte

Led Zeppelin: a origem do anjo símbolo da bandaLed Zeppelin
A origem do anjo símbolo da banda

Metallica: Hetfield elege as suas dez músicas favoritasMetallica
Hetfield elege as suas dez músicas favoritas

Álbuns: os vinte piores discos de todos os temposÁlbuns
Os vinte piores discos de todos os tempos

Alfabeto do Rock: as 15 melhores músicas de MetalAlfabeto do Rock
As 15 melhores músicas de Metal

Megadeth: pirataria causou baixos números de Super Collider?Megadeth
Pirataria causou baixos números de Super Collider?

Jack White: por que a próxima revolução do rock como o grunge é iminente?Jack White
Por que a próxima revolução do rock como o grunge é iminente?


Sobre Nacho Belgrande

Nacho Belgrande foi desde 2004 um dos colaboradores mais lidos do Whiplash.Net. Faleceu no dia 2 de novembro de 2016, vítima de um infarte fulminante. Era extremamente reservado e poucos o conheciam pessoalmente. Estes poucos invariavelmente comentam o quanto era uma pessoa encantadora, ao contrário da persona irascível que encarnou na Internet para irritar tantos mas divertir tantos mais. Por este motivo muitos nunca acreditarão em sua morte. Ele ficaria feliz em saber que até sua morte foi motivo de discórdia e teorias conspiratórias. Mandou bem até o final, Nacho! Valeu! :-)

Mais matérias de Nacho Belgrande no Whiplash.Net.

adGoo336|adClio336